PLAYLIST | Asian Pop 2019: Update de julho

Julho se foi. E com ele, o primeiro terço oficial do verão asiático. Tenho visto vários de vocês reclamando que esse começo de estação não tem rendido o tanto de bops sazonais divertidos que são esperáveis dos cenários pop idol orientais. De fato, foram poucos os releases “genuinamente veranescos” nas últimas semanas, mas não é como se isso impedisse a galera lá do outro lado do globo de soltar canções absurdamente cativantes nesse meio tempo. Tanto que essa atualização da playlist de 2019 foi a que mais rendeu selecionadas em todos os meus tempos de blogueirinho-fundo-de-quintal: TRINTA!!

Logo, esse será ainda outro daqueles posts enormes, então não me esticarei mais nessa introdução. Vejamos quais foram as melhores entre as melhores de julho…

01) HYOYEON – BADSTER: Quando isso aqui saiu, meu cérebro derreteu de tal forma que eu já saí gritando “ai meu caralho, a song of the year está entre nós, porraaaa”. Alguns dias se passaram e minha empolgação deu uma reduzida, então acho que a peruca da Anda pode continuar no lugar, não foi arrancada pela minha futura esposa Hyoyeon. Mas isso não muda o fato de que “Badster” foi o lançamento mais empolgante desse mês fortíssimo. Abramos essa lista com tal pancadão gamer.

02) MAX – PARTHENON: Isso aqui é do mês passado, mas a avex só subiu nos serviços de streaming agora, então finjamos que “Pathernon” e o comeback do MAX pós-morte de Namie Amuro é a novidade mais quente do Japão. Farofa ~para para~ de alto nível.

03) AILEE – HEART CRUSHER: Não parece que faz um século desde que a Ailee soltou o segundo LP dela e ninguém comprou? Não sei vocês, mas várias das faixas dele estão tocando diariamente no meu celular. Essa farofa 2000s aqui é uma das minhas favoritas. É como se David Guetta ainda fosse relevante pro pop ocidental e tivesse convidado Kelly Rowland ou alguma outra gostosa pra cantar com ele num videoclipe futurista.

04) PRODUCE X-101 – X1-MA: Yup, a “Pick Me” do Produce Xís-101 (parece nome de hambúrguer, huh) também não é desse mês. No entanto, as coisas só começaram a esquentar em relação ao repertório do programa nessas rodadas finais, então me vi levemente obcecado com essa bobagem bem atrasado. De qualquer forma, segunda melhor “Pick Me” em todos os tempos (perdendo só para a “Gattoya” do ano passado, lidem com isso).

05) FEMM – SHIBUYA EX HOROLOGIUM: Falando em atrasos, FEMM está demorando demais para voltar “de vez”, não? Essa gostosura space-dance aqui é uma daquelas faixas que elas usaram a demo praquela instalação artística que ninguém visitou. Faltou um clipe, poxa.

06) GWSN – RED SUN: Sobre clipes, os fãs do GWSN não têm o que reclamar. Tudo o que elas lançam é lindíssimo aos olhos. E aos ouvidos também. Adorei essa outra releitura de “4 Walls”. Dessa vez, adicionando alguns elementos “tropicais” na mistura que deixam o resultado final ideal ao que esperamos para o verão (coreano). AYEYEEEE, AYEEE!

07) GFRIEND – FEVER: Outras que entraram bem no clima da estação. “Fever” mescla direitinho a energia “vibrante” que é esperável de releases sazonais nessa época do ano com alguns signos sonoros que são comuns ao GFriend. Curti como não curtia nada delas desde… “Fingertips”? É, acho que sim. Sejam welcomidas de volta ao jogo, gcoleguinhas. E usem bastante os lucros do BTS em novos lançamentos, hein.

08) AILEE – AIN’T THAT PRETTY: Essa aqui é tão bonitinha. Ailee entrega um vocal mais suspirado pressa balada, que segue bem emotiva até certo ponto, onde estoura num pancadão eletrônico bastante envolvente. Melhor canção do disco dela e melhor album track de julho.

