Guarnições #02: a melhor do pior mini do Red Velvet, a melhor do melhor mini da IU e umas delícias de b-sides japas pra vocês!!1

Aposto que vocês acharam que eu ia esquecer, né? :V

“Guarnições” é um termo almofadinha da gastronomia para os famigerados e adoráveis acompanhamentos dos pratos: não são o principal do consumo, não é por eles que o dinheiro é colocado, mas caso bem montados, acabam fazendo toda a diferença na degustação final. No mundo do asian pop, isso se reflete nas album tracksb-sides de lançamentos.

Nessa coluna, a proposta é, sem muito critério além de “eu gostar”, panfletar algumas dessas faixas que não foram trabalhadas como single, mas que seguem valendo a audição conforme os anos foram passando. Essa semana, mais dois capopes e dois jotapopes, começando pela melhor música do pior mini do Red Velvet…

Red Velvet – Cool Hot Sweet Love (2016)

Esse primeiro comeback do Red Velvet em 2016 foi esquisitíssimo. No ano anterior, elas estouraram com “Ice Cream Cake”, “Dumb Dumb” e toda aquela louruca de coisas relacionadas ao grupo, como os lados “red” (mais maluco) e “velvet” (supostamente dark e sensual), que se concretizou no lançamento do álbum “The Red”. O follow-up, então, foi o “The Velvet”, que saiu como um EP e, mesmo trazendo um punhado de faixas que fariam sentido na história construída de essa ser uma vertente “sexy” do grupo, preferiu apostar em “One Of These Nights” (que eu gosto) como title, um baladão romântico, mas que fizeram a estupides de enfiar uma “homenagem” a mortos num naufrágio tempos antes no MV e na capa do mini (a Yeri aparece desfocada, porque a maioria dos passageiros que faleceu no acidente tinha a faixa etária dela).

Por mim, elas só teriam investido em “Cool Hot Sweet Love” como title e pronto. Ela traz tudo o que viria a ficar como marca registrada do front não-aegyo do quinteto em singles como “Bad Boy” e “Psycho”, mas feito, em minha opinião, com um pouco mais de ousadia e elementos que a tornam mais grudenta na cabeça. Eu adoro a harmonização do refrão enorme, adoro os “co-co-cool ho-ho-hot sweet looove” que são repetidos em vários momentos. Um jam mal aproveitado ao extremo, o que é uma pena.

IU – Glasses (2015)

Falei ontem que, entre as várias personas artísticas da IU, a minha predileta é a mais ousada e desbocada do meio da década passada. Nessa, um dos seus auges musicais é “Glasses”, faixa que encerra o mini-álbum “polêmico” que ela soltou em 2015. Na letra, ela encarna uma personagem sínica, desinteressada nos problemas da vida, que propositalmente se aliena e evita observar as falhas ao seu redor (antes do refrão, ela admite que não quer “colocar seus óculos” e enxergar).

Para isso, ela entrega um instrumental bastante esquisito, que tem no violão um guia mais “patetão” e debochado nos versos, mas virando em 180° quando surge o refrão, sendo mais agressivo, sombrio e teatral. “Glasses” é um dos pontos mais altos do catálogo da IU, ainda que esteja bastante escondido e pouca gente fora da fanbase se importe muito com sua existência.

E-Girls – Hey! You! (2015)

Já teve o sexy injustiçado, já teve o conceitinho, agora é hora da farofaaaa! A galera velha de guerra da blogosfera fundo de quintal vive falando o E-Girls, de como, assim como o Red Velvet, elas tinham isso de dois lados (aqui era oficial, separado em “Sweet” e “Cool”, ou algo assim), de como elas destruíam TUDO nesse segundo, com pancadões de boate para quebrar o cu até o chão durante toda a noite.

Pois bem, servindo de b-side para “Dance Dance Dance”, um dos meus singles favoritos delas, rolou essa “Hey! You!”, que entrega exatamente o que descrevi acima. Ouvi-la hoje é como retornar praquele momento dos anos 2000 onde uma porrada de DJs europeus invadiu as rádios com EDM crocantes que deixariam qualquer um descompensado ao final de sua duração. Cliquem acima, ouçam e não deixem suas perucas voarem.

Tommy February6 – Is This Feeling Love? (2005)

Por fim, resolvi voltar bem no passado, pruma época onde os acts japoneses alimentavam muito bem a fanbase de otaquinhos que catava mp3s em comunidades de Orkut para juntar repertório em aparelhos à pilha com menos de 100mb de espaço. O bom disso é que não preciso sentir saudades dessa época, pois as músicas estão todas por aí hoje em dia, onde as coisas são tecnologicamente bem melhores. Ahein.

Ainda devo falar mais dela por aqui em algum momento, mas “Tommy Februrary6” é um dos stage names da Tomoko Kawase, vocalista de uma banda japonesa chamada The Brilliant Green, que fez muito sucesso entre o final dos anos 90 e o início dos 2000. Ela se separa em diferente personas musicais, com a February6 sendo a responsável por releases fofinhos inspirados no synthpop dos anos 80 (muito antes da Dua Lipa).

“Is This Feeling Love?” é b-side do single de Lonely In Gorgeous, que serviu de tema para o anime “Paradise Kiss”. Sou completamente apaixonado por esse baladão que facilmente poderia tocar de madrugada numa Sulamérica Paradiso ou Antena 1 da vida. Uma das minhas favoritas em tal década, viu (um dia ainda faço o tão prometido top 100 dos anos 2000 aqui).

É isso. Semana que vem tem mais. Bjokas. Kandy Muse chata pra caralho. Juliette chata pra caralho também. Flw vlw.

7 comentários em “Guarnições #02: a melhor do pior mini do Red Velvet, a melhor do melhor mini da IU e umas delícias de b-sides japas pra vocês!!1

  1. Red Velvet, rainhas que não erram nem nas b-sides!

    Aliás, você viu que além do Aespa debutar com quatro integrantes e um single digital, a SM vai ter a pachorra de dar um remake pras meninas igual fez com o RV em Be Natural…

    Isso sem contar na teoria dos fãs de que a empresa vai adicionar mais integrantes no line-up…

    Curtido por 1 pessoa

  2. Qualquer coisa com vibe 80s = tudo para mim (e ler Lonely in Gorgeous só me fez lembrar de Nana e da saudades que eu sinto da Ai Yazawa… Inclusive, a OST de Nana resistiu à passagem do tempo e até hoje considero uma das melhores do mundo dos animes, ai ai, saudades)

    Gosto muito de como o RV sempre tem ótimos lançamentos no R&B: Cool Hot Sweet Love, Kingdom Come, Automatic, Perfect 10, Body Talk… Apesar de explorarem muitos gêneros, elas sempre têm essa “marca” registrada. Também gosto das músicas mais oitentistas tipo Ladies’ Night, com uma vibe meio city pop.

    E a IU só é a IU lançando essas músicas quirky, baladinhas mornas eu não aguento não, viu – apesar disso, todos sabemos que Jam Jam continua sendo a B-side superior dela.

    Curtir

  3. Puxa vida, toda vez que me lembram do The Velvet eu sinto vontade de chorar. Pelo menos rendeu Cool Hot Sweet Love mesmo, que é uma das minhas faves. Quando chega no refrão eu vou pra outra dimensão e volto pra terra com os “cool, cool, rá, rá, sweet, sweet love…” Se tem uma coisa que as boludas fazem bem (juntamente com serem as secretárias do the monio), é cantar bem em conjunto. Sim, eu vim pra rasgar seda.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s