Newsletter do gaijin-senpai (07/07): Mais Madonna, mais Miley, mais Taylor e mais coisas do tipo

Uma vez por semana (?), esse blog deixa de lado as pautas sobre bobagens que permeiam o mundinho pop oriental para se focar em… Bobagens que permeiam o mundinho pop ocidental. O que de mais comentável rolou desse lado do globo terrestre nos últimos sei lá quantos dias? Venha descobrir…

MADONNA COM UM DOS MELHORES VIDEOCLIPES NO ANO

Saiu clipe da Madonna para “God Control”, melhor faixa do álbum ruim que ela soltou tempinhos atrás. Gostei bastante de como ela casou essa persona “Madame X” em tela com o discurso anti-armamentista e toda a estranheza faixa, que mistura corais gospel com disco dance. Muito bonito de assistir, sem dúvidas um dos vídeos de 2019. Aliais, a música sozinha também vale muito a pena.

Mas, sei lá, não consigo não me sentir profundamente decepcionado com esse comeback da Madonna. As músicas do LP, em sua maioria, variam entre porcarias pretensiosas que eu não tenho vontade de ouvir mais vezes e bobagens try hard demais para serem levadas a sério. Curtir CURTIR mesmo, tem essa “God Control”, uma lá no finzinho intitulada “I Don’t Search, I Find”, aquele feature merdorrento com a Anitta pela zoeira e essa outra aqui…

…que parece algum descarte da Shakira, mas ganha pontos por, bom, ser a Madonna cantando e não, sei lá, o SUPERJUNIOR. O refrão é legal, os “ven conmigo, let’s take a trip” ficam na cabeça.

Enfim, o bom da Madonna é que o repertório dela é tão extenso e majoritariamente ótimo que, mesmo com vacilos recentes (aquele outro álbum, “Rebel Heart”, também é um cocô), isso se cura comigo indo ao Spotify e revisitando clássicos incontestáveis, como “Bedtime Stories”, “Confessions on a Dance Floor”, “Ray of Light”, “Like a Prayer”, “Erotica”, “True Blue” e por aí vai.

MILEY SALVA MÚSICA “LUGAR COMUM” COM CLIPE LINDÍSSIMO

Tinha dado uma cagadinha para essa faixa quando escutei o EP mais recente da Miley, mas o vídeo bem bolado e bem executado conseguiu tirar “Mother’s Daughter” do lugar comum e transferi-la diretamente para meu celular. É uma mistura de FEMM com Ayu em Sparkle, tudo bem hipnotizante. Curti. Aliais, é bom ver uma artista, pra variar, colocando gente de diferentes formatos de uma maneira bem fotografada e glamourizada. Na maioria dos casos, usam pessoas assim em narrativas bem ruins, tristes e trágicas, exploradoras. Ponto pra Miley, ponto pra sei lá quem tiver dirigido o clipe.

TAYLOR SWIFT ADICIONA MAIS GENTE A SEU SQUAD E ZZZZZZZ

Já com a Taylor Swift, essa tática do clipe bem feito para salvar faixa não colou comigo não. Está lindíssimo, tem o RuPaul, tem o Ryan Reynolds, tem a Ellen, tem a Katy Perry passando vergonha, o tosco do Todrick Hall servindo de Dionne Davenport dela, mas nada conseguiu salvar “You Need To Calm Down” de ser ainda outro desses popzinhos água com açúcar, sem punch, sem linhas que grudam na cabeça, sem melodias chiclete, estéril demais. Nah.

PREFIRO A DO (G)I-DLE

Eu não conheço direito esse Shawn Mendes que vocês ficam comentando no Twitter. É tipo um variante menos interessante do Ed Sheeran? Legalzinha a música com a Cabello (o timbre catarrento dela casa legal em duetos), mas aposto que ninguém mais vai se lembrar quando essa onda latina passar. A melhor parte do clipe é a que ele acorda de calça, revelando que eles passaram a noite jogando adedonha em vez de transando.

EMICIDA, PABLLO, MAJUR, BELCHIOR

Huh, que bonito.

