TOP 100 | As melhores músicas do asian pop em 2018 [85-71]

E vamos com segunda parte do ranking de melhores músicas do asian pop em 2018, reciclando parágrafos dos tops originais do blog azul lá, com posições atualizadas com meu atual gosto mais refinado (hahaha).

Anteriormente nesta delícia, vocês ficaram chocados com trecos do Mamamoo, IZ*ONE e Pristin V sendo cortados bem cedo da lista. Hoje, mais 15 bops que eu curto muito, mas já não ouço com tanta frequência, morrerão logo de cara. Mas fiquem felizes por suas favoritas. Ao menos, elas aparecerão aqui. Já Twice, BTS e BLACKPINK…

85. GUGUDAN – BE MYSELF

Eu adoro como em seu último mini-álbum (sério, onde essas garotas foram parar?) o Gugudan serve exemplares de canções femininas propicias à batidas de cabelo, carões, andadas em câmera lenta e trecos do tipo. “Be Myself”, por exemplo, é daquelas a mesclar R&B com Hip Hop e sintetizadores eletrônicos que Tinashe adoraria soltar como single. Uma graça, sexy pra cacete. Gosto bastante da virada jazzística psicodélica nas estrofes finais dela, são estranhamente sujas de ouvir. Alguém salve o Gugudan do porão, gente. Foi o melhor girlgroup originado do I.O.I em todos. É um desperdício de talento elas não lançarem uns dois ou três EPs anualmente. =/

84. MIXNINE – LIKE A STAR

Falando em desperdício, HUAHUAHUA com o MIXNINE. As músicas trabalhadas dentro dele foram quase todas acima da média, soando como singles de verdade e não descartes preguiçosos (shade pra produção do “The Unit”). Minha favorita nele foi “Like a Star”, com HeeJin e HyunJin do Loona se jogando com ChanMi (NEVER FORGET ESSE MOMENTO MARAVILHOSO), com a menina mal encarada do ITZY e outras num dance elegantão que quase ninguém mais aposta dentro do K-Pop. Aliais, parabéns para a ChanMi, aqui com sua melhor interpretação vocal em tempos, com um melisma delicioso no momento de ápice da faixa (DIFERENTE DESSE OUTRO MOMENTO MARAVILHOSO AQUI).

83. SUPER JUNIOR & LESLIE GRACE – LO SIENTO

Tá aí um exemplo de virada jogo em minha cabeça. Eu caguei bonito para isso aqui à época do lançamento, sequer entrou na lista original de 2018. Mas o tempo passou, a Ásia parou de forçar muito a barra nesses números latin pop e, vejam só, “Lo Siento” foi crescendo em minhas playlists. O refrão é grudento ao extremo, a participação dessa mina com voz miada que não furou a bolha depois disso é certeira para criar a atmosfera “global” que esse tipo de som exige, o clipe cafonão é legal de assistir. E as coisas ficam ainda mais empolgantes nas apresentações ao vivo para plateias com o espanhol como língua materna. Enfim, ponto para os velhotes do Super Junior por ainda conseguirem entregar um bop à essa altura do campeonato.

82. PENTAGON – SHINE

Uia, um viral de act masculino realmente legal. Quem diria? “Shine” foge um pouco da obviedade instrumental usual de boygroups, mas sem se tornar entojada ou alternativa demais para soar radiofônica. Eles brincam com o minimalismo cantando de uma maneira super animada e em tempo alto, com versos distintos entre si e um refrão chamativo. Já aviso que não é o tipo de coisa que costuma funcionar numa primeira ouvida, mas vai crescendo conforme o tempo passa e notamos mais e mais partes que não havíamos pegado antes.

 

81. OH MY GIRL – REMEMBER ME

O Oh My Girl, quando abre a carteira, entrega um videoclipes tão bonitos de assistir. O de “Remember Me” mistura uma porção de elementos malucos dentro de um programa de TV (?), elevando ainda mais seu potencial como música através desse auxílio visual. E como música, é claro, é só o que celebrar, sendo ainda outro daqueles aegyos ligeiramente mais trabalhados no peso instrumental (entendam isso, caras, o punch é o que difere o Oh My Girl de outros acts nessa linha), recheado de melodias bonitinhas e que ficam na cabeça por um tempão. Até hoje eu vivo por esse refrão com uma falando uma coisa, aí a outra respondendo “rimeeeember miiii”. Obrigado, Pixar.

