Raspa no tacho (24/05): Agust D (sei lá quem do BTS), REDSQUARE, Yubin, NCT 127 e outros

Aquele amontoado de trecos que saíram recentemente, mas que não reúnem material o suficiente para sustentar posts solos…

[ REDSQUARE – COLOR FULL ]

Esse aqui é o único da lista que realmente valia um post solo, mas como quero chegar na Elite 4 de Pokémon Crystal ainda hoje, vamos de resuminho em dois parágrafos. REDSQUARE é o grupo formado pelas meninas que pularam fora da C9 Entertainment após a implosão do Good Day (as que ficaram, formaram o icônico Cignaclones), junto de uma outra trainee qualquer, com essa “Color Full” servindo de debut. E eu curti bastante o resultado.

Os produtores conseguiram extrair algo interessante com a estética girlcrush, mas apostando numa sonoridade que me remete mais à números retrôs que quase ninguém mais faz no K-Pop. A mistura de vocais cantados com os de rap e essa percussão marcando a canção toda, me traz vibes de After School lá pelo início da década passada. O MV também é bem bonito de assistir. E embora eu ache que a música acabe muito bruscamente (faltou aquele verso diferente do resto depois do segundo refrão, para que aí o refrão voltasse ao fim com elas gritando gostoso), o pacote todo é bem aproveitável e diferente do que outros girlgroups têm entregado esse ano. Bom debut. Tomara que tenham dinheiro para mais uns comebacks.

[ SECRET NUMBER – WHO DIS? ]

Já esse debut aqui eu achei bem de mediano para baixo. O safonone Laysha (lembram delas?) é interessante, mas o visual é bem passável, enquanto as melodias são pouco grudentas e os vocais das meninas não “estouram” quando necessário. Não to dizendo que as cinco precisavam se esganiçar ao máximo no microfone, tipo aquele grupo da Woollim que eu já esqueci o nome, mas esses pretensos pancadões necessitam de uma interpretação mais energética que a linearidade apresentada aqui. Chega na metade da track e eu já estou de saco cheio. Fãs da gatinha ex-YG/ex-Pink Punk/ex-Produce 48, que acham que vão salvar a vida dela aclamando no Twitter aqui do Brasil, lamento por vocês esperarem tanto para precisarem fingir que gostaram disso.

[ YUBIN – YAYA ]

Yubin parece bem feliz e satisfeita por seguir solo, abrir sua própria gravadora e não precisar mais se submeter aos calendários apertados da JYP Entertainment dessa nova geração. Só é uma pena que ela tenha escolhido uma faixa tão nota 6,5 como seu primeiro single independente, pois a persona idol 80s que ela executava antes era muito mais legal (“Lady” e “Thank U Soooooo Much” seguem como dois dos meus capopes favoritos da década passada). “Yaya” não é ruim, a ouvida é bem gostosinha, mas não tem muito apelo para repetir à longo prazo. Próxima…

[ MINZY – LOVELY ]

Outra gostosa da era de ouro que conseguiu sair solo após uma promoção cagada dentro de outra gravadora e resolveu apostar num single soft demais para fazer barulho de verdade. “Lovely” é bonitinha e não faz feio dentro das limitações de um número inspiracional ao violão, mas puta que pariu, Minzy, toma vergonha dessa cara e solta um farofão que possa explorar suas habilidades como dançarina – e ainda alimentar a fanbase de idosos blackjacks que estão há anos esperando trecos que prestem de você e do resto do 2NE1. Alguém na Coreia do Sul vai ouvir? Não. Mas aposto que consegue angariar uns views internacionais no YouTube para comprar duas coxinhas e um suco de caju no fim de semana.

[ RYU SEJEONG – TIGER EYES ]

Como eu só acompanhei o Queendom pelas músicas que saiam, não estou entendendo direito o porquê de a gravadora do Lovelyz não ter investido numa promoção massiva delas após sua participação no programa, algo que rendeu bons frutos ao (G)I-DLE, ao Mamamoo e, recentemente, ao Oh My Girl. A popularidade delas foi baixa assim para que fossem empurradas pra baixo do tapete enquanto duas meninas ganhassem debuts solos? Puxa.

“Tiger Eyes” traz uma porção de acertos como música. Elas aposta num arranjo uptempo mais calcado no EDM, coisa que anda em falta na cena coreana, com a Sejeong servindo um vocal sussurrado condizente com a proposta mais “misteriosa”, “dramática”, “circense” que a track evoca do início ao fim. É ótima de ouvir, sendo fácil a minha favorita dessa lista aqui. Só é uma pena que, em tela, a Sejeong faça meio feio em vender essa proposta, me parecendo meio deslocada com esse visual sexy, mal sabendo onde colocar os braços. As locações feiosas não ajudam em nada (wtf os takes dentro de uma sala de interruptores).

[ VICTORIA – UP TO ME ]

Olha, eu estou meio perdido nas carreiras das ex-f(x). Quem arregou e ainda tá na SM e quem tocou o foda-se e pediu pra sair, mesmo sabendo que a carreira estará acabada por “trair” a gravadora, que impedirá canais de TV e estações de rádio de tocá-las daqui em diante? A Victoria não tinha desistido da vida de cantora e fugido pra mãe China para trabalhar como modelo e fazer umas pontas de atriz aqui e ali? Estou confuso.

“Up To Me” é bacaninha, mas tal como rolou com o debut do Secret Number mais acima, acho que o instrumental pedia uma interpretação vocal mais intensa Sistar em “Give It To Me” do que essa coisa comportada aí. Ela não é estragada e a audição ainda é bem satisfatória, mas o que poderia ser um top 10 no fim do ano certamente não passará de um top 86. O resto do álbum tá melhor?

[ RAINYCH – PLASTIC LOVE ]

Aquela menina da Indonésia que estourou com um cover japonês da ótima “Say So”, da Doja Cat, com ainda outro cover, dessa vez do clássico “Plastic Love”. Tá uma graça.

[ NCT 127 – PUNCH ]

Bacana que o NCT 127 é o NCT de maior sucesso, que vende pra caralho e por aí vai, mas essa “Punch” é tão boygroup sombrio 101 que, quando termina, eu sequer me lembro de como foi. Passo.

[ D-CRUNCH – PIERROT ]

Idem, com o porém de que isso aqui não fez sucesso.

[ AGUST D – DAECHWITA ]

Os caras do BTS são tão parecidos entre si (parece que a Big Hit pegou um template de rosto e mandou que o cirurgião plástico replicasse pros sete) que não tenho ideia de qual é esse aqui e se ele já tinha lançado coisa antes (é o tal do Jimin, ou o Rap Monsta?). MV ótimo para uma música que qualquer um lançaria, o que é algo ruim para um grupo de tanto sucesso.

Ficou faltando comentar as apresentações das minas do rap naquele reality novo da MNET, mas achei melhor fazer um post separado pra isso. Sai ainda hoje. Flw vlw.

10 comentários em “Raspa no tacho (24/05): Agust D (sei lá quem do BTS), REDSQUARE, Yubin, NCT 127 e outros

      1. Saber diferenciar os integrantes do principal grupo de kpop do mundo, quiçá da história, acho que é o minimo que se espera de alguém que vá comentar kpop, não é mesmo.
        Espero portanto que sua postagem tenha sido apenas ironia…porque se não..a credibilidade pra falar qualquer coisa vai lá pro chão, mesmo.

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s