PLAYLIST | Asian Pop 2020: Update de abril

E vamos de atualização da playlist do blog, agora com novas faixas lançadas em abril e mais algumas filhas perdidas de março. O mês não foi lá essas coisas em quantidade. No entanto, quando falamos de qualidade, os poucos releases conseguiram se destacar, fornecendo material o suficiente para ouvir, repetir e não enjoar.

Sem esticar o inesticável, vamos aos comentários faixa a faixa…

01. HA:TFELT, ASH ISLAND – SATELLITE: Baladinha bonitinha da HA:TFELT, que traz vibrações cintilantes em seu instrumental. Adoro também o clipe, bem apropriado para esse momento do mundo, com a Yenny desdobrando um universo próprio em casa. Minha favorita da carreira solo dela pós-JYP e também do mês de abril, junto dessa outra aqui…

02. APRIL – LALALILALA: Flopadas do April FINALMENTE servindo o que grupos femininos da DSP servem tão bem, com as integrantes se jogando num eurodance caprichado para bater cabelo nas pistas de dança e esquecer dos problemas da vida. Primeiro E-Girls, depois IZ*ONE, agora essas aqui. 2020 está espetacular para esse que é um dos meus “concepts” preferidos.

03. GWSN – TWEAKS ~ HEAVY CLOUD BUT NO RAIN: E o grande deep house do GWSN nesse comeback ficou como album track. Não reclamo não, pois a title foi ótima, mas confesso que adoraria ver Maria Regina Bergantes de Cerqueira e Figueira e cia requebrando num vogue safado ao som disso aqui num MV. Vida que segue. Chung Ha me satisfez nesse sentido.

04. CHUNG HA – STAY TONIGHT: Ainda outro bopzão maravilhoso vindo da Chung Ha, que entendeu o que o público quer dela e nos presenteou com “Stay Tonight”, estritamente propícia para carões e jogadas de mão na frente do espelho. Ooh, aquele break final com ela DESTRUINDO na coreografia…

05. HA:TFELT, SOLE – SWEET SENSATION: Ainda na linha dance, Yenny mostrando que também manda bem nessa vertente, entregando aqui o seu próprio jam de “diva feat. DJ qualquer”. Só faltou mesmo uma coreografia para brindar com o pacote completo, mas me contento com essas bobagens hipsters em clipes quando são tão bem feitas assim.

06. APRIL – YOU.ZIP: Acabei não fazendo review, mas o mini do April está uma delicinha, com o grupo deixando as baladinhas fillers merdorrentas de lado e dispondo pancadão atrás de pancadão pros ouvintes. Um dos melhores é esse aqui que fecha a tracklist, que usa piano e alguns instrumentos “clássicos” para brincar com o eletrônico. As meninas do Loona deve estar aos prantos no dormitório da BBC ao descobrirem que não lançarão isso aqui.

07. APINK – DUMHDURUM: Olha, não achei a nova do Apink lá essas coisas não (passa longe de ser, sei lá, top 40 do ano), mas dentro de uma playlist, sanduichada por outras duas melhores e na mesma pegada, é bem útil. Resta torcer para que esse não seja o único retorno do grupo em 2020 e que a nova “Eung Eung” esteja a caminho.

08. GWSN – AFTER THE BLOOM (ALONE): Outra album track ótima do GWSN, que se prova um girlgroup ligeiramente acima do normal nesse sentido a cada novo lançamento. É meio reggaeton, mas com o tempo mais alto e sem tantos maneirismos do estilo. Também poderia ter sido single.

09. SOLAR – SPIT IT OUT: Não entendi isso aqui ser vendido como o debut da Solar, sendo que ela já soltou uma porrada de trecos como solista antes. Se bem que a Hwasa também já tinha “Be Calm” para chamar de sua, mas só “debutou” oficialmente com “Twit”. Enfim, música legal, não? Meio ~genérica~ dentro do que o Mamamoo já fez, mas não é como se isso fosse um problema.

