Raspa no tacho (31/01): Dreamcatcher, IZ*ONE, Kyary Pamyu Pamyu, iKON (o Bobby, no caso) e mais

Toda semana, uma porção de trecos saem e, por algum motivo, como falta de relevância para encher um post inteiro, ou falta de tempo deste que vos escreve, acabam não dando às caras aqui quando deveriam. Juntem isso tudo num lugar só e, plim, temos a raspa no tacho (a última do mês de janeiro, uhul).

[ Kyary Pamyu Pamyu – Gum Gum Girl ]

Eu não esperava um single da Kyary ser tão bom à essa altura do campeonato não. O interessante é que a sonoridade é MUITO Kyary num geral, naquilo de parecer uma cantiga infantil eletrônica e perturbadora, mas o clipe está bem mais afiado e “atual” que as peripécias propositalmente toscas que ela soltava anos atrás (e eu amava, não me entendam errado). Será que devo esperar algo de bom do Perfume para esse ano também?

[ Faky – The Light ]

Olha, vocês vão estranhar, mas eu achei esse aqui o single mais “japonês” do Faky em todos os tempos. Esse tipo de sonoridade retrô “envelhecida” me remete muito a bandas mais “adultas” de lá, que às vezes acabam colaborando em algum anime para OSTs mais animadinhas e funky. Por mim, tudo ótimo! Gosto muito do Faky farofeiro ocidentalizado e também curti muito esse Faky mais em linha com o que outros grupos fazem em casa.

[ FEMM – Come and Go ]

Olha a avex mandando uma grana não só para o Faky, mas também pro FEMM. Que será que deu neles investindo em acts flopados? “Come and Go” é muito bacana e retoma com louvor a sonoridade EDM do primeiro álbum da dupla. E eu amo o primeiro álbum delas, então adorei isso aqui.

[ Dreamcatcher – Odd Eye ]

Do ano passado para cá, o Dreamcatcher tem mesclado em seu “aegyo-metal” alguns outros elementos sonoros. Em “Scream”, rolou um pulinho no EDM, em “Boca” nuns segmentos latinos e agora em “Odd Eye” (huahuaua, essas orbits) sinto umas influências daquele urban tryhard  de oppas como NCT e etc. Casou legal e, novamente, o grupo serviu mais outro bop para nós. Btw, o álbum também está ótimo. Ouçam.

[ IZ*ONE – D-D-Dance ]

Eu jurava que o IZ*ONE já estava com os dias contados para disbandar e que só veríamos mesmo o eventual baladão horrível de despedida delas, mas as rainhas da bandidagem ainda descolaram um CF prum app qualquer que não me dei ao trabalho de pesquisar sobre, aleatoriamente entregando um garage house gostosinho que estaria em casa no repertório do GWSN. E pensar que elas guardaram uma de suas melhores demos em todos os tempos para ser queimada fora de um comeback oficial. Que zona.

[ Pink Fantasy – Lemon Candy ]

Sigo sem enxergar qualquer apelo nessas nugus que vocês ficam panfletando. Pra mim, “Lemon Candy” é uma “Ice Cream Cake” ruim.

[ DALsooobin – Sign ]

Eu não estou acompanhando esse programa lá das idols de várias gerações juntas produzindo seus grandes hinos solos não. Tá legal? Tem mais coisa boa sendo feita com as demais meninas? A mina do Stellar soltou um aegyo? De qualquer forma, essa “Sign”, da Subin (ex-Dalshabet) é uma graça. Eu tenho um fraco por midtempos sensuais, vocês sabem disso. E o vocal rouco dela torna tudo ainda melhor. Podia ter rolado um MV junto, seria icônico.

[ U-KNOW – Eeny Meeny ]

Follow-up do comeback do U-KNOW. Pra mim, tão legal quanto “Thank U”. Me lembra as músicas boas do Charlie Puth depois que ele perdeu a virgindade.

[ Bobby – U Mad ]

A culpa dessas merdas é de vocês, que ficam dando apoio à YG.

