Esnobada pela JYP Entertainment no SIXTEEN, Natty debuta solo com “NINETEEN”

Debut solo na praça, de uma tailandesa, com single pop dançante e um talvez shade para o J. Y. Park? Oh yeah.

Confiram NINETEEN, estreia da Natty como solista…

Essa Natty não é bem uma desconhecida dentro do meio idol. Ela participou, em 2015, do survival show “SIXTEEN”, da MNET com a JYP Entertainment, montado para criar o novo girlgroup da gravadora, o Twice (yup, para quem não sabia, o Twice foi o primeiro grande grupo atual formado num reality da MNET), terminando em 12º lugar. De lá, além das 9 vencedoras, saíram também outros nomes em atividade, como a Somi (hoje solista no porão da YG, antes center de sucesso I.O.I) e as irmãs Chaeryeong (ITZY) e Chaeyeon (IZ*ONE). Dois anos depois, ela também participou do “Idol School”, também da MNET, que deu origem ao fromis_9 (Love Bomb hino atemporal), também ficando de fora do line up final.

Se vocês não chegaram a assistir nada disso à época, certamente já devem ter se deparado com esse gif:

Sixteen, o Jogos Vorazes do K-Pop - Ateliê Virtual

Nesse momento, a Natty, ainda uma pirralha de 15 anos, eliminou (?) a Momo com o ridiculamente encantador movimento que faziam no programa, onde puxavam o colar das participantes, deixando tudo num climão delicioso de assistir.

Embora o SIXTEEN tenha ocupado um tópico inteiro do meu TCC de jornalismo e eu tenha assistido esse troço duas vezes para isso, confesso não lembrar de quase nada do que aconteceu nele além de momentos mais cruciais (Somi perdendo, JYP tosquíssimo colocando a Tzuyu e a Momo no grupo final porque deu na telha, a Jihyo sendo chamada de gorda e cantando “All About That Bass” só pelo lulz e por aí vai), mas parte dos comentários acerca desse debut, quando anunciado, era de que essa seria uma justiça tardia, pois a Natty foi injustiçada por não ter entrado no Twice, que ela merecia mais que a Momo e coisas do tipo.

Discordo. E nem estou falando pelo run dela no programa, que já apaguei da memória, mas de como as peças da indústria fonográfica de moveram a partir disso. Convenhamos, a Momo, hoje em dia, é uma das idols mais famosas do mundo, além de uma compositora oficial dentro da JYP (Love Foolish foi feita por ela). E as outras garotas citadas que também perderam o SIXTEEN conseguiram, depois disso, decolar em outros locais, enquanto a Natty não. Não quer dizer que ela não tenha talento, mas que o J. Y. Park e os demais produtores do programa, provavelmente, acreditavam que ela ainda era crua demais para um debut.

Corta para 2020

“NINETEEN” é um ótimo debut, em diferentes níveis de interpretação.

Musicalmente, Natty entrega um popzão funkeado genérico gostosíssimo de ouvir. Tal como a BAZOOKAAA! do GWSN dias atrás, isso aqui não tenta reinventar a roda de maneira alguma, mas acerta em cheio ao, com todos os artifícios já manjados do estilo, ainda conseguir formular um número de aproveitamento e replay factor bem alto. Como não são adotados modismos já desgastados, a audição disso aqui é bem fácil, dando vontade de deixar tocando várias e várias vezes sem cansar.

Visualmente, temos um ótimo MV, bem filmado, com takes externos bonitos de acompanhar (adoro as partes com ela dançando no topo de um prédio) misturados com cenas de estúdio dela com os bailarinos. O urbanismo aqui foge um tiquinho do que o K-Pop vem entregando ultimamente em clipes, dando a ela um diferencial interessante de olhar.

E metaforicamente também está muito legal. Não sei quem foi que escreveu essa letra, mas é bem fácil pegar as alfinetadas aqui. A começar pelo título, utilizado algumas vezes ao longo da música, onde ela diz que estava procurando pelo seu próprio “NINETEEN” (já que não conseguiu o que queria com o “SIXTEEN”, pegaram a referência?), esticando isso para outros versos, onde diz que, quanto maior o sonho (debutar pela JYP), mais difícil o caminho (ser chutada no reality), que precisa olhar nos próprios olhos para se consolar, e o dramalhão apetitoso segue. Isso é ampliado também pelo MV, com passagens de dupla interpretação bem espertas (o momento onde ela olha um urso de pelúcia numa máquina, sem poder tirá-lo; ela correndo atrás de si mesma; ela se encontrando num baú cheio de VHSs, dentre outros). É claro que o “19” aqui pode ser lido como a idade atual dela, enfim desabrochando para a vida e debutando solo, mas come on, vocês não aproveitariam a oportunidade para fazer o mesmo? Eu sim.

farah 1 | Tumblr

~nattyverse~

“NINETEEN” é um debut divertidamente rancoroso e refrescantemente gostoso de ouvir. Já está no replay aqui. Tomara que mais coisas legais venham da Natty daqui em diante. Quanto mais boas solistas nesse meio, melhor para mim como ouvinte.

7 comentários em “Esnobada pela JYP Entertainment no SIXTEEN, Natty debuta solo com “NINETEEN”

  1. Sério que tem gente que reclama da Momo ter entrado no TWICE? Pra mim, a integrante sobrando no grupo sempre foi a Dahyun (e a Tzuyu, mas a beleza dela é coisa de outro mundo, então a gente aceita)…

    Afinal, o que seria do TWICE sem o sex-appeal da nipônica trindade? Sana e Mina sozinhas não teriam o mesmo efeito.

    Curtir

      1. Mas musicalmente não dá pra desprezar os raps papapum de Chaeyoung Minaj, uma das mestras do rap idol trash (juntamente com Cardi Go Won)…

        Curtir

      2. Chaeyoung e Dahyun são as duas rappers do grupo, não dá pra falar que são dispensáveis. E a Chaeyoung é a sapatão do grupo.

        Curtir

  2. O debut dessa fofolete é muito bom. Fico feliz com o fato da música não condizer em nada com os teasers sem graça. E sim: a gatinha amadureceu, JYP! Aceita que dói menos…

    P.S.: Torcendo pra gatinha fazer fama internacional!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s