10. APRIL – DOLL: Teve alguém aí que falou que essa aqui era a cara do Cosmic Girls, né? Provavelmente, porque o April não só fez aqui um bom disco/pop que o grupo da Exy costuma fazer em seus álbuns, como utilizou a mesmíssima introdução de crianças brincando presente em Miracle. Ambas as faixas são excelentes.

11. GWSN – BAZOOKA!: Essa aqui é tão gostosinha! É óbvio que as pirralhas do parque passam longe de inventar a roda nesse single, mas o K-Pop colorido e bocó, quando feito corretamente, é quase imbatível. Impossível não se deixar levar. PLAY BAZOOOKAAAA!!1

12. OH MY GIRL – NEON: Outra title que eu dei uma cagada esse mês foi a do Oh My Girl, mas aí nem é por ela ser qualquer coisa, mas por seu ruim mesmo. Mil vezes tivessem escolhido esse pirulito cheio de açúcar oitentista para trabalhar oficialmente. Imagina a Coreia do Sul rankeando uma música boa alto para variar? Que sonho…

13. KYARY PAMYU PAMYU – KAIMATACHI: HAHAHAHAHAHA

14. RINA SAWAYAMA – PARADISIN’: Para encerrar a parte “popzinhos cintilantes” da playlist, vamos de Rina Sawayama fazendo isso instrumentalmente, nos enganando com toda a magia do synth 8-bits japonês enquanto disfarça nessa alegria sonora uma letra extremamente triste e soturna. Ícone.

15. HA:TFELT – LIFE SUCKS: Já a Yenny, nesse sentido, não fez questão nenhuma de disfarçar a negatividade da letra num instrumental fofinho. “Life Sucks” é pra baixo tanto na letra (com ela falando sobre aquele caso bizarro do pai pastor dela abandonando a família e voltando só pra que ela aliviasse um escândalo dele na mídia), quanto no que é tocado ao acompanhamento (um trap “Melanie Martinez” daqueles cheio de camadas esquisitas). Ícone também.

16. APRIL – OOPS I’M SORRY: Risos que o April também foi de swag nesse mini, com a palhaçada debochada delas se desculparem por serem tão gostosas usando um teen-girl-crush que fica no meio entre o que o Red Velvet e o ITZY fariam.

17. CIGNATURE – ASSA: Cignaclones!!1 Outro act “debutando” mesmo já com música no catálogo. Vai entender. Mas que bom que “Assa” ganhou vida, fugindo instrumentalmente um pouco dos vícios que esses novos grupos girlcrush têm enfiado em seus releases. A presença da guitarra, ao fim, faz toda a diferença. Obrigado, Dr. Albieri.

18. KATIE – ECHO: Coitada da Katie. Certamente, deve ter achado que, ao sair da YG, conseguiria promoções de mais afinco, angariando alguns fãs dentro da fatia young adult coreana, mas nem tchum do público. E olha que “Echo” é realmente ótima, divertida de ouvir.

19. (G)I-DLE – OH MY GOD: “Oh My God” me lembra “Lion”, que lembra “Senorita”, que lembra “Hann”. Talvez as produções da Soyeon estejam meio empacadas numa nota só, mas ainda assim consigo curti-las sem me importar tanto com as repetições. Melhor isso que o white aegyo de volta. Só espero que, pra próxima, elas virem o disco, ou a minha paciência acabará se esgotando.

20. RINA SAWAYAMA – DYNASTY: Chegando agora na sequência “rockzão para velhotes” da lista, mais uma da Rina, aqui com um arranjo gótico grandioso de estádio servindo de pano de fundo para que ela fale sobre as cicatrizes que carrega. Bem bonita aos ouvidos.

21. BED IN – WE ARE “BED IN”: HUAHUAHUA com as tias do Bed In firmes nessa proposta Spinal Tap, que não sabemos se é para levar a sério ou se é uma grande piada. Só sei que as músicas seguem espetaculares, com essa faixa de trabalho aí dando de bandeja muito metal virtuoso para sair pulando pela casa.

22. RINA SAWAYAMA – WHO’S GONNA SAVE U NOW?: O bom das faixas da Rina é que elas funcionam tanto para quem dá uma olhada nas letras e entende a proposta temática do álbum, quanto para ouvintes transeuntes que só querem entretenimento. E essa aqui é altamente propícia a entretenimento, recheada de vigor momentos unicamente postos para enlouquecer dentro de um show.

