As esquecidas no churrasco de 2015 (feat. Blogosfera Fundo de Quintal)

Oie. Se nada der errado, a partir da terça-feira eu começo a postar o top 100 com as melhores faixas do asian pop de 2015. O “problema” é que esse foi um ano bem forte em lançamentos lá do outro lado do mundo. E aí, consequentemente, uma porção de músicas muito bacanas de acts bem grandes ficaram de fora na peneira.

Para selecionar quais faixas devem ou não entrar nesse tipo de ranking throwback, eu tenho usado, do ano passado para cá, o quanto tais canções sobreviveram em minhas playlists diárias. Sejamos francos: de nada adianta sabermos que tal faixa é melhor, mais bem feita, mais importante, famosa e bem sucedida que tal outra faixa se, no dia a dia, nem damos bola para ela de verdade. Nisso aí, sobraram nove capopes icônicos que até bateriam ponto pela qualidade, mas praticamente não escuto hoje em dia (ou, pelo menos, não tanto quanto as 101 100 que entraram no top).

Para aproveitar a ocasião, convidei meus coleguinhas da Blogosfera Fundo de Quintal para dar pitacos sobre tais gems que morreram na praia. Qual música cada um escolheu? Por que eu tive a pachorra de não incluir essas mas dar biscoito para Jay Park e Dean no corte final? Por que ninguém quis falar de “So Crazy”, do T-ara? Essas e outras perguntas talvez sejam respondidas clicando abaixo no continuar lendo…

GFRIEND – Me Gustas Tu

(by Wendel Gosto Meu, do Gosto Meu)

Milhares de décadas atrás, existia um girlgroup chamado GFRIEND que estava dando seus primeiros passos dentro da indústria do K-Pop. As gatinhas logo já meteram esse bop gostoso que é “Me Gustas Tu”, sendo uma farofinha aegyo com uma guitarrinha pesada ao fundo para fazer as crentes tremerem de tanto louvar à Santa SinB Maria da Rinonaplastia. E para a surpresa de todos, todas as seis integrantes sabiam abraçar o conceito como ninguém, fazendo até os ateus começarem a acreditar no pós-vida, graças às anjinhas rodopiando na paisagem do Windows. Uma pena a discografia delas ter descarrilhado pouco tempo depois, para só voltar a prestar dois lançamentos antes do disband

:V

Hello Venus – I’m Ill

(by Rafa, do AYO GG!)

2015 ainda era um ano bem produtivo pro Brave Brothers, esse ícone cultural que botou muita gatinha emergente com um shortinho enfiado no popozão pra rebolar quando o K-Pop ainda vivia seus últimos anos de simplicidade. Um dos grupos que teve a sorte de desfrutar da experiência de ter uma produção do Brave Brothers no catálogo foi o HELLOVENUS, que se aproveitou do fim da parceria entre a Pledis e a Fantagio pra dar uma repaginada na imagem. Basicamente elas foram de santas a piranhas do dia pra noite e acabaram lançando as melhores músicas da carreira durante esse período, sendo “I’m Ill” a minha favorita.

Talvez I’m Ill tenha uma das melhores introduções da supremacia Brave Brothers na história; a tensão construída com as batidas cada vez mais fortes da música e os sussurros eletrônicos “hello-venus-brave-sound-drop-it-shhh” que se distorcem até explodir no icônico refrão “nam yeseol-iya!” são simplesmente um deleite pros meus ouvidos. Elas fizeram um estrago com essa daqui na época, sendo basicamente um bando de quengas com vida dupla enquanto mexem com o imaginário do protagonista (que é comprometido). Não é algo que aconteceria hoje em dia, mas em 2015 o HELLOVENUS fez questão de demonstrar menos LOVE e mais VENUS na coisa toda. E todo mundo amou.

AOA – Heart Attack

(by Bruna, do SRSLY K-POP?)

Entre batidinhas na bunda, uniformes de torcida e um jogo do qual eu nem vou me dar ao trabalho de lembrar o nome, nascia uma das melhores (e na minha opinião A melhor) do AOA. A letra de “Heart Attack” não poderia ser mais clichê e lugar comum, falando sobre uma paixonite por um cara aleatório e como tudo sobre ele é lindo, mas a música realmente brilha no que o próprio AOA sempre fez de melhor: entregar um sexy concept cheio de miado aleatório em formato de vocal, com a ChoA nos dando seus vocais doces e a [censurado] mandando uma quantidade enorme de “hey” no meio da música. É o básico do grupo que se construiu em cima disso, mas quem disse que esse básico não é ótimo por si só, né?

