TOP 100 | As melhores músicas do asian pop em 2017 [10-01]

E enfim chegamos ao fim do segundo top 100 throwback do Miojo Pop, listando quais foram os melhores lançamentos do asian pop durante o ano de 2017 (um oferecimento COVID-19). Muitas foram as ótimas músicas que passaram por aqui nos últimos dias, mas só 10 conseguiram atingir o ápice em tal ranking.

Sem mais enrolações, qual bop se juntará ao glorioso pancadão da Anda, “What ou Waiting For”, e ao baladão ultraemotivo da BoA, “Fly”, no panteão de bests of aqui do blog? Confiram…

10. CHOERRY – LOVE CHERRY MOTION

É irônico que “Love Cherry Motion”, uma faixa que eu detestei quando ouvi pela primeira vez, tenha se transformado em uma das minhas favoritas do Loona e deste ano num geral. A culpa de não ter curtido de cara? Eu tendo, naturalmente, a não comprar com facilidade esses números “E-Girls-cintilantes-no-verão”. Mas, ó, nem durou nada, pois uns dois dias depois que soltei o post com a fanfic dela no blog falecido, eu já estava cantarolando o refrão como se minha vida fosse cercada de pôneis, fadas, duendes e eu andasse diariamente em meio a um arco-íris do amor, com maravilhosas pausas para ir ao chão junto com meus amigos goblins invadindo a porra toda quando o break piranhudo chega. A ideia de colocar duas propostas sonoras tão contrárias numa mesma música para ilustrar a transição da perda da virgindade é genial. Isso tudo com um clipe tão genial quanto, é de aplaudir de pé. Além disso, temos aqui a melhor bridge dos últimos anos. Não chega a ser o melhor troço do Loona em todos os tempos (calma que está chegando), mas é certamente o mais criativo.

09. YASUTAKA NAKATA, CHARLI XCX, KYARY PAMYU PAMYU – CRAZY CRAZY

Eu não poderia estar mais nem aí para as reações de vocês com “Crazy Crazy” em NONO LUGAR, pois isso aqui foi uma maravilha bobagenta, idiota, mas ridiculamente grudenta e divertida de ouvir que só fiquei viciado por ter escutado sem querer todo santo dia, já que era a primeira música do player do meu celular e tocava sempre que eu acionava ele quando acordava. Tá, é só o ego da tosca da Charli XCX querendo acontecer na Ásia colaborando com alguma demo engavetada do Nakata e enfiando a Kyary nisso e falhando miseravelmente, mas porra, ela é legal demais, o refrão é extremamente sing-along e bonitinho, todo o instrumental parece ter sido retirado do “Pika Pika Fantajin”, pois provavelmente é mesmo uma demo descartada dele de alguma trilha de jogo do Game Boy Color, sendo um dos bagulhos mais legais deste ano. Quem não concorda, tem bom gosto musical está errado…

08. SUNMI – GASHINA

*BOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOM* com “Gashina”, uma das faixas que eu mais arrastei pra lama no outro blog ao longo do ano, pegando um top 10. Isso só prova que eu tenho tanta firmeza em minhas opiniões quando o assunto é música quanto gelatina, maria-mole e pudim de leite. É a vida. Não tive força alguma para resistir aos encantos creepy da Sunmi. Essa mistura de Dancehall com Hip Hop é boa demais, nem sei como não fui capturado logo de primeira. Tudo o que envolve “Gashina” é uma delícia: o vocal bêbado da Sunmi, o batidão no refrão, o videoclipe coloridaço, a dança viral da bomba de gasolina. É a “fórmula Sunmi” em seu ápice de inventividade, chiclete e sapequice, impossível não ser impactado. Que bom que me toquei a tempo e me deixei levar por uma das melhores farofas da década passada.

07. EXID – DDD

Essa aqui é tão sem vergonha. E também tão sínica, sensual, divertida, despretensiosa, empolgante, grudenta, maravilhosa, gostosa, deliciosa, explosiva, atemporal, sambista, lacrante, dona de cus e todas as demais definições positivas que vierem às suas cabeças nesses momento. Penso que nenhum outro grupo teria a pachorra de lançar algo como “DDD” no K-Pop sem medo de sofrer consequências quanto a sua imagem, moral e bons costumes. Talvez só o Brown Eyed Girls? É, acho que sim. Na real, é louvável o quanto o EXID conseguiu se firmar e reafirmar como girlgroup “adulto” nesses anos todos, tirando sarro de tudo e todos e ainda fazendo sucesso nisso. E sem precisar regredir pro aegyo (ouviu, AOA?). “DDD” é o ponto mais alto dessa safadeza sonora e visual, além de um dos melhores singles do K-Pop de três anos atrás. MM-MM-MM-MM.

