Pacotão das tchutchucas: Twice, Loona, (G)I-DLE e mais trocentos trecos de girlgroups que saíram até abril

Bom… To de volta… Outra vez. Saiu bastante coisa nesse intervalo, né? Renderia semanas de pauta pro blog, caso eu decidisse fazer um post para cada lançamento. No entanto, minha preguiça olhou para mim e disse: NOOOO! E quem sou eu para contestá-la?

Dito isso, resolvi compilar os bagulhos todos que agraciaram nossos ouvidos no mundinho do Pop asiático em quatro pacotões diferentes: esse aqui, para girlgroups, o de amanhã, com boygroups, um com solistas na quinta e um com trecos japoneses na sexta. Se bem que, pra ser honesto, acho que nem saiu coisa boa o suficiente no Japão para encher uma lista, então sei lá. Porra, Japão, todo ano esse palhaçada de grupos e artistas mais relevantes passarem o primeiro semestre inteiro jogando dominó na pracinha e só dizerem a que vieram de julho pra frente. Assim fica difícil se gabar pros capopeiros novinhos de que o J-Pop é uma maravilha e

Ooh, minha mente se desvencilhou do assunto, tal qual a dos produtores do Mamamoo para fazer música boa. Mas, uou, isso é spoiler. Sem mais delongas e em ordem de lançamento (?), vamos aos imperdíveis comentários…

GFriend – Sunrise

Isso aqui não tá ruim não, mas acho que, dentro dessa fórmula animesong-orquestral-emocionante que é a assinatura sonora do GFriend, “Sunrise” peca um pouquinho por ser menos grudenta que o necessário para ficar martelando na cachola do ouvinte a ponto dele dar replay uma, duas, três vezes e, enfim, se viciar. Digo isso porque meio que tinha esquecido que ela existia até ir catar os lançamentos desse ano na Wikipedia para escrever esse post.


NeonPunch – TicToc

Gosto bastante do neo disco de “Moonlight”, que serviu como debut pra esse NeonPunch. É daquele tipo de número mais “cru” em seus objetivos. No caso, colocar o ouvinte para dançar, ser escapista e tudo mais, com uma dose de atitude mais descontraída das integrantes. Bacana ver que elas continuam nesse caminho em “TicToc”, que me passou despercebida à época do lançamento, mas certamente entrará em minha playlist ali na lateral do blog. Ponto para o team flopadas.


Loona – Butterfly

Okay, talvez esse comeback merecesse um post solo, pois o Loona me deu bastante audiência no passado e blá blá blá. No entanto, só ao cogitar isso, já recebi um áudio da preguiça no WhatsApp e era ela gritando: NOOOO! Já tentaram discutir com a preguiça? É impossível.

Bom, “Butterfly”. É ainda outra daquelas músicas emotivas que ficarão super datadas daqui um tempo, onde o refrão dispensa versos grudentos em prol de sintetizadores moderninhos estourando pra lá e pra cá. E aí, vai do gosto de cada um achar legal ou não. Da mesma forma que pirei quando Hyoyeon fez isso em “Sober” (top 3 da lista de melhores de 2018 no blog falecido), pirei aqui com o Loona, que eventualmente deve conquistar uma posição altíssima em algum ranking meu de fim de ano. Yup, “Brabuleta” é um dos destaques de 2019 até então, com rotatividade bem alta em meus fones de ouvido, diferente do que rola com o público médio coreano, que não deu um win pro grupo e empacou a ideia de soltarem um outro álbum em comemoração. Risos.


(G)I-DLE – Senorita

Ahein, falando em “melhores do ano”, não sei se já saiu, ou se ainda sairá, algo de girlgroup melhor que “Senorita” em 2019. Musicalmente, tudo aqui funciona TANTO. O instrumental que vai “se guardando” pro refrão duplo. A letra cheia de momentos grudentos que vão se enganchando numa crescente. A interpretação cativante das integrantes (a linha vocal do gidle é de matar). O já citado refrão duplo penetrativo. O clipe lindíssimo. Os FU FU FU FU FU FU FU FU FU FU FU FU ridículos do final. Competidora fortíssima a SOTY contra o pancadão da Anda, hein.

Btw, interessante o caminho que o gidle (dá uma preguiça escrever (G)I-DLE certinho toda vez, bleh) está trilhando. Quando elas debutaram, achei que a Cube repetiria a tática 4MINUTE X 2NE1, dessa vez contra o BLACKPINK, mas os releases do grupo estão indo prum rumo bem mais elegante que o esperável.


ITZY – Dalla Dalla Corte

Vi (em minha timeline no Twitter) que um monte de gente (entre a quantidade ínfima de capopeiros que eu sigo) achou isso aqui uma porcaria completa, por ter um monte de variações no instrumental. Eu, honestamente, adorei essa farofa avulsa sobre amor próprio e NAMONGA DALLA DALLA YEEEAAAHH. Funciona como um bom debut de girlgroup da JYP, que acabou ficando só com o Twice pirralhando pela Ásia, necessitando de um miss A bad gurl pra nivelar as coisas dentro da gravadora. Funciona como uma música isolada, pois é divertida e NAMONGA DALLA DALLA YEEEAAAHH!