(Nota do Lunei: o nome do jogo é lacrosse. Estadunidenses tem umas ideias de esportes muito confusas, futebol americano e beisebol até hoje não fazendo sentido nenhum na minha cabeça.)

Sistar – Shake It

(by Guilherme Descamisado, do Palpites Alheios)

E aí, meu povo, como estão? Guilherme do Palpites Alheios aqui e a pedido do Lunei (Muito obrigado pelo convite, por sinal) vim falar de uma das melhores faixas de 2015 aqui para vocês.

“Shake It”, do Sistar, é a segunda faixa que eu devo ter mais ouvido delas (o que não é muito, eu não peguei o auge delas e só vivi nas lembranças). A música é uma das várias tacadas das meninas para o verão coreano. Numa mistura de bubblegum pop com aquele trompete ao fundo, dando o som clássico do verão de músicas que ficam na cabeça, as meninas entraram de cabeça em um colorfull sexy, em que elas esbanjavam beleza, sensualidade, davam risada da cara de um cidadão fazendo o papel de cara chato do colégio. E é divertido como elas conseguiram fazer um clipe colegial, mas ainda com um apelo sensualizado delas (e ainda botaram o Wonho e o Shownu como elenco de apoio fazendo o papel de dois bobões… não que eles não sejam na realidade assim também).

É uma das melhores pérolas que 2015 desovou em nossa mesa para os bons capopeiros de plantão.

Rainbow – Black Swan

(by Arthur, do Aquário Hipster)

A força de “Black Swan” está no quanto ela é esquisita e fascinante ao mesmo tempo. Já começa por este lançamento sóbrio e monocromático ser de um grupo que, literalmente, se chama “arco-íris”. Na melodia, “Black Swan” é uma música de espaços e vazios (o que, por si só, já combina com o ritmo sombrio). A faixa começa como um R&B sutil, moldado por sintetizadores no teclado, caindo para uma estrutura bem padrão para girlgroups em 2013/2014 (onde as midtempos sensuais estavam brilhando no topo da Gaon). A primeira surpresa é o pré-refrão, que simplesmente silencia a faixa por meio segundo, fazendo com que o refrão em si tenha mais impacto, com os sintetizadores se torcendo para algo mais dancepop, ainda mantendo o tema sombrio, SEM ELAS FALAREM NO NOME DA MÚSICA.

E, depois, NÃO VOLTAMOS PARA O R&B DO COMEÇO!! A faixa mantém a estrutura dance-pop do refrão em uma nova leva de versos totalmente diferente dos primeiros, que torce ainda mais os sintetizadores antes do meio segundo de silêncio voltar e o refrão explodir novamente. Na ponte, temos um rap bem padrão, que logo é eclipsado por um high note desesperado e soturno, que é seguido por um suspiro do título da música e UM RETORNO A ESTRUTURA DOS PRIMEIROS VERSOS ANTES DO ÚLTIMO REFRÃO. É como se tivessem adicionado duas pontes para a música e jogado o segundo verso para o final, brincando com as nossas expectativas de tal forma que somos forçados a escutar de novo e de novo pra entender o que raios aconteceu nestes três minutos e meio de música. Um dos singles mais inesquecíveis de todo o K-Pop até agora.

miss A – Only You

(by meu sobrinho Brave Sound, da caixa de comentários de todos os blogs de asian pop)

Confesso que não tenho muita familiaridade com o repertório do miss A ou com o grupo em si (sei que o povo reclamava do excesso de atenção dado pra Suzy em relação às outras integrantes), talvez porque o auge da popularidade delas tenha vindo antes de eu começar a me interessar por K-Pop, ou por elas terem se separado pouco tempo depois que comecei a acompanhar. Apesar disso, conheço muito bem “Only You”, escutei muito ela no começo da minha fase capopeira e acho uma pena que ela não tenha entrado nesse top 100: é uma música que consegue ser divertida do começo ao fim e faz uma ótima transição entre suas partes, dos versos sexy ao refrão animado empolgante e até o trecho mais lento perto do final com o violão em destaque; tudo funciona, inclusive o MV mostrando as integrantes de forma sensual com bom gosto, sem exageros. O oppa pervertido com os binóculos traz um certo desconforto, mas fora isso, é um excelente trabalho que mostra como a JYP sabe entregar músicas de qualidade quando quer.

Girls’ Generation – You Think

(by Sowon Xiita, do… do… o Sowon ainda tem blog?)

Eu queria começar dizendo que eu SÓ ACHO ENGRAÇADO QUE eu que sou o blogueiro conhecido por ter péssimo gosto musical, sendo que é o Loonei que comete atrocidades feito essa de deixar de fora do top dele um dos melhores singles da carreira do SNSD. O instrumental da música é bem forte e começa impactante já na sirene do início, antes dos versos grudentos e do combo incrível do pré-refrão desacelerando e preparando a gente pro refrão MARAVILHOSO com Tiffany se esgoelando HORRORES no fundo já na primeira vez que ele aparece.

