Heize, “Lyricist” e outras bossas novas no K-Pop

Heize retornou ontem (10) com Lyricist, seu sexto mini-álbum de estúdio, divulgado com o lead single de mesmo nome abaixo:

Sei que sou minoria nessa bolha, mas gosto bastante da Heize como artista. Das participantes do finado “Unpretty Rapstar”, ela foi a que, a longo prazo, se mostrou mais estável em questão de qualidade de releases e sucesso com o público. Adoro seu timbre vocal e vejo a maneira mais passional dela cantar como um diferencial no nicho de “artistas consumíveis por universitários coreanos”. Com poucas exceções, sua voz e figura conseguem elevar a qualidade de uma demo como poucos.

“Lyricist” é uma delícia, já ouvi umas trinta e sete vezes de ontem para hoje. Além disso, ela segue uma moda estranhamente interessante que muitos cantores sul-coreanos já vinham apresentando há bastante tempo, mas que parece ter se intensificado esse ano: a inspiração na bossa nova.

Não tenho a mais remota ideia do porquê de diferentes produtores e compositores da Coreia do Sul serem influenciados pela bossa nova (talvez por trilhas sonoras de filmes europeus?), mas foram vários os singles e album tracks mesclando o estilo aqui do Brasil com outras influências mais atuais. Alguns exemplos:

Zico – Any Song (2020)

Vocês fizeram mais barulho por essa aqui barrar o BTS nos charts, mas “Any Song” segue como uma das coisas mais gostosinhas de ouvir desse ano. O instrumental bebe bastante da bossa nova, mas com uma interpretação mais urban dos signos todos comuns ao estilo.

SOHLHEE – Lady (2020)

Para essa, não teve barulho nem aqui, nem na Coreia do Sul, mas é mais ou menos como a do Zico acima, utilizando a bossa nova como “atmosfera” para o arranjo. Uma graça.

HA:TFELT – Pluhmm (2018)

Yenny sendo deliciosa e usando os elementos da bossa para dar sensualidade a seu single. Combina bastante com o vocal mais bêbado que ela gosta de interpretar.

Lovelyz – Night and Day (2017)

Fácil a album track mais inusitada do catálogo do Lovelyz. Sou apaixonado pela levada da guitarra aqui e pela maneira como o instrumental vai adquirindo elementos a cada nova seção. Dá até pra sambar no refão.

Mamamoo – Words Don’t Come Easy (2016)

Em seu início de carreira, o Mamamoo tinha como meta não oficial utilizar vários estilos da música negra em seus releases. Quando enfim soltaram seu primeiro LP, rolou essa bossinha sussurrada sexy aqui, que é como um pillowtalk de quase quatro minutos. Uma pérola que quase ninguém costuma lembrar ao referenciar o quarteto.

Girls’ Generation – One Afternoon (2015)

Yup, até o Girls’ Generation tem o seu exemplar de bossa. Não sei vocês, mas acho que esse álbum delas de 2015 envelheceu muito bem. Ele atira para MUITOS lados, mas acerta em quase todos. O piano que entra depois do primeiro refrão é lindíssimo. A produção é do MonoTree, que fez parecido com ainda outro girlgroup da SM no mesmo ano…

Red Velvet – Day 1 (2015)

Muita gente deixa essa que é uma das melhores faixas do emblemático “The Red” passar despercebida, o que é um crime! É como se o “samba para gringo ver” da Carmen Miranda tivesse um neném com o rock’n’roll dos anos 50.

IU – Obliviate (2013)

Em 2013, IU montou um álbum inteirinho baseado em estilos musicais considerados antiquados, o “Modern Times” (tá na minha lista de melhores da década, junto com o “The Red”, do Red Velvet acima). Minha preferida nele é essa loucura meio brasuca, meio hispânica aqui.

Lim Kim – Drunken Shrimp (2013)

A Lim Kim meio que estragou a carreira se levando a sério demais nuns releases recentes. Mas entre 2013 e 2015, rapaz, era bop atrás de bop, com ela mandando bem não só com os singles, mas destruindo tudo nas tracklists de seus discos. “Drunken Shrimp” faz a mesma mistura de Américas portuguesa e hispânica da IU em “Obliviate”, mas com uma malemolência ainda maior na hora de cantar. Ouço e me sinto com um chapéu Panamá, andando num carro conversível, em Copacabana, nos anos 50, junto de várias putas que irão levar todo meu dinheiro quando eu adormecer. Um clássico.

Faltou alguma? Digam aí nos comentários!

Sigam o Miojo Pop em sua nova conta de Twitter: @MiojoPop. E sigam também este que vos escreve: @igorlunei

6 comentários em “Heize, “Lyricist” e outras bossas novas no K-Pop

  1. Olha, obrigada por essa playlist. Apesar do meu ranço irracional com bossa nova por ser música de elevador de hotel cinco estrelas, curto a xaropada que é essas músicas para universitários coreanos e cafeteria para classe média alta, além disso minha vida atualmente é escutar lofi coreano para trabalhar em casa, então essa playlist veio em uma boa hora. E Any Song é boa demais, ainda mais considerando a letra e o clipe.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s