The Feels: single em inglês do Twice é… huh… um single em inglês

Eu que sou um velho de guerra nisso de acompanhar o K-Pop (desde 2010 nesse bueiro) pude acompanhar uma porção de “fases” que o nicho passou ao longo da última década.

É interessante, por exemplo, comparar o que era uma tentativa de acontecer “globalmente” com um single e promoções em inglês entre o final dos anos 2000 e o início dos 10s, onde acts da big3 como BoA, Wonder Girls, Girls’ Generation e 2NE1 se arriscavam fora da Ásia e eram vistos como algo curioso, exótico e MUITO nichado pelo público, com o que é o K-Pop atualmente.

O K-Pop atualmente conseguiu romper algumas barreiras idiomáticas por conta da expansão da internet e fazer com que seus acts conquistassem sucesso, justamente, por serem artistas coreanos fazendo música em coreano. Hoje, é “algo” gostar de música coreana. Ainda é um nicho, claro, mas um nicho bem maior do que, só pra ficar num outro exemplo do qual faço parte, o de otaquinhos que gostam de trecos japoneses.

Mas ainda há o mito de “acontecer nos EUA”, tentar atingir um público ianque maior e pipipi popopo. Para isso, é preciso estar nas rádios de lá. E é bem mais difícil tocar em rádios estadunidenses de grande alcance se as músicas não forem no idioma deles.

O maior nome masculino do K-Pop atual, BTS, conseguiu seus maiores sucessos nos EUA, justamente, se adequando à língua local. E como o velho do J. Y. Park não é burro, é claro que ele faria o maior nome feminino do K-Pop atual, Twice, tentar uma fatia dessa nova onda hallyu nos EUA. Só é uma pena que isso tenha sido com uma música tão estéril quando The Feels

Deixa eu voltar pras comparações aqui. Eu gosto médio de Dynamite (o vocal MUITO processado me incomodou a longo prazo) e gosto muito de Butter (pra mim, é uma “Dynamite” bem cantada, o que é perfeito). Eu achei muito bom o BTS dar uma mudada na sonoridade deles para algo mais “geral”, menos “único”. “Dynamite” e “Butter” não são músicas com uma identidade grande, quaisquer outros boygroups coreanos ou mesmo artistas ocidentais poderia fazer igual sem tirar nem por.

Mas é porque eu vinha achando o BTS uma merda. Eles emendaram uma sequência de comebacks nos últimos anos que, ou eram barulhentos demais (exemplo aqui), ou eram frouxos demais (exemplo aqui, eca). Com o Twice é diferente.

“The Feels” é uma música bastante… bastante… difícil de definir. Pro bem também, mas mais pro mal. Bem mais pro mal. É um popzinho com umas influências de funkzinho que só… existe. Ele não vai muito a fundo no lado mais bubblegum despretensioso, assim como não rasga mais nas referências setentistas que quis inserir.

Eu tenho a impressão de que os produtores aqui não quiseram arriscar muito pra um lado para não soar bobo demais, quiseram ir prum lado mais sério, mas também não usaram com vontade todas as possibilidades que essa pegada funkeada poderia proporcionar à “The Feels”. É só comparar com Red Lipstick, da Lee Hi, ou Zombie, do Purple Kiss: dois exemplares que têm essa mesma referência, mas que de fato se jogam nela e fazem dessas músicas algo delicioso aos ouvidos.

“The Feels” não é ruim. É polida, certinha, as meninas cantam bem, o instrumental é eficiente. Mas é sonsa. Falta tempero, molho, álcool, algo que impressione. O que é… esquisito de se pensar do Twice.

Como eu disse, curti a “esterilização” do BTS pro público estadunidense, pois eles só vinham fazendo merda antes disso e um pisão no freio era válido. Mas o Twice de 2019 em diante teve uma virada de chave que transformou elas num dos melhores grupos de K-Pop da atualidade. Comeback a comeback, na Coreia do Sul e no Japão, elas vinham se arriscando em sonoridades. Dance, house, pop/rock oitentista ultraemotivo, distorções eletrônicas tropicais mais amalucadas, bossa fucking nova, album tracks mais experimentais ou simplesmente dando o que os fãs mais velhos queriam ouvir. É bem bosta esse downgrade à essa altura do campeonato. Meh.

Se bem que, do jeito que estadunidense gosta desses troços pau mole, capaz delas conseguirem até chartear bem alto por lá. Talvez a música ser uma chatice tenha sido proposital e esse é só o primeiro passo para Momo e as outras arrancarem uns trocados de ianques virjões e eu não tinha entendido. Vai saber.

3 comentários em “The Feels: single em inglês do Twice é… huh… um single em inglês

  1. Não sei que raiva é essa que esses caras tem do Spring Day, essa é a música que leva mais cacete na blogosfera. A música nem é ruim. Esse exagero de críticas todo só porque a música é do BTS.

    Curtir

  2. Pois já gostei justamente por não ter inventado demais nesse “debut” americano, estava até com as expectativas baixas se elas iriam aderir ao mina fodona 101 que todas fazem pra tentar hitar lá como o BP. Mas finalmente a galera deu o que elas já fizeram de melhor e o que alçou elas ao topo.
    Ou talvez essa música tenha crescido comigo por ser do Twice e se fosse outro grupo eu não daria a mínima? Talvez, mas no final do dia, pra quem não esperava muito, tá ótimo. E sem falar que adorei o clima alto astral com referências aos trabalhos anteriores.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s