Sério, icônico, e olha que eu nem comentei sobre Yuri pirigótica no break ou ❤ Hyoyeon ❤ e Sooyoung invalidando a carreira do TUPAC no final, de LONGE o melhor dos 3 singles que elas lançaram pra promover o “Lion Heart”… então É CLARO que foi o que fez menos barulho né, mas tudo bem, pelo menos foi hit aqui na minha casa e na casa de boa parte dos fãs que estavam esperando um pouco de piranhagem vindo do grupo…

Tá ok que qualquer grupo foi mais fundo nisso do que elas aí, mas Seohyun abrindo um espacate continua sendo um marco…

Gain – Paradise Lost

(by Dougie, do Pop Asiático.jpg)

“Paradise Lost” é uma música intrigante de início. É uma faixa dark que vai para um lado sensual e depois passa como uma música distópica, aí entra um toque de classe e, no final, vira o caos mais elegante que eu já ouvi. “Paradise Lost”, do primeiro ao último segundo, faz você ficar ansioso para saber até onde ela vai chegar e o quão fundo a Gain consegue ir nessa mistura de energias caóticas para te levar ao paraíso perdido dela. Quando você absorve isso tudo, se dá conta de que “Paradise Lost” é uma das melhores músicas da história, e o Lunei é um ridículo por cortar esse hino do Top 100 dele.

(Nota do Lunei: “Paradise Lost” tapetinho de Bbi Ri Bba Bba -q)

T-ara – So Crazy

(by Eu Mesmo, o seu oppa!)

Calhou que ninguém quis ficar com “So Crazy”, do T-ara, e achei isso hilário, pois ela se tornou a música esquecida no churrasco das músicas esquecidas no churrasco. Rainhas! Mas aqui os meus dois centavos sobre ela: “So Crazy” é uma graça. Originalmente, ela deveria ter sido lançada em 2014, mas o grupo aparentemente acabou atrasando sua promoção porque elas ficaram ainda mais mal faladas durante o lançamento de “Sugar Free”, que foi próximo ao acidente das integrantes do Ladies Code. De qualquer forma, é uma parceria muito divertida do grupo com o Brave Brothers, mostrando uma interpretação diferente ao retrô que já era comum a elas. Um grande hino que quase entrou no corte final, mas aí eu lembrei duma outra que não poderia ficar fora. Amanhã falo disso.

Obrigado aos coleguinhas que participaram. Flw vlw!

30 comentários em “As esquecidas no churrasco de 2015 (feat. Blogosfera Fundo de Quintal)

  1. Vc largar You Think e Paradise Lost para os esquecidos deveria ser considerado um atentado contra a humanidade musicista, mas a gente deixa passar… E 2015 foi um ano bem louco pro Asian Pop num geral, até pq teve debuts e MTA coisa até que “viral”

    Curtido por 2 pessoas

  2. Eu amo muito So Crazy! E prefiro ela do que Sugar Free…
    Sugar Free saturou porque o kpopper médio só lembra do T-ARA por causa dela.

    Agora Black Swan é hit na minha playlist até hoje

    Curtido por 1 pessoa

  3. esperando cushion do sonamoo numa posição alta,viu, não tem como uma musica que mistura twerk, flow rap e uma letra toscavilhosa daquelas ficar de fora

    Curtir

  4. Não mas deixar PARADISE LOST de fora foi como se você tivesse chutado a minha mãe pelo amor de deuss que agressão foi essa?? Que pelo menos Married To The Music tenha sobrevivido ao corte final… (mas não me surpreenderia se você deixasse esse musicão de fora já que a Gain rodou)

    Curtido por 2 pessoas

  5. Black swan e paradise lost estarem de fora do top 100 deveria ser considerado crime de ódio da sua parte, eu escuto 90% dessas músicas até hoje, não sei o que esperar desse top agora sem esses bops que você criminalmente deixou de fora.

    Curtido por 1 pessoa

  6. Que delícia, até eu queria ter participado mas eu ando mais ausente daqui que qualquer outra coisa. E meu blog tá no forno desde 2017 e não sai KKKKKKKK
    Mas eu só vi heresias por hinos não terem feito o corte

    Curtir

  7. Detalhe importante: “So Crazy” é um comeback do AOA que o BB deu pro T-ARA. E o mais irônico de tudo é que depois dessa patifaria elas viraram crentes e entregaram a abençoada TIAMO

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s