09) KNK – SUNSET: Deep House sujão de clubes esfumaçados dos anos noventa, super grave (ouçam com fones de ouvidos bons), sensual e imersivo em suas camadas. O gimick de colocarem um dos caras suados sem camisa como thumb do MV no YouTube é a cereja trash do bolo.

10) GWSN – TOTAL ECLIPSE (BLACKOUT): Se o House do KNK acima entrega sujeira e sensualidade do início ao fim, esse aqui é bem mais alegre, cativante, purpurinado, bliss, poc e todas as demais qualificações que vocês queiram dar para essas canções que ficariam perfeitas com drag queens dublando por cima. As vozes das pirralhas são bem diferenciáveis aqui. Acho que a melhor música do GWSN depois do imbatível debut com “Puzzle Moon”.

11) MAX – DRACULA: ESSA MERDA MARAVILHOSAAAAA! Ouvindo isso, me sinto dentro de alguma fase de Megaman X ou qualquer loucura nintendista de décadas atrás, misturando rock e EDM com a velocidade aceleradíssima. De lambuja, ainda tem o clipe on point e a coreografia hilária. 10/10.

12) LING TOSITE SIGURE – LASER BEAMER: Mais loucura auditiva. Adoro com usam o “som” de armas laser na backtrack e constroem todo um clima intenso (e viajado) a partir disso. Ouçam com medo.

13) DAOKO, MIYAVI – SENKYAKU BANRAI: Acabei não ouvindo o álbum novo do Miyavi, por isso mais nada dele foi considerado para essa lista, mas essa colaboração com a ❤ Daoko ❤ deve representar bem esse comeback. As músicas dele com outros artistas costumam ser muito “Miyavi”, mas conseguiram fazer dessa tanto algo que é propriamente do guitarrista descamisado, quanto algo que é “maluco” o suficiente para ser a cara da cantora. Um dos melhores jotapopes do ano.

14) BABYMETAL, F.HERO – PA PA YA!!: Muitos de vocês implicam, mas sigo adorando essa nova fase do BABYMETAL. “Pa Pa Ya!!” é outra dessas canções “kawaii metal” que dosam bem as momentos de peso com os de bubblegum no-sense. Hininho pra bater pescoço, mas fazendo cara fofinha.

15) KANA-BOON – BRAND-NEW: Trilha sonora daquele anime fumado mahou shoujo que coloca garotos se transformando em kappas. Bem o estilinho do que um Asian Kung-Fu Generation da vida lançaria para uma temporada qualquer de Naruto e eu adoraria.

16) DAY6 – TIME OF OUR LIFE: Comeback do DAY6 que segue a mesma linha sonora da OST acima. É o que de melhor eles fazem, então não tenho do que reclamar.

17) HONG BIN, HYUNG WON – COOL LOVE: Integrantes do VIXX e do Monsta X sem tirar a camisa em momento algum nesse CF da Pepsi inacreditavelmente ótimo para os padrões de ~CFs masculinos~. Calcinhas molhadas voam longe. Cuecas também.

18) AILEE – WANT IT: Ailee entregando o funkzão sexy que ela parece adorar. Aqui, com um dos maiores refinamentos em termos de instrumental e escolhas de melodias em toda sua discografia. Cuecas molhadas voam longe. Calcinhas também.

19) 015B, YOURA – L: Youra repetindo a parceria com o produtor 015B, deixando o surfrock de lado pra optar pruma vertente mais alternativa, misturando dance com funk e bossa nova. Bem climática. É quase como uma pillow talk.

20) YESEO – HOT HAND: Nessa, a ambientação sexual é ainda maior que as três acima. Quase consigo imaginar “Hot Hand” como trilha de um puteiro de beira de estrada, onde Yeseo é a chefe das meninas e guia os caminhoneiros viajantes por um corredor onde eles escolhem a melhor opção de entretenimento. Me chama pra dirigir esse MV, empresa da Yeseo.