A propósito, huahuahuahua com a Somi presa no porão da YG enquanto a grupo que ela esperou tanto pra debutar tá aí fazendo sucesso. As outras meninas também participaram de reality shows, né? Coitada, trocou a chance de apostar num cavalo certo (combo de big3 + garotas famosas = sucesso) pra tentar a vida solo numa gravadora que só usa seus artistas de 4 em 4 anos. Vai entender


Mamamoo – gogobebe

Hwasa mó vacilona. Pegou a melhor demo disponível na gravadora pro seu comeback solo e deixou esse treco pseudo latin pop morno pro grupo completo. Mil vezes se elas tivessem elevado a album track “My Star” ao posto de title e se jogado de vez no urban em vez dessa bobagem derivativa. Essa proposta funcionou tão bem pro Everglow, por exemplo…


Everglow – Bon Bon Chocolat

Não tenho a mais remota ideia de onde surgiram essas garotas. Também fizeram ponta como trainees no Produce 48? Bem capaz. De qualquer forma, bem divertido esse debut delas. “Bon Bon Chocolat” não é boa de verdade, o instrumental é meio exagerado, fosse lançado por um boygroup com rappers forçando voz de catarro ficaria terrível. No entanto, com garotinhas pagando de agressivas com figurino fashion, fica bem divertidinho de assistir – não é a toa a quantidade de views no YouTube. Bom lançamento “ruim/bom”. Ponto para o team flopadas [2].


DIA – WooWa

Uma das coisas que disse e repeti sobre o DIA nos últimos anos (além do desejo de que a MBK acabasse com o grupo, fingisse que ele nunca existiu e redebutasse as integrantes em outros times menores, tal como rolou com o Co-Ed School/Speed/5Dolls anos atrás) foi que não via a hora delas fazerem a “evolução-farofa” que o T-ara fez em 2012, quando passou de grupo que lança números retrôs fofos e cativantes para grupo que lança farofas datadas para fritar na pista de dança. E isso ocorreu aqui em “WooWa”, que é boa demais, grudenta, envolvente, sendo o melhor bagulho delas até então. O sintetizador com os PAMPARAMPAMPAMPAM no início dá a música toda uma aura “final boss” de RPG de nintendinho que a eleva de patamar.

Uma pena o repertório pregresso delas ser tão atuação-da-gabriela-duarte-em-por-amor-que-está-sendo-reprisada-na-globo-de-segunda-a-sexta, pois a comparação com as irmãs de bullying mais velhas fica até injusta.


Momoland – I’m So Hot

Essa aqui eu não curti não. Nem os encantos de JooE conseguem salvar o refrão-corta-clima de “I’m So Hot”.

Primeira bola fora do Momoland. Será que essa será a “Uh-Ee” do grupo e, pro próximo comeback, elas se remedirão em uma pedreira da Toei?


IZ*ONE – Violeta

O refrão dessa aqui também é meio estranho, de uma forma ruim. A explosão de sintetizadores é intensa demais pro clima supostamente sedutor que parecia estar sendo construído. Gostei não.


Twice – Fancy

Huh, taí outro lançamento que valia um post solo, mas tentarei resumir o que eu diria nesses parágrafos, de modo a desenvolver melhor essa ideia num futuro mini album review. Acho que “Fancy” teria sido um follow-up perfeito para “Like Ooh-Ahh” em vez de “Cheer Up”, lá no início de 2016. O debut do Twice dava a entender que o grupo seguiria um caminho interessante, mesclando um girlcrush mais espevitado com boas doses de humor, sendo bem teen, mas com um fácil apelo internacional. Coisa que praticamente morreu nos releases seguintes, MUITO infantilizados, MUITO japanese idol pop.

Então, é até meio estranho acompanhar esse comeback, pois a impressão que dá é que “Fancy” estava guardado na gaveta há quase 4 anos. O bubblegum da música ainda está lá, mas a estética visual é bem mais atrativa ao resto do globo, tal como o grupo foi apresentado inicialmente. De qualquer maneira, pra mim, o melhor lançamento das 9 em anos.

E… É isso aí. Ou faltou alguma coisa?

Amanhã tem mais. Deixem aí suas sugestões e comentários.

Um comentário em “Pacotão das tchutchucas: Twice, Loona, (G)I-DLE e mais trocentos trecos de girlgroups que saíram até abril

  1. Gfriend morreu pra mim depois de fingertip, nunca vi um grupo que lançava musicas boas decair tanto. culpo vc coreia. Gostei da maioria ai, só gfriend que nao volta pro seu passado brilhoso

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s