80. SHIGGY JR. – DO YOU REMEMBER

Mais uma do Shiggy Jr., ainda outro grupo japa alternê que vocês não ouviriam nunca, com um ótimo run para chamar de seu em 2018. Eu adoro o fato de a voz hilária da vocalista ser tão diametralmente oposta à elegância e seriedade desse instrumental funkeado. Eleva tudo prum patamar indiscutível de qualidade. Que música boa, puta merda! É divertida demais de ouvir. A imagino como a trilha sonora de fundo do anoitecer de um dia cheio de trabalho deixado para trás, com as obrigações já tendo ido, só restando aproveitar o tempo no metrô até em casa…

79. YYXY, GRIMES – LOVE4EVA

Lembram quando vários orbits descompensados vieram me atacar por ter dito que curti essa música, mas que esperava algo mais sombrio, pois era mais ou menos isso que imperava nos releases individuais da era yyxy? Uou, bons tempos. Parece que tem anos, né? (na verdade, tem mesmo hahaha) Loucuras a parte, boa essa “love4eva”, não? Bem legal dentro dessa ideia de “reimaginar” “Gee”, do Girls’ Generation. Deve ter sido o dinheiro mais fácil que a Grimes fez em tempos. Quando será que sai o repackage? :v

 

78. BLUE VELVET – POWER UP

Isso aqui é tão divertido, colorido, berrante e viajado. As cinco catotas do nariz de baphomet pegam toda sua esquizofrenia de andamentos característica e juntam com sintetizadores 8-bits, repetindo “ba-bananaaa-ba-banananana-ba-bananana-naaa” tal qual minions drogados, como se não houvesse amanhã. Tudo “estranhamente feliz”, bem maluco e, consequentemente, bem Red Blue Velvet. Melhor esquisitice coreana de 2018 (Oh My Girl BANHANA esquecido no churrasco, lamento).

 

77. PRIMARY, ANDA – DRESSROOM

Mais uma delicinha oitentista do excelente mini da Anda com o Primary. Dessa vez, no entanto, ligeiramente mais depressiva. Aproveitando o parágrafo, até hoje não entendi a burrada comercial da Amoeba em ter a Yenny, uma ex-Wonder Girls, em sua folha de pagamento, mas não aproveitá-la em tal projeto. Vai entender. De qualquer forma, parabéns para a Anda, que conseguiu nisso algumas de suas melhores músicas em todos os tempos. “Dressroom” é espetacular. Tem toda a cara daqueles baladões que tocam em bailes de formatura em longa-metragens adolescentes de trinta e poucos anos atrás. Btw, o MV “fashion” com ela rodando e tirando a roupa é hilário.

76. IKON – KILLING ME

“Killing Me” é a “I Love You” do iKON. O que quer dizer que, caso fosse lançada pelo 2NE1, ela estaria, no mínimo, umas CINQUENTA posições acima nesse ranking? É, acho que sim, mas trabalhamos com o que temos. Ela é bem diferente de tudo o que eles trabalharam como single até então pelo simples fato de, em vez de se preocuparem em seguir à risca os chavões de grupos masculinos, dessa vez, terem se preocupado em entregar uma MÚSICA boa, que funcionaria tanto com vocais de caras, quanto com vocais de garotas, já que ela é a mais importante no pacote todo, sem as “regras não escritas” que separam as sonoridades em gêneros no K-Pop. É assim que se faz um jam.

75. SHINEE – JUMP

“Ai, lá em o Lunei esfregar na nossa cara outro desses números House que ele insiste em fazer acontecer”, pensarão uns de vocês ao ver essa album track do SHINee rankeando na lista. E, ó, é bem isso aí mesmo. Eu ADORO essas faixas garage house sujonas que estariam em casa em alguma ballroom party noventista, com todo mundo brilhando de suor e glitter, fumaças coloridas e drag queens performando no palco. “Jump” carrega toda essa boiolagem excelente aos ouvidos e é fácil uma melhores coisas do LP do SHINee. É impossível não ter vontade de mandar uns voguings pela casa quando ela começa.

74. JUICE=JUICE – SEXY SEXY

ESSA BOSTA! Eu fico bobo com o fato de os grupos do Hello! Project, mesmo quando tentam soar mais sérios, conseguirem ser tão dementes. Talvez se tivessem colocado garotas mais velhas e, de fato, sensuais para executar “Sexy Sexy” (ficaria perfeito nas mãos do falecido C-ute), a coisa toda tivesse uma conotação menos ridícula. Mas com essas pirralhas magrelas de péssima pronúncia (cada uma fala “secuxiiii” a sua maneira, hahahaha), essa bobagem dancehall desce só como um guilty pleasure. Um guilty pleasure de luxo, mas bem guilty pleasure.

73. KYARY PAMYU PAMYU – OTO NO KUNI

“Oto no Kuni” é sensacional. Adoro a impressão de que a escolha de sintetizadores parece ter sido retirada de algum videogame antigo e trabalhada farofisticamente de modo a funcionar como um pancadão para as pistas de dança. Amo a loucura instrumental pós-refrão nela. Preciso ser honesto: até esse momento, achava que, assim como a tosca da franja, o tempo de vida da Kyary já estivesse se esgotado. Que bom que me enganei e que o preguiçoso do Nakata mostrou que, com um pouco de boa vontade, ainda tem muito o que queimar em cima dessa marca.