CARDI B ATACANDO QUEM ATACA ELA (OU ALGO ASSIM, NÃO ACOMPANHO DIREITO A CARREIRA DELA)

Quanta gente pelada. Legal.

LIZZO NO GLASTONBURY

A Lizzo está acontecendo! ❤ Já falei isso em outras oportunidades, mas não custa repetir: acho “Juice” um dos melhores singles pop desse ano até então, isso cobrindo o mundo todo, não só o ocidente. Faixa gostosinha, com tudo que o um bop certeiro precisa ter. E é bem bacana ver a plateia enorme do Glastonbury com a letra todinha na língua. Queria estar lá. O clima parece bem mais agradável que os malditos 18°C que estão fazendo no RJ enquanto escrevo esse texto…

MAS FRIO É BOM PARA…

..ficar enrolado nas cobertas e maratonar umas coisas. No caso, a terceira temporada de “Stranger Things”, que saiu dias atrás e está Ma. Ra. Vi. Lhos. A. Esqueçam as pessoas que ficam nessa onda ~adultinha~ de “uuuh, strenge fings nem é nada de uou, é só nostalgiaaaa”, ou as hipsters que vêm com aquilo de “aaarrrggh, a ideia inicial de cada temporada contar uma história diferente era bem melhor, malditas crianças fofinhas que fizeram sucessooooo”, pois elas estão se privando de uma das experiências televisivas mais divertidas desse ano.

Tudo funciona muito nessa temporada. Os vários núcleos são extremamente bem desenvolvidos (atenção especial para Steve, Dustin e suas tosqueiras numa BASE SECRETA RUSSA), quase todos os personagens são recheados de carisma (até a Eleven começou a pensar por ela própria, gente), todas as várias besteiras e easter eggs são hilários (risos com o Arnold Schwarzenegger genérico). Enfim, se joguem nessa delícia sem medo.

…..

….

..

.

E essa foi a cartinha ocidental dessa semana. Domingo que vem (?), voltamos com mais.

4 comentários em “Newsletter do gaijin-senpai (07/07): Mais Madonna, mais Miley, mais Taylor e mais coisas do tipo

  1. Felizmente a Madonna quase nunca erra a mão nos clipes, amém. Caguei e andei pra cabeluda e pra essa cópia esquisita do Ed Sheeran. Eu até curto essa da Miley mas não o suficiente pra adicionar na playlist, foi triste. Ainda não assisti a nova temporada de ST, não faço muita questão porque não curto muito a série mas provavelmente vou acabar me rendendo mais cedo ou mais tarde, ainda mais agora que estou de férias da faculdade (oh Glória).

    Curtido por 1 pessoa

    1. Espero que em 2020 inventem outra modinha que seja melhor que Reggaeton (não sei escrever) e ritmos latinos, porque uma música ou outra até vai, mas 400 por dia… Francamente!
      Também me cansa, tanto no pop quanto no kpop essa coisa de querer ser conceitual, criar teorias e etc, isso só rende músicas mornas e chatas! Eu queria de volta as farofas descompromissadas de 2010/2012 porque atualmente tá muito chato

      Curtido por 1 pessoa

  2. AmarElo me surpreendeu positivamente, e muito. Não achava que colocar Emicida e Pabllo numa mesma música daria liga, mas ficou ótimo, a Majur também agregou bastante, e o clipe tá lindo. Legal ver que enquanto o rap americano esbanja homofobia, no Brasil tem rapper gravando com drag queens e cantores LGBT+ sem problemas (mais um ponto pro rap brasileiro, que além disso se mantém fiel ao papel de denúncia social enquanto os gringos faz tempo perderam conteúdo pra fazer só “rap ostentação”).

    Quanto à Katy Perry, acho que eu deveria ficar feliz em saber que ela e a Taylor Swift fizeram as pazes, mas… sei lá, eu gosto da Taylor mas achei o ataque dela na época de Bad Blood muito baixo (e por muito pouco, se a história da treta ter acontecido por causa de DANÇARINOS de turnê for verdade). Já que ela foi mulher pra fazer música esculachando a Katy, espero que nesse próximo CD ela também seja mulher pra fazer música pedindo desculpas.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s