Raspa no tacho (09/12): HyunA, Mamamoo, Koda Kumi, Beverly e mais

Muitos lançamentos que rendem poucos comentários, juntos para formar volume num post só. Será que a sua favorita foi lembrada? Vamos à provável última raspa no tacho desse ano…

[Beverly – Precious]

Ainda não tive tempo de ouvir o LP mais recente da Beverly, mas essa delicinha aqui usada como lead single está o puro fruto da viadagem ❤ E nem estou falando só do videoclipe maravilhoso, com um monte de tiozinhos rebolando como se as vidas deles dependessem disso, mas também do instrumental mesclando house com dance70s disco diva que combina perfeitamente com o vocal mais extenso da gracinha.

Só não entendi o esforço tão grande para emular Ariana Grande no visual combinando botona, rabo de cavalo e aqueles moletons que cobrem metade da mão. Disputa de mercado com a RiRi? Deve ser. De qualquer forma, meu treco favorito dessa raspa no tacho, hein.

[One N’ Only – Category]

Meu conhecimento a respeito de boygroups japas é limitadíssimo, mas toda vez que assisto o clipe novo do Faky, o YouTube me recomenda essa farofa desses tais One ‘N Only (que nome ridículo, hahahaha). E que bom que aceitei ouvir, pois “Category” é bem o tipo de treco que algum U-Kiss da vida lançaria oito anos atrás para o capopeiro médio fritar nas pistas de dança.

[Super Dragon – Rock Tonight]

Outro act que eu desconhecia até então, mas que foi uma grata surpresa num primeiro contato. “Rock Tonight” mescla guitarras mais distorcidas numa base eletrônica um tiquinho mais pesada que o costumeiro dessa galera. Pra mim, é uma versão ainda mais ousada e melhor de Badster, da Hyoyeon.

[Ballistik Boyz – 44RAIDERS]

Esses aqui eu já conhecia, mas mais pela ridícula birra das army com o nome do grupo (uma ÓBVIA tentativa japonesa de tentar acontecer se aproveitando do sucesso do BTS, né? Hahaha) que pela música em si. Sobre “44RAIDERS”, é uma junção de instrumental eletrônico “gamer” com versos de Hip Hop e um refrão mais pop. Eu curti, mas acho que vai mais da boa vontade de vocês para esse tipo de número que pela qualidade num geral.

[Sheena Ringo – Open Secret]

Sheenão Ringo, aka patroa de metade do J-Pop, lançou sua primeira coletânea greatest hits dia desses. O álbum duplo vale muito a pena, remasterizando vários dos sucessos dela, é uma boa porta de entrada para seu trabalho. E para divulgá-lo, rolaram dois singles. O primeiro é esse “Open Secret” acima, reunindo quase tudo que eu mais gosto em releases da Sheena: instrumental elegantão e energético, uma abordagem vocal mais teatral da parte dela, videoclipe estiloso. É como uma injeção de ânimo em forma de música…

[Sheena Ringo & Utada Hikaru – The Sun & Moon]

Já o segundo single é ainda outra parceria sapatona com a Utada Hikaru. “The Sun & Moon” exala aquela aura retrô característica de filmes noir da Hollywood clássica, com diferentes camadas instrumentais que ficam ainda mais interessantes de serem ouvidas com os vocais sensuais da Utada em oposição ao timbre nasal da Sheena. Um dos grandes destaques desse ano vindos do Japão. E, dado as envolvidas, não tinha como ser diferente, certo?

[Kato Miliyah & SKY-HI – Sayonara]

Outra que lançou best album recentemente foi a flopada da Kato Miliyah. Acho que não me importo o suficiente com a carreira dela para ir mais a fundo em tal release (foi mal, Dougie), mas curti bastante essa midtempo aqui. É estranha na medida, chiclete na medida e divertida na medida para que o replay factor seja alto.

[Da-iCE – Back To Back]

Mais uma faixa pop divertida vinda de algum boygroup japa qualquer. “Back To Back” (esse título faz sentido? Huh…) é totalmente algo que o SHINee faria tempos atrás. Logo, também é algo que o SuJu faria, e o EXO e quaisquer outros acts masculinos da SM em determinado momento de suas carreiras. Eu gosto. Tem até break de dubstep toscão na bridge.

[Koda Kumi – Strip]

“Strip” está aqui mais para eu poder ilustrar o comentário de eu ter achado o “re(CORD)” uma bosta em quase sua totalidade que por suas qualidades isoladas. Álbum chatão, sem personalidade e quase desprovido de momentos que valham uma nova audição. “Strip” é a menos qualquer coisa nele. Porra, Koda…

[True Damage – GIANTS (com Becky G, Keke Palmer, SOYEON, DUCKWRTH, Thutmose)]

A música de LoL para o campeonato (?) mundial (?) de LoL desse ano é bem menos interessante que a apocalíptica Pop/Stars de 2018. Ainda assim, a experiencia toda vale pelos versos da Soyeon, da Becky G e pelo refrão grudento. Eu viveria sem a parte onde ela desacelera no rap final, mas os jovens costumam gostar desse tipo de coisa, então deve ser apropriado para tal público, né…

[GOT7 – You Calling My Name]

Isso está bem mais refinado e bem trabalhado instrumentalmente que o normal. Não sei se tem tanto punch para uma title, mas mesmo assim, é válido comemorar o primeiro acerto do GOT7 em tempos, já que eles não lançavam nada que preste DE VERDADE há séculos.

[Mamamoo – Hip]

Bacana o Mamamoo optar por uma música mais divertida, que praticamente não se leva a sério e tem como objetivo principal entreter o ouvinte em vez de algo mais emocional ou coisa do tipo como title de seu segundo full album. Incomum ao quarteto, o que faz de tudo bem mais interessante de acompanhar. Melhor ainda por “Hip” ser legal de verdade e não um rap ruim sobre uma ter mais altura que a outra. No fim, todos saímos ganhando.

[Dawn – Money]

Resultado de imagem para sleeping gif

[HyunA – Flower Shower]

Por fim, o tão aguardado retorno da HyunA ao jogo. Eu adoro que ela continuou pegando o E’Dawn, que tá fazendo desse namoro algo midiático, que o Psy abraçou ela em sua nova gravadora e tudo mais. Mas “Pepeca Chorando” nem de longe faz jus ao tanto de hype criado pela fanbase. Legalzinha, sim, mas demasiadamente morna prum retorno desse gabarito. Porra, HyunA…


E… É isso aí. Com exceção do EXO e da IU, que quero comentar isoladamente, faltou algo?

2 comentários em “Raspa no tacho (09/12): HyunA, Mamamoo, Koda Kumi, Beverly e mais

  1. Infelizmente não curti muito o novo dueto da Sheena e Utada. Mas adoro a vibe sapatona delas sempre que fazem algo juntas! Rainhas sapatonas do j-pop!

    (Ayu bem que podia ter feito uns duetos sapatões com a Utada uns dois ou três anos atrás, quando a saúde e a audição ainda tavam dentro do aceitável; um encontro desses ia parar o Japão e dar uma levantada na carreira dela…)

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s