21) NATURE – I’M SO PRETTY: Deixando os ares adultos de lado e descambando pro aegyo fofinho, ainda outro bop de verão que saiu no mês, com as nugus do Nature se jogando em alguma demo que deve ter sido recusada pelo Red Velvet – e mandando muito bem nisso. Ficarei de olho nelas daqui em diante.

22) AILEE – HEADLOCK: Pois é, o álbum da Ailee rendeu tudo isso de album tracks. Essa, no caso, fica bem em linha com os vários “saxsongs” que sei lá quantos acts coreanos e internacionais (Fifth Harmony, Jessie J, Ariana Grande etc.) soltavam lá por 2013-2014. Datado, mas bastante competente.

23) NCT DREAM – BOOM: “Boom” também é datada e também faz bonito nas escolhas para “homenagear”. No caso, o estilo de produção “não-explosiva” do Timbaland nos anos 2000. Melhor música dos pirralhos até então.

24) KODA KUMI – DO ME: Farofão urban ridículo que a Koda Kumi soltou como digital single por motivos que ninguém no Japão se importou o bastante para pedir uma notinha explicativa para a assessoria dela. YASSSS!

25) AILEE – ROOM SHAKER: Estou plenamente ciente de que vários de vocês detestaram “Room Shaker”, mas eu adorei. Antes, pela piada dela encarnar BLACKPINK em busca de alguma atenção maior da garotada que começou a curtir capope agora (e falhando miseravelmente), agora, por realmente achar os vários momentos da track de fato divertidos de ouvir e cantar junto (o ápice é ela gritando “Let’s get ready to rumbleeeeeeee” e emendando um agudão de vários segundos logo após).

26) REOL – PHANTO(ME): Mais uma daquelas faixas esquizofrênicas da Reol-que-agora-é-solista, onde os minutos de músicas são uma montanha-russa de elementos diferentes. Pra quem adora essas doenças japonesas (meu caso), é um prato cheio. Só faltou mesmo um clipe tão alucinado quanto.

27) MAMAMOO – GLEAM: Eu não entendi se isso aqui é uma propaganda de óculos, um “presente pros fãs” ou um esquenta pro reality lá que elas vão participar com outras garotas logo logo, mas já é minha coisa favorita do Mamamoo desde “Starry Night”, do ano passado.

28) CHANMINA – NEVER GROW UP: Chanmina criando expectativa para seu novo álbum com um single “de verão” bem mais “pra baixo” que o esperável. Os signos da estação estão todos ali nos ouvidos, mas utilizados numa interpretação quase pessimista de escutar. Muito bom.

29) AILEE – THE POEM OF DESTINY: Como se não bastasse o álbum, Ailee mandou bem também nessa OST para alguma novelinha de época aí. Achei maravilhosa. O instrumental pesado, a aura mais densa e propositalmente teatral. É assim que uma power ballad deve ser. Take notes, resto do K-Pop.

30) ITZY – ICY: Poxa, Somi.

E… Foi tudo isso aí pra esse mês que passou. Quais as favoritas de vocês? As que mais fizeram minha cabeça foram “Badster”, “Senkyaku Banrai”, “Ain’t That Pretty”, “The Poem of Destiny” e “Dracula”. Aguardemos o quão alto elas aparecerão na lista de melhores do ano.

6 comentários em “PLAYLIST | Asian Pop 2019: Update de julho

  1. “Eu não entendi se isso aqui é uma propaganda de óculos, um “presente pros fãs” ou um esquenta pro reality lá que elas vão participar com outras garotas “…

    ( ) Somente I e II são verdadeiras.
    ( x ) Todas as preposições são verdadeiras.
    ( ) Somente I e III são verdadeiras.
    ( ) Somente II e III são verdadeiras.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Um bom mês. de fato.

    Nada a ver com o tópico, mas só hoje consegui ver na Netflix o show da Utada… impressionante. Arte na forma mais pura e elevada. E um tapa na cara do mercado fonográfico de hoje que bota uma ênfase em vozeirões e/ou pirotecnias em vez do conteúdo que a música traz.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s