Do pior ao melhor, um ranking com os singles do EXID

Bom, o EXID está morto. Não literalmente, por motivos óbvios, nem figurativamente, pois elas teoricamente seguirão como trio daqui em diante. Mas sem Hani e Gracinha-Da-Voz-Fina no line-up, as coisas jamais serão as mesmas. De qualquer forma, não há muito o que reclamar. Em 7 anos de história, esse foi um dos maiores grupos que já viram a luz na história do K-Pop. O repertório foi enxuto, mas invejável. Em questão de titles, nunca rolou algo genuinamente ruim, sim momentos onde as especificidades sonoras escolhidas acabavam por não agradar a todos.

Com isso em mente, separei aqui, do pior ao melhor, uma lista com todos os singles trabalhados pelo grupo. Por questões técnicas, desconsiderei os relançamentos daquele projeto Re:Flower no ano passado, os números de subunits e participações delas como ghostsingers (tipo a LE cantando no refrão de Sugar Free, do T-ara, ou a Solji mandando as notas altas em B.B.B, do Dalshabet). Foquei só nos bops trabalhados pelas 5, que já foram 6, depois 4, aí 5 novamente e agora 3.

Enfim, vamos lá…

14) WHOZ THAT GIRL (2012)

O primeiro single de debut do EXID, ainda com Hani, LE e Junghwa dividindo line-up com as meninas que formariam o BESTie, foi um sucesso comercial. Mais de 800 mil cópias vendidas, colocando o sexteto sob os olhares coreanos de novo girlgroups a se prestar atenção. As coisas quase desandaram de vez após isso, mas isso é assunto prum outro dia. Como música, “Whoz That Girl” faz bem as vezes de faixa de estreia. É divertida naquela delimitação de “balada dançante”. Particularmente, acho ela adocicada demais, por isso a lanterna da lista. Mas passa longe de ser ruim.

13) ME&YOU (2019)

Essa aqui também não é ruim não. Só demasiadamente inespecífica quando colocada de frente a outras canções trabalhadas pelo grupo. O carisma e as diferenças vocais das integrantes dão um brilho maior em “ME&YOU” que outros acts não conseguiriam, mas acaba sendo só isso mesmo.

12) I LOVE YOU (2018)

Vários de vocês rolarão os olhos com esse bop noventista morrendo cedo no ranking, mas o refrão “animadinho” demais de “I Love You” envelheceu mal comigo. Acho que ele não combina muito com o resto da faixa, fazendo dela uma nota 9 em vez de 10. É a vida.

11) TROUBLE (2019)

Não sei se vocês ouviram essa delicinha aqui que elas soltaram como title do LP japonês no início desse ano (vendeu bem até o disco, pena não terem investido mais). “Trouble” tem uma estrutura estranha, somando umas sonoridades diferentes ao longo da track. No entanto, diferente do que rola em “I Love You”, as coisas aqui são bem costuradas e tudo desce bem redondo. O refrão garage house é contagiante. Talvez, caso lançada há mais tempo, pegaria uma vaguinha entre as 10 mais.

10) L.I.E (2016)

Eu genuinamente não entendo a implicância de parte de vocês com “L.I.E”. É a “Bitch I’m Madonna” que deu certo. O drop do refrão é bem melhor do que 90% das tentativas parecidas que boygroups soltaram nos últimos anos. Além disso, o MV lindíssimo, cheio de piadas obscenas, eleva o pacote num total. Parem de graça e se joguem nessa bobagem divertidinha que é “L.I.E” logo, cacete…

09) I FEEL GOOD (2012)

Debut “oficial” das cinco e momento mais farofeiro do grupo em todos os tempos. “I Feel Good” é muito a cara do K-Pop do início da década: despretensiosa ao extremo, totalmente voltada para as pistas e recheada de momentos de puro grude permeados por sintetizadores-bate-cabelo que fazem a alegria da multidão. Um pancadão que vale ser redescoberto pelos capopeiros mais novos.

08) NIGHT RATHER THAN DAY (2017)

“Night Rather Than Day” fica melhor a cada nova escutada. Lembro que a achei meio morna de início. Bobagem. O instrumental é recheado de sutilezas que tomam a cabeça quando revisitadas. Sei que K-Pop, em si, não é o ambiente mais correto a se exigir vocais, mas a interpretação das quatro meninas aqui, cujo canto vai aumentando em intensidade conforme o a banda atrás vai adquirindo mais elementos, é a calda de morango que torna o sundae irresistível.

07) CREAM (2016)

Não tenho a mínima ideia do porquê a BANANA tirou o MV chinês original de “Cream” do ar, então fiquem com essa montagem usando o vídeo com o áudio em coreano acima. De qualquer maneira, “Cream” consegue ser espetacular tanto em coreano, quanto em mandarim ou japonês. Recheada de metáforas, um dos melhores momentos de composição do grupo. E ainda rola aquele saxofone matador no final.