23. BED IN – EVERYBODY: Já essa aqui vai mais prum lado Puffy AmiYumi do J-Rock, soando como se pegassem alguma trilha de Sonic e convertessem num jam pop rockish. É outra que bem que podia ter sido trabalhada como single principal.

24. TOKYO INCIDENTS – THE RED ALIBI: Ai ai, como é bom quando meus desejos de velhote se realizam. Sempre me senti abandonado por o Tokyo Incidents ter parado de lançar trecos justamente na altura da vida quando tenho mais pessoas para falar deles. Sheena Ringo patroa do J-Pop mesmo, levando a banda de apoio para a lua só para alimentar a fanbase. Que troço lindo.

25. RINA SAWAYAMA – LOVE ME 4 ME: Outra pérola agridoce do SAWAYAMA. Esse new jack swing poderia ter sido gravado por qualquer boygroup da SM, mas são as entradas agressivas de guitarra que fazem toda a diferença no fim do dia.

26. BED IN – LIFE DANCE: Esse bagulho aqui parece retirado de algum tokusatsu de oitocentos e trinta e sete episódios, onde era utilizado como tema para aquele inevitável momento em episódio onde os heróis mascarados estão enfrentando os monstros, até que tudo se encerre numa grande explosão na pedreira da Toei. Agora, vamos pros baladões…

27. RINA SAWAYAMA – BAD FRIEND: Um soco no estômago, é assim que eu defino “Bad Friend”. A Rina consegue nela construir toda uma atmosfera entristecida, que atinge o fundo do poço no refrão de vocal distorcido, onde ela declara ser uma péssima amiga. Tocante.

28. HA:TFELT – SOLITUDE: Já “Solitude” é bem o tipo de música que tocaria em algum barzinho caríssimo para executivos blasés que pendurariam o paletó nas costas da cadeira. Boa parte do álbum da Yenny vai nessa linha e, dentre as inéditas, essa é a melhor.

MARAVILHOSA BÔNUS TRACK: RAINYCH – SAY SO (JAPANESE VERSION): Descobri só esses dias que essa sei lá quem aqui soltou um cover city pop em japonês da gostosinha “Say So”, hit naquela rede social de vídeo e danças que vocês jovens utilizam e eu passarei longe. Tá oficialmente disponível nas plataformas todas. A própria Doja Cat, vestida de vaca (?) no Instagram, adorou, gritando um monte de gírias que eu nunca entenderei o sentido, mas que parecem bem sapecas, para descrever o quão espetacular isso ficou. Risos comigo eventualmente colocando isso aqui bem alto na lista de melhores do ano apenas pelo lulz.

E de abril foi isso aí. Quais as favoritas de vocês? As minhas: “Satellite”, “LALALILALA”, “Bad Friend”, “Assa” e “The Red Alibi”.

E me sigam no Twitter novo, feito unicamente para compartilhar os trecos aqui do blog. Não tenho conta em outras redes sociais (deus me livre), então é só lá que os posts são divulgados. =P

5 comentários em “PLAYLIST | Asian Pop 2020: Update de abril

  1. AAAAAAAAA esse mês teve tanta coisa boa, meus ouvidos foram agraciados por bop atrás de bop, obrigado abril por ser esse mês maravilhoso que eu amo (minha obrigação como ariano). Do comevolta do (G)I-DLE eu fico com as b-sides mesmo, infelizmente não curti a música como um todo, só o pré-refrão. GWSN e April serviram EP’s com faixas deliciosas, HA:TFELT nos deu um álbum maravilhoso recheado de música boa e Chungha entregou tudo o que os boiolas (eu incluso) queriam e precisavam mas não sabiam, ansioso pros outros pré-releases e pro álbum.

    Curtido por 1 pessoa

  2. De doou 1 mês para cair de amores por non-stop
    Achei que ia ter a ótima jazz wonderboy do gwsn .
    Gostei que colocou a Rina ai só faltou xs e akasaka sad

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s