Time Machine: o ápice do iKON em “Dumb&Dumber” e “What’s Wrong?” (2015)

Ontem eu falei sobre o “MADE” do BIGBANG ser significativo, dentre outras coisas, pela “passada de bastão” que 2015 significou ao grupo na YG, sendo também um reflexo ao que ocorria no K-Pop naquela época. Nada mais justo, então, dar continuidade a esse recap de seis anos atrás falando daqueles que “substituíram” o BIGBANG.

Dos SETE singles lançados pelo iKON nessa fase de promoção do primeiro LP deles, talvez Dumb&Dumber e What’s Wrong? sejam os menos importantes em questão de popularidade. Mas aí já é hábito do público coreano coroar porcarias de boygroups e deixar as pérolas deles de lado, pois essas são as minhas faixas prediletas do grupo num todo…

Mas antes, um pouco de contexto. A história do iKON, na verdade, começa em 2013. Nessa época, o velhote do YG, junto com a MNET, resolveu colocar alguns dos trainees masculinos da YG Entertainment num survival show chamado WIN: Who Is Next. No programa, 11 moleques se dividiram em dois grupos, intitulados Team A, com 5 integrantes, e Team B, com 6 integrantes. E o grupo que vencesse debutaria como o novo boygroup da gravadora. Seria o… Winner. Entenderam? Pois winners… Ahein.

Aí o Team A venceu e os cinco integrantes debutaram como Winner em 2014 com a faixa (chatíssima) Empty, que foi um puta sucesso, vendeu mais de um milhão e meio de cópias, colocou o álbum no topo da Gaon, vendeu até nos EUA. No entanto, o Winner meio que foi jogado de escanteio pela própria gravadora.

Motivos? Bom, eu não assisti o WIN, mas os que assistiram à época comentavam que o velho tinha uma preferência bem grande pelo Team B, pois dois caras que ele apostava bastante estavam lá: B.I., que ele já tinha levado pra gravadora em 2011, quando participou de uma temporada do K-Pop Stars, e o Bobby, que vinha fazendo bastante sucesso como trainee. E dizem que ele também não ia muito com a cara do Taehyun, que acabou até demitido do Winner anos mais tarde.

Aí, em 2014 mesmo, rolou um outro programa com o Team B, o Mix & Match (olá, orbits), cujo objetivo era formar o line-up do iKON. Paralelo a isso, a YG colocou o Bobby com feat. da Lee Hi e da Suhyun em I’m Different e reaproveitou o Bobby junto com o B.I. no comeback do Epik High em Born Hater. E meio que colou com o público, com o eventual iKON chamando atenção como algo a se criar expectativa, tipo o Pink Punk/BLACKPINK e, em menor proporção, o Future 2NE1 (deus as tenha).

Os queridinhos do YG ganharam um dueto só pra eles durante as promoções de debut do grupo…

E aí as histórias do BIGBANG do post passado com o iKON começam a se cruzar. As quatro partes do “MADE” foram lançadas entre maio e agosto. Faria sentido, então, que o LP saíssem em setembro, com mais um single servindo de title para ele, certo? Não para a YG, que usou o mês para soltar My Type como pré-debut e Rhythym Ta + Airplane como debut. Aí mais pra frente rolou o primeiro comeback com a porcaria acima dos dois e a #1 na Gaon com Apology.

O sucesso a YG conseguiu mais uma vez, mas ainda faltavam as músicas realmente legais. Até que chegou o natal, saiu o primeiro álbum e…

YASSSSSSSSSSSSSSS

“Dumb&Dumber” e “What’s Wrong?” são duas entre as minhas músicas de boygroups prediletas no K-Pop em todos os tempos. E o interessante é que elas exploram dois lados bem distintos de grupos da YG, mas dum jeito tão bom que é impossível não se sentir cativado.