06) EVERY NIGHT (2012)

Adoro como elas conseguiram em “Every Night” entregar um instrumental que mescla violão com sintetizadores eletrônicos numa pegada mais melancólica. Até o jeito que elas colocam as vozes beira a perfeição. É difícil falar isso dentro do K-Pop, mas sempre senti que essa música tem… Alma. Pra mim, um dos ápices da modinha de midtempos sombrias-e-sensuais 2012-2014.

05) HOT PINK (2015)

“Hot Pink” é um troço maravilhoso e estranho pra cacete. Noventista, com uma série de ganchos inusitados e variações malucas que grudam de maneira inteligente na cabeça. O break com a Junghwa transformando tudo numa baladinha após o refrão é quase de tirar o fôlego. MV ótimo, LE bem gostosa e Hani destruindo minha alma com aquele cabelo verde. ❤

04) AH YEAH (2015)

Tá, tá bom, eu sei que não tem nadinha em “Ah Yeah” que a destaque de sei lá quantas outras faixas Pop 2000s com saxofone parecidas dentro do cenário sul-coreano e internacional. Só que, para o que ela se propõe, que é ser uma farofa divertida, sensual, catchy e com uma mensagem interessante por trás, ela acerta em cheio. A participação de cada integrante aqui tem o seu valor, com um destaque especial para a interação de vocais adocicados aegyo de menininha da Hani com a agressividade do rap da LE, se refletindo também no instrumental por trás, que alterna entre o contido e o pesado em tais momentos. O refrão é deliciosamente grudento, a bridge é intensa e o Shinsadong Tiger sussurrando “Onde é que você mora? Você mora sozinha?” como se fosse um psicopata é, bisonhamente, aplaudível. A cereja do bolo é o vídeo que, de tão bem bolado, me conquistou de cara. Isso de as aparências enganarem representado através das tarjas de classificação etária, que vão mudando de acordo com a maneira como elas se comportam, é muito inteligente.

03) LADY (2018)

Eu também sei que “Lady” acaba não sendo nada de mais quando ouvida por um pessoal que não tem tanto apresso assim por essa estética visual e sonora dos anos 90. É realmente muito específico para ser apreciado de uma forma mais pop e casual, talvez até cause estranhamento. Dito isso, para mim, que cresci assistindo Will Smith vestindo essas roupas aí em “Um Maluco no Pedaço”, dançando Sant’N’Pepa, Zhane e trecos do Teddy Riley tocando em bailinhos de bairro e enlouquecendo com JLo emulando isso numa roupagem mais eletrônica nos anos 2000 com Play, só tenho a dizer que o EXID entregou aqui o grande bop de girlgroup do ano passado. Hani e Junghwa bem provocativas com seus timbres fininhos sapecas, LE destruindo tudo e todos com seus versos de rap, a outra lá gritando como se não houvesse amanhã. Bom pra caralho.

02) DDD (2017)

Essa aqui é tão sem vergonha. E também tão sínica, sensual, divertida, despretensiosa, empolgante, grudenta, maravilhosa, gostosa, deliciosa, explosiva, atemporal, sambista, lacrante, dona de cus e todas as demais definições positivas que vierem às suas cabeças nesses momento. Penso que nenhum outro grupo teria a pachorra de lançar algo como “DDD” no K-Pop sem medo de sofrer consequências quanto a sua imagem, moral e bons costumes. Talvez só o Brown Eyed Girls? É, acho que sim. Na real, é louvável o quanto o EXID conseguiu se firmar e reafirmar como girlgroup “adulto” nesses anos todos, tirando sarro de tudo e todos e ainda fazendo sucesso nisso. E sem precisar regredir pro aegyo (ouviu, AOA?). “DDD” é o ponto mais alto dessa safadeza sonora e visual. No entanto, ela jamais teria existido sem esse início aqui…

01) UP&DOWN (2014)

Tudo bem que um monte de gente só lembra de “UP&DOWN” por conta da fancam viral da Hani batendo coxinha que colocou as quatro gostosas (e a Hyerin) no radar mundial. Só que o que muitos esquecem de mencionar é que essa canção é genuinamente incrível. A construção dela é bacana e permite que cada uma das gatas tenha o seu momento de brilho. O instrumental é não menos que genial, com guitarras, baixo, saxofones e sintetizadores eletrônicos interagindo como se tudo fosse uma trilha de desenho animado. A letra é hedionda de tão bem bolada, não só com um, mas com vários momentos grudentos. E o MV com o Shinsadong Tiger torturando elas, bom, um dos mais chamativos de toda a história da música oriental. Sendo honesto: um dos ápices do que é “K-Pop” na minha cabeça e uma das maiores músicas dessa década. Mal posso esperar colocá-la bem alto no listão com as melhores 2010s no ano que vem.