72. OLIVIA HYE, JINSOUL – EGOIST

Risos com a ironia. Eu tinha detestado “Egoist” em 2018. As explosões depois do primeiro refrão foram as culpadas, no caso. Mas, tal como a “Lo Siento” lá em cima, o tempo fez bem para o último solo da campanha de pré-debut do Loona. Agora, tudo o que eu não curtia aqui, passei a curtir. E o que eu já gostava (o clima soturno, o vocal choroso da Olivia, JinSoul entregando girl crush no rap, o refrão que vai evoluindo para algo alienígena, o MV cheio de signos do loonaverse) ganhou ainda outro nível de “ai meu deus, que hinoo”. Pisão em “One&Only”, que o tempo só piorou. 😀

71. DIA – WOOWOO

MELHOR ESCÂNDALO DE PLÁGIO

HUAHUAHUAHUAHUAHUAHUAHUA com a cara de pau inacreditável do DIA em plagiar Superlove, da Tinashe, em seu instrumental e melodias. Só faltou o clipe com elas encarnando salva-vidas gostosas em vez de gostosas curtindo o verão 101 para a palhaçada ficar completa. Se eu me importo com isso? Óbvio que não! Eu já adorava “Superlove” e, depois dessa bobageira toda, passei a adorar “WooWoo”. Parabéns, DIA. Lee Hyori deve estar orgulhosa em sua ilha particular.

 

 

E é isso por hoje, galera. Alguma surpresa? Mais uma favorita de vocês destronada? Espero que sim.

Para a próxima, sete capopes e oito jotapopes. Tem de tudo: solista, girlgroupboygroup. Inclusive a song of the year do falecido blog do Dougie. Chutem aí enquanto eu fico pensando em formas criativas de utilizar esse gif ridículo que achei da pirralha do sapo mandando um áudio no zap…

Resultado de imagem para yeojin gif

Ícone

16 comentários em “TOP 100 | As melhores músicas do asian pop em 2018 [85-71]

  1. eu acho legal ver esses tops de anos anteriores, porque eu vejo umas músicas que eu nem lembrava que existiam… eu juro que não me recordava de lo siento, prefiro 1000x one more time :p

    e o álbum do shinee é bom mesmo, eu sou apaixonado em who waits for love e ainda mais em you & i

    Curtido por 1 pessoa

    1. eita, acho que eu errei meu email e não logou a minha conta.. mas, vida que segue.

      enfim, as musicas do primary com a anda tão sendo cortadas muito cedo, to achando kekekekek

      Curtido por 1 pessoa

  2. A parte hilária e triste ao mesmo tempo é a pergunta no final do texto de love4eva, perguntando do repackage… dois anos depois, e nada até agora.

    Mas discordo sobre One&Only; não dá pra não AMAR os papapuns da deusa do rap Go Won, esposa da Olivia Hye (curioso como essas duas acabaram se sobressaindo no imaginário orbit em relação a ships como 2Jin, LipSoul e Yves/Chuu).

    Curtido por 2 pessoas

  3. Pai amado Lunei… ler seu TOP está me dando gatilhos para refazer o meu (só que juntando as coisas do ano todo). Porque eu até começo a me questionar se eu cortaria tão cedo Pentagon e YYXY…

    Btw, essa ‘Chuquéta’ do iKON é muito boa, né? É até irônico saber que é de um BOYGROUP da UAIDÍ!!!

    Curtir

    1. Pois é; sacanagem com a Missy Elliott coreana (sim, Missy Elliott, porque Go Won não merece ser comparada a amadoras como Nicki Minaj ou Cardi B).

      Curtir

      1. Torço muito pra divindade do rap ganhar um rap bem extenso no comeback em fevereiro.

        Lembrando que o Kpopalypse elegeu a Go Won a melhor k-rapper de 2019 pelo rap dela em Butterfly (embora usando outro critério pra justificativa da escolha, o de qual rapper não forçava uma imagem tosca de maloqueiro fodão).

        Curtir

  4. Falando no LOONA, o novo EP delas já vendeu quase 9 mil cópias na pré-venda (o que é um número bastante alto pra um grupo ainda ignorado pelos coreanos)… fica a questão: será que dessa vez os responsáveis pelas tiragens vão se preocupar em encomendar mais tiragens pra não correr o risco do EP ficar esgotado e indisponível pra compras POR DIAS?

    Ah sim, e elas vão fazer pocket show no mesmo dia do lançamento do [#] (mas esses pocket shows de k-pop costumam ser só o single e uma B-side, e acabou). Logo saberemos se a Pirralha do Sapo vai honrar sua peruca roubada da Angélica…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s