06. DAOKO, OKAMURA YASUYUKI – STEP UP LOVE

“Uchiage Hanabi” é bonitinha e gruda na cabeça, mas “Step Up Love” foi o verdadeiro jam da Daoko neste ano. E eu adoro essa porra aqui todinha do início ao fim, tendo sido um dos meus grandes vícios no J-Pop desses últimos tempos. Gosto de como usaram a disco music, com o instrumental passeando entre os elementos mais básicos dela e o synthpop mais esquizofrênico que se tornou a marca da Daoko. Vai chegando lá pro final e as coisas ficam bem loucas com os breaks. O refrão é ótimo, o modo como eles cantam juntos é divertido de acompanhar, o clipe com a batalha de dança na quadra de basquete é uma delícia. Que delícia que, mesmo depois de estourar nacionalmente com uma baladinha de anime, a Daoko não deixou sua veia eletrônica estranha se diluir, se mantendo como um ótimo act para os jotapopeiros de velha guarda curtirem sem preocupações.

05. WEDNESDAY CAMPANELLA – IKKYU-SAN

MELHOR VIDEOCLIPE JAPONÊS

Não sei se por imposição da gravadora nova para ajudar ainda mais na construção de um nome forte ao público, mas “Ikkyu-san” é o troço mais “Pop” que já ouvi do Wednesday Campanella. E, olha, eles nem tinham obrigação moral nenhuma de variar não, pois eu adoro os números mais alternativos do trio, mas já que eles quiseram, quem sou eu pra reclamar? Ainda mais com um resultado tão excelente quanto esse. O instrumental disco mais orgânico é ótimo, os “Ikkyu-san, arigato thank you, Ikkyu-san, Otsukare-san…” do refrão são gostosos demais, a KOM_I gritando “que caceeeeteeee…” várias vezes é icônico demais. E o clipe meio que mostra um cenário nipônico utópico ideal para as diferenças, com japas héteros, japas gays, japas drags, japas negros, japas mestiços, todos se divertindo numa festa fundo de quintal maravilhosa. Queria estar lá. Vocês não?

04. DAY6 – I WAIT

MELHOR MÚSICA DE BOYGROUP

A posição altíssima de uma música do DAY6 nesse top chocará alguns desavisados. É uma faixa de boyband flopada, quase no pódio do ranking, acima de vários troços que um monte de gente consideraria como o ápice do K-Pop em 2017. Só que, a real, é que essa sonoridade adotada em “I Wait” é quase sempre certeira comigo. Me lembra animesongs, me lembra minha adolescência, toca lá no fundo. Várias coisas deste ano até que me despertaram uma empolgação maior quando ouvidas pela primeira vez, mas acabaram morrendo na praia conforme o tempo passou. Essa aqui ainda me dá calafrios toda vez que a escuto, desde janeiro de 2017, toda santa vez. Quase quatro anos se passaram e “I Wait” ainda soa como um soco no estômago. Uma pena isso ainda ser exceção entre grupos masculinos. Continuando no k-rockish…

03. DREAMCATCHER – CHASE ME

Hora do pódio, então é hora de Dreamcatcher. Engraçado que o que mais funciona em “Chase Me” é o fato dela ser ridiculamente caricata. Isso é, assumidamente, um grupo idol fofinho emulando o “Kawaii Metal” do BABYMETAL, que por si só emula o Heavy Metal, com um pouco mais de produção e capricho estético. Elas retirarem essa sonoridade de um meio que muita gente costuma levar a sério demais (huh, fãs de metal costumam ser insuportáveis, falo por experiência própria de anos de adolescência nisso) e converterem numa bobagem Pop é tão… Legal. E a música é boa, o instrumental é bom, o refrão é uma delícia grudenta, tudinho é inusitadamente divertido. O debut do Dreamcatcher foi um dos bagulhos mais interessantes de 2017 e a existência delas é um sopro de ar weird no cenário coreano. E que bom que elas continuaram firmes nessa leva aí com o passar dos anos. Segundo melhor K-Pop de ano.

02. FAKY – BAD THINGS

MELHOR J-POP

Falei bastante sobre o Faky do decorrer dessa lista, né? Isso porque 2017 foi o grande momento de virada do grupo como um quarteto (que agora é um quinteto, mas ignorem isso). Vários lançamentos ótimos, bem variados entre si, mas sempre seguindo uma estética “europeia” dançante deliciosa de se deixar levar. Em todas as suas representantes, minha favorita foi “Bad Things”, primeiro lançada em japonês como album track do EP “Unwrapped”, depois reciclada em inglês como single internacional no ano seguinte (clipe acima). Eu adoro que ela um amálgama de Disco com Deep House de refrão enlouquecedor, estando em casa tanto numa playlist retrô, quanto numa futurista. Eu escuto isso aqui e me sinto em meio a uma coreografia vogue, numa festa ballroom, cheia de drags cintilantes batendo leques ou coisa parecida. “Bad Things” é poc para caralho, divosa, purpurinada, exala glam, luzes coloridas e todos os demais ícones clubbers que vocês podem imaginar. Foi o melhor J-Pop deste ano, só não pegando o topo da lista porque, huh, sejamos honestos, o ano foi do Loona, né…