E essa aí é a minha escadinha de singles do EXID. Só resta mesmo esperar pra ver o que a BANANA e o Shinsadong Tiger aprontarão com o grupo daqui pra frente. Não sei se tenho muitas esperanças delas atuarem mesmo como um trio. Mais fácil LE e Solji virarem solistas em tempo integral e a outra lá desaparecer. Enfim, o que vier é lucro.

Fica aí o gosto agridoce de um dos melhores grupos do K-Pop estar chegando ao fim – ainda que não oficialmente. Só sobraram vocês, Red Velvet, não me decepcionem.

11 comentários em “Do pior ao melhor, um ranking com os singles do EXID

  1. Eu não consigo descrever a tristeza que eu sinto ao lembrar do destino desse grupo maravilhoso, EXID foi o primeiro grupo de K-pop que eu realmente gostei e comecei acompanhar, não tem como não amar essas mulheres e suas músicas, não consigo colocar um defeito nas músicas/álbuns delas, nem mesmo no mais fraco (Ah Yeah), ainda ouço a discografia do grupo inteira diariamente e duvido muito que isso vá mudar. Sinceramente não sei como as coisas vão funcionar agora sem a Hani e a Junghwa… Enfim esperarei pacientemente.
    PS: Coitada da Hyelin sofrendo bullying kkkkkk

    Curtido por 2 pessoas

  2. “Fica aí o gosto agridoce de um dos melhores grupos do K-Pop estar chegando ao fim – ainda que não oficialmente. Só sobraram vocês, Red Velvet, não me decepcionem.”

    AOA teoricamente ainda está na ativa – se bem que mês passado a Mina saiu do grupo (não que ela fizesse muita coisa nele, mesmo), então as perspectivas não são boas.

    Mas o EXID vai fazer falta pra caramba, a discografia delas é impecável (pelo menos em relação aos singles). E é um dos poucos grupos em que a identidade visual E SONORA de cada integrante foi valorizada, em vez da agência massificar elas até todas soarem e parecerem idênticas.

    Curtido por 1 pessoa

  3. “ou a Solji mandando as notas altas em B.B.B, do Dalshabet”
    -chocado com essa informação 😮

    “Parem de graça e se joguem nessa bobagem divertidinha que é “L.I.E” logo, cacete…”
    -rt/

    “Mais fácil LE e Solji virarem solistas em tempo integral e a outra lá desaparecer.”
    -a outra lá já achou um job para chamar de seu, abriu um canal no YouTube e começou a fazer vlogs desde a época em que o anúncio do “fim do EXID” rolou. Agora podemos esperar ansiosamente pelos dois solos que devem vir antes do comeback do f(x).

    Curtir

  4. Essa da LE sendo voz fantasminha em Sugar Free eu sabia, mas a Solji fazendo high note pro DalShabet não, achava que era uma integrante mesmo que fazia kkkkk acho que tem muitos “casos” de ghostvoice no kpop, principalmente com o T-ARA, a maioria das high notes do Absolute first album são da Haeri do Davichi e não da Eunjung /pasmem

    Mas o foco é o EXID, que é/era um dos meus grupos favoritos ❤ minhas músicas preferidas delas são DDD, Night Rather Than Day e I Love You, gostava muito de Up&Down mas ouvi tanto que enjoei! E Lady é a que eu menos gosto (nem gosto na vdd). Esse último comeback foi fraquinho comparado aos antigos, pensei que seria melhor por causa daquele "tan ta tan ta tan" no começo, mas não gostei muito do refrão.
    Vou sentir falta, nenhum grupo vai conseguir nem se comparar com EXID

    Curtido por 1 pessoa

  5. Eu trocaria o primeiro e o segundo lugar se fosse apenas por qualidade da música, mas por motivos icônicos e fancam que tirou o grupo da lama eu aceito humildemente as posições dadas

    No mais o ranking ta bem certinho de acordo com o meu gosto pelas title delas. Whoz That Girl foi aquele tipico debut de grupo de kpop que eu prefiro esquecer que existiu, mas pelo menos serviu pra duas coisas: mostrar como elas evoluiram e dar ideias de cenário pro SNSD copiar.

    Aliás, eu era uma leitora do Esquadrão Lunático, que bom te ver de volta 🙂

    Curtir

  6. Ah, uma coisa que acabei não comentando: além de ser uma música excelente, I Feel Good também me agrada pelo MV escrachadão. É uma surpresa que Gangnam Style to PSY tenha virado hit mundial pela combinação “música boa + MV todo zoado” mas essa mesma combinação não rendeu sucesso pro EXID na época (isso porque veio mais ou menos na mesma época)…

    Abençoada seja a fancam da virilha da Hani por ter salvado o grupo do disband no flop!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s