Raspa no Tacho (28/08): KARD, Sunmi, Oh My Girl e outros capopes recentes

Na verdade, algumas dessas músicas aí bem que mereciam post solo quando saíram, mas eu estava ocupado demais com uma coleção de livros do Sherlock Holmes recém adquirida…

[ KARD – GUNSHOT ]

Não sei vocês, mas essa aqui me passou uma impressão meio “Kill This Love” em sua construção instrumental. Ela vai adquirindo força “marcial” nos versos, até que surge o refrão mais atacado e, no fim, rola um drop. Eu gosto de “Kill This Love” e gostei de “Gunshot”. Ponto pro KARD, que tá aí com seu segundo comeback realmente bacana em 2020.

[ OH MY GIRL – BARA BAM ]

Uma música infantil bem bonitinha e em linha com o que esses números costumam proporcionar. O refrão é legalzinho e, honestamente, o Oh My Girl serviu mais entretenimento aqui do que em seu último comeback oficial.

[ JENYER – BAD ]

Não dava muito por esse retorno da Jenyer pós-4MINUTE, pois seu debut solo tinha sido tão qualquer coisa com aquela baladinha aguada que eu tinha até esquecido que ela ainda estava tentando carreira como cantora. Felizmente, ela deixou o conceitinho de lado e resolveu se jogar num número para as pistas de dança, o que casa bem mais com a persona-mina-gostosa que ela já vende há mais que uma década. Pra mim, uma das faixas mais interessantes desse mês, hein.

[ SUNMI – BORDERLINE ]

“Presente para os fãs” de luxo da Sunmi, que montou um MV para essa faixa que ela não chegou a lançar oficialmente (sei lá o motivo), mas já havia performado em alguns shows. O modo como a guitarra é levada é bem instigante, trazendo ao arranjo uma onda viajada que lhe caiu como uma luva.

[ J. Y. PARK X SUNMI – WHEN WE DISCO ]

Um clipe muito legal para uma música muito bacana do J. Y. Park, que costumeiramente traz alguma grande gostosa para seus releases, dessa vez convidando a Sunmi, com quem ele parece ter uma relação muito boa, mesmo ela tendo aprontado um monte dentro da gravadora (ficou anos fora, quando voltou, não voltou pro Wonder Girls, quando voltou pro Wonder Girls, não renovou o contrato, etc.)

[ BOYHOOD – RETRO LOVE ]

Dica excelente do Aquário Hipster. É mais um act emulando synthpop 80s muito bem (ele sampleou A-HA?), de quebra, com um refrão realmente chiclete.

[ BOTOPASS – FLAMINGO ]

Essas nugus estiveram envolvidas em outro desses escândalos de bullying, com uma das integrantes acusando elas, ou a empresa, ou todas acusando a empresa, aí vai rolar processo, ou algo assim. Pra ser honesto, quando a música não é tão interessante, as histórias de bastidores não me chamam tanto a atenção. Btw, “botopass” não é uma gíria para boquete?

[ ONF – SUKHUMVIT SWIMMING ]

Meio bagunçada, meio “KoKoBop”, mas não é ruim não.

[ ONEUS – TO BE OR NOT TO BE ]

Que cocô. Parece que costuraram 7 músicas numa só – e digo isso não no sentido ITZY, mas no mal sentido mesmo.

[ MCND – NANANA ]

Já ouvi essa música antes, anos atrás, em duas outras oportunidades: com a Jimin ofendendo a família conservadora coreana na primeira temporada do Unpretty Rapstar em Puss e com a Yezi ofendendo a produção da segunda temporada do Unpretty Rapstar por ter sido roubada em Cider. A versão do MCND não amarra os sapatos delas duas.

[ CRAVITY – FLAME ]

Esses aí deviam começa a puxar um ferro, assim ficariam mais em linha com seus irmãos mais velhos: músicas chatíssimas, mas abs em dia.

[ ATEEZ – THANXXS ]

Bem boygroup 101, mas não é ruim. Tem um refrão bacaninha, os signos “indianos” na backtrack trazem uma estranheza interessante. Vou pensar se boto essa ou a do ONF na playlist desse mês.

Isso aí por hoje. Ainda antes de montar a playlist, trago outro pacotão, mas com os vários releases japas que saíram ultimamente. Até lá.

Sigam o Miojo Pop em sua nova conta de Twitter: @MiojoPop. E sigam também este que vos escreve: @igorlunei

11 comentários em “Raspa no Tacho (28/08): KARD, Sunmi, Oh My Girl e outros capopes recentes

  1. Achei que ia falar de K/DA kkkk

    Mas, não sei se conta como capope mesmo tento mais linhas em coreano que aquela versão de “Chewing Gum” das pretos rosas (ps: é muita maldade dizer que não sabia que kard ainda exista?)

    Curtir

  2. Adorei Retro Love porque amo faixas com essa vibe anos 80. Serviu para limpar meu paladar musical depois da nova do Blackpink.

    A qualidade e consistência dos releases da Sunmi me impressiona, eu nem suporto o JYP e ouvi a faixa inteira só por causa dela. O poder, né.

    Curtido por 1 pessoa

  3. A música do KARD é legal, mas confesso que prefiro as músicas mais “exóticas” deles (You In Me, Bomb Bomb, Don’t Recall, Rumor…).

    Voltem com a apropriação cultural, KARD, por favor!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s