01. KIM LIP – ECLIPSE

MELHOR K-POP

“Eclipse” é não só o melhor bagulho do Loona, como o melhor K-Pop que ouvi deste ano. E digo mais, só não coloco isso como o melhor K-Pop que ouvi NA VIDA, acima de “Red Light”, “Abracadabra”, “Genie” e outros medalhões, pois prefiro esperar alguns anos antes de classificar algo numa estatura tão alta e importante assim, porque, porra, eu já devo ter escutado a Kim Lip nisso mais do que deve ser considerável normal em bom senso nesses últimos tempos. “Eclipse” é emocionante, envolvente, arrepiante, empolgante, triste, sensual, esquisita, radiante, melancólica, reconfortante, tudo ao mesmo fucking tempo. Vai ser difícil o próprio grupo se superar. Mas elas já soltaram tanta coisa em nível parecido conforme foram os anos que, genuinamente, nem me preocupo mais. Apenas aprecio o que me é mostrado. Não tem jeito: 2017 foi Loona na cabeça. Casa comigo, Kim Lip. Eu amo você loira, morena, solo, em grupo…

이달의 소녀/여진 (LOOΠΔ/YeoJin) “키스는 다음에 (Kiss Later ...

E, Brasil… Foi isso aí que rolou de melhor em termos asianpopeiros no ano de 2018. 2 a 1 para o K-Pop até então. Concordam? Discordam? Digam nos comentários. Compartilhem também as suas favoritas de tal ano, assim poderei rir de seus respectivos péssimos gostos musicais, tal como vocês fazem comigo.

E caso vocês tenham chegado aqui por meio de algum link divulgado em grupos de Facebook ou Twitter e gostem de descobrir sobre canções mais antigas dentro desse nicho, saibam que vários outros posts especiais relembrando lançamentos de outros anos já rolaram nesse blog. Vocês podem conferir eles em formato de tops para 2019 e 2018, ou em formato de playlist para 200020012002 e 2003.

20 comentários em “TOP 100 | As melhores músicas do asian pop em 2017 [10-01]

  1. Eu realmente tinha esquecido que DDD era de 2017, mas achei justíssimo a posição do EXID aqui. Elas são incríveis.

    E não é que acertei as solistas? Eu não lembrava que tu arrastava Gashina na lama, então foi bem um tiro no escuro vindo da minha parte hahahaha

    Curtido por 1 pessoa

  2. E o melhor é que não foi só a A-side do single da Beiço que foi bom. Twilight até hj é minha b-side/album track favorita ever do LOONA. Não sei se é pq ela é a minha bias, mas eu amo tudo o que essa mulher toca (menos So What).

    Curtido por 1 pessoa

  3. Sofri que Night Rather than Day foi chutada do top 100.

    Btw, top 10 excelente (fora a da charli com a kyary). 2017 está junto com 2011 e 2015 em quesito anos de bops da década.

    Curtir

    1. Isso me fez refletir um pouco sobre a enquete do blog. Se for seguir pra 2016, é um ano meio fraco pro k-pop, mas tem Deus 2015 logo depois. Se for seguir a partir de 2010, o próximo é Deus 2011. Btw, tb seria interessante por voltar pra uma época incrível mas com grupos diferentes dos atuais (mesmo que em 2016 já diminua bastante a aparição de grupos como Loona e Red Velvet).

      Curtir

      1. Fiquei meio surpreso com a maioria de vocês ter votado para continuar descendo a escadinha e fazer um top 2016, por esse motivo aí que tu disse. Foi um ano bem atípico dentro do asian pop, com um monte de bops atemporais saindo no J-Pop (comeback da Utada após mais de meia década “aposentada”, Perfume, FEMM, Ayu, Wednesday Campanella, Daoko, REOL, todos com alguns de seus melhores trabalhos) e o K-Pop sendo bem… meh. Vai ser interessante fazer uma lista com mais da metade sendo ocupada por japas, mas provavelmente não terei audiência nenhuma. lol

        Curtir

  4. Eculips MARAVILHOSA!!!

    Falando em LOONA, hoje descobri que ouvir Hi High na velocidade 1.5 transforma a música num aegyo fritadíssimo, bem mais interessante que a velocidade normal! Fica a sugestão.

    Curtir

  5. vamos lá, escrevendo novamente pois seu site me odeia e simplesmente não enviou o comentário:

    não tem como negar o poder de eclipse, maior acerto da bbc (de longe, ainda salvou a marca loona)

    sendo bem sincero, metade do top eu não conheço, e a outra eu acho bem legal (você não, gashina) só senti falta da trasheira horrorosa q é we like do pristin (descansem em paz)

    Curtido por 1 pessoa

  6. Esqueci de mencionar, mas Eclipse envelheceu tao mal comigo. Agradável, mas… A empolgação inicial caiu uns 90%. A música não evolui nunca e fica na mesma o tempo todo, o que não exclui a memória afetiva de ter salvado o projeto Loona.

    Curtir

  7. Gatilho fortíssimo, tanta música boa que eu não escuto faz anos… Menos Crazy Crazy que amo

    Eclipse 3 anos de muita superestimação, parabéns Kim Beiço

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s