Treco ocidental da semana: Lasgo – Out Of My Mind

Não deve ter rolado nada de muito interessante no pop ocidental dessa semana para comentar aqui não, já que nada furou a bolha e chegou na minha timeline, despertando vergonha alheia o suficiente. Então, fiquem aí com esse clipe do Lasgo que o YouTube resolveu me indicar essa semana. “Out Of My Mind” é o puro suco do pop eletrônico dos anos 2000: um farofão de um grupo europeu (da Bélgica), mas cantado em inglês, com um refrão implacável, que não sai da cabeça (rá!), além de um vídeo berrante colocando gostosas sem roupa para rebolar em figurinos questionáveis. Era assim que nos divertíamos nessa época, garotada.

Faltou alguma coisa ou já posso montar a playlist de janeiro?

11 comentários em “Raspa no tacho (31/01): Dreamcatcher, IZ*ONE, Kyary Pamyu Pamyu, iKON (o Bobby, no caso) e mais

  1. “Olha, vocês vão estranhar, mas eu achei esse aqui o single mais “japonês” do Faky em todos os tempos”

    Não vou estranhar porque tive exatamente essa mesma impressão. Essa música é j-pop puro, e caberia perfeitamente como encerramento de terceira temporada de algum anime por aí.

    “Olha a avex mandando uma grana não só para o Faky, mas também pro FEMM”

    Acho que pro FEMM a avex não mandou grana, não, porque esse MV delas GRITA baixíssimo orçamento. E olha que nos MVs anteriores elas conseguiam fazer parecer que os vídeos tinham orçamentos bem maiores do que realmente tinham, mas esse aí tá assustadoramente pobre. Mas a música (que também não deve ter tido grande investimento, como tudo na carreira do FEMM) realmente ficou ótima.

    “Pra mim, “Lemon Candy” é uma “Ice Cream Cake” ruim”

    Não culpo você; gosto pra caramba do PinkFantasy, mas essa música realmente ficou muito ruim. Parece que tecnicamente ela era pra ser só uma B-side do próximo single delas, mas aí a CEO da agência (que algumas pessoas especulam que seja a moça mascarada) quis lançar MV e colocar elas pra divulgar em music shows mesmo assim. Considerando a forma como ela vem conduzindo o grupo, não conseguindo manter a mesma formação por mais de um MV (já estão quase alcançando as Pocket Girls), não me surpreende. Mas é uma pena.

    Curtido por 2 pessoas

    1. Isto posto, Playing House ainda é minha música aegyo favorita já lançado por um girlgroup de k-pop (apesar de não ser exatamente aegyo – e talvez EXATAMENTE POR ISSO).

      Curtido por 1 pessoa

      1. …Pensando melhor, esse é minha SEGUNDA música aegyo favorita; a primeira é essa aqui:

        (se bem que eu tinha dito “música aegyo favorita já lançada POR UM GIRLGROUP”, e BB é solista em Everyday I Love You, então acho que nem precisava da correção)

        Curtir

      1. Teve e ela é como o Bruno do finado Asian Mixtape descreveria: “agradável, porém esquecível”.

        Achei legalzinha, mas mesmo tendo escutado três vezes, confesso que já nem lembro mais como é a melodia ou o que a Anitta canta nela. Lembro que ela aparece na neve com um biquíni enfiado na bunda (o que me fez admirar ela se colocar em risco de hipotermia pra render no videoclipe), e… basicamente isso.

        Curtido por 2 pessoas

  2. pior que eu não curti essa do dreamcatcher não.. último comeback que eu curti delas foi o raid of dream e foi mais por silent night que por deja vu.

    e esses dias o txt descolou mais uma musica pra opening de algum anime, e não é melhor que everlasting shine, mas dá pro gasto

    Curtido por 1 pessoa

    1. aliás, pelo menos dessa vez a bighit teve a decência de colocar uma intro E uma outro pra completar 10 músicas e não lançar outro full de 8 igual fizeram na coreia

      Curtido por 2 pessoas

  3. Seria muito legal se faky conseguisse o desflope, gosto muito da sonoridade delas. Amei a homenagem que o dreamcatcher fez ao loona. Femm melhorando o repertorio depois de tempos.

    Curtir

Deixe uma resposta para MIOJO POP Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s