A primeira é uma grande besteira que pegava resquícios daquele EDM que não se levava tão a sério na era de ouro. É quase uma filha perdida de Fantastic Baby, com uma letra merdavilhosa sobre ser ridículo e batidões de fácil assimilação. Tudo parece montado para que os integrantes se mostrem como a nova geração de toscões, com um MV cheio de cenas que ampliam isso (o B.I. acordando, o Bobby entrando na casa como um ladrão, eles todos tentando bancar os bacanas no carro e se fodendo, eles como gigantes cinematográficos, a coreografia) e apresentações ao vivo onde eles podem se soltar o suficiente para vender esses personagens (na performance acima, onde montam um aquário no palco, no final eles chegam no vidro e fazem movimentos pélvicos, isso é “grupo YG” demais).

DUMB&DUMBER | Wiki | •Kpop• Amino

Se “Dumb&Dumber” é o tipo de palhaçada eletrônica escapista que o BIGBANG (e o 2NE1, e o BLACKPINK) fazia em seus maiores anos, “What’s Wrong?” pode ser vista como a Sober/Ugly/Lovesick Girls deles. Eu sou apaixonado por tudo nessa música, é um daqueles números que me dá vida ao ouvir. O começo com o teclado dance bonitinho, aí entram os instrumentos mais pesados de pop/rock, é tudo gostoso demais. Os versos são muito cativantes, as diferenciações das partes cantadas e nas com rap são ótimas, aí chega o refrão duplo super empolgante.

É muito satisfatório. E quando chega o inevitável drop YG no final, com eles falando que se algum dia nós já nos apaixonamos, devemos gritar que sim?! Que bagulho lindo!

What's Wrong with this appreciation!? | iKON🔥 Amino

“What’s Wrong?” me vende algo sobre “música para cantar no bis do show” que totalmente me conquista. É o tipo de coisa que não envelhece, pois meio que não pega nenhum maneirismo trend da época que foi lançado. Poderia ter saído em 2011 ou ontem e soaria da mesma maneira. Pra mim, é a melhor música de um boygroup da YG Entertainment até então (mas também não é como se a concorrência fosse lá essas coisas).

Pra mim o iKON não conseguiu ir muito longe depois disso não. Eu sei que o maior sucesso deles foi depois com “Love Scenario”, mas ela não é muito a minha praia. Teve Killing Me que é ótima, mas ficou só nisso mesmo. E agora que o B.I. saiu, não tem mais tanto a cara de iKON. A YG se esforçou tanto para fazer dele e do Bobby os pilares do grupo que, sem um deles, é tipo tentar imaginar um AOA sem Jimin, ou 4MINUTE sem HyunA. Talvez por isso eles sequer estejam se esforçando para fazer alguém daquele Treasure acontecer sozinho.

7 comentários em “Time Machine: o ápice do iKON em “Dumb&Dumber” e “What’s Wrong?” (2015)

  1. É interessante pensar no que foi que deu errado na trajetória do Ikon e do Winner, os dois grupos tiveram debuts de sucesso mas logo depois foram abandonados pela YG e levaram um bom tempo pra hitar de novo, e novamente foram deixados de lado, teve momentos que eu realmente achei que eles iriam superar o Big Bang, mas não rolou e a essa altura do campeonato não vai mais rolar, só resta esperar que lancem alguma música boa daqui pra frente.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Nada a ver com o iKon, mas caso não tenha visto, a Pirralha do Sapo finalmente foi contemplada como o centro das atenções em um lançamento musical do LOONA:

    Por que a empresa que contratou elas achou que faria sentido colocar a KIM LIP num conceito aegyo (especialmente quando o grupo tem opções como ViVi e Dona Xú), não faço ideia, mas a sapuda tem uma participação enorme e inclusive ficou com o rap, para a raiva de sua colega Go Won Minaj…

    Curtir

      1. Acho que é a palavra mais adequada pra descrever essa música, mesmo (BBC, não seja LOUCA de dar esse mesmo conceito e sonoridade no comeback delas no fim do mês!!!).

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s