As 20 melhores músicas… do K-Pop!

Tempos atrás, uma patota de profissionais da música na Coreia do Sul se reuniu para eleger quais foram as melhores faixas lançadas na história do K-Pop até aquele momento para a Melon (leiam aqui). A eleita, no caso, foi “No.1”, da BoA, o que faz sentido, já que, como pontuou o Dougie no post que linkei, essa se tornou uma música assinatura dela, que é um enorme símbolo do começo da onda hallyu como um todo. O pódio fecha com “Growl”, do EXO, ocupando a segunda posição, seguida de “Gangnam Style”, do Psy, que rapa a terceira.

O ranking provavelmente é condizente com o K-Pop enxergado de dentro da própria indústria (tanto que “Gangnam Style”, o primeiro hit global coreano, está alto assim). Contudo, ao ver essa lista lá em agosto, pensei em fazer o meu próprio topzinho de maiores bops coreanos já lançados. Levei um tempo maquinando e cheguei nessas 20 que, meio que, compilam o meu gosto e os highlights da minha vidinha de capopeiro, que começou lá em 2010 e infelizmente dura até hoje.

Tem coisa velha, tem coisa nova, title, album track, vários lançamentos de um ano só, anos que foram totalmente ignorados, uma delicinha que nem pegou #1 no top de seu respectivo ano, mas acabei descobrindo que ela é mais importante que as que ficaram acima, spoilers de tops que ainda nem saíram, muitas faves juntas num lugar só, um só act aparecendo três vezes e um mundaréu de outros que nem foram mencionados, pois esse é o crème de la crème do meu gosto pessoal.

Preparem a pipoca e vamos celebrar os maiores jams da história do K-Pop…

20. 4MINUTE – I My Me Mine

“I My Me Mine” é um caso curioso na minha cabeça. Eu sei que tem outras músicas do próprio 4MINUTE que eu acho “melhores” que essa, sei também que o próprio ano de 2010 entregou delícias que eu também considero superiores. Mas esse foi o primeiro K-Pop que eu ouvi na vida sabendo que era um K-Pop, foi a minha porta de entrada para pesquisar mais sobre esse nicho e toda vez que ela aparece no aleatório e sinto uma imensa nostalgia, como se fosse aquele amigo que fiz na primeira semana de aulas da escola, que acabou perdendo um pouco da minha atenção conforme os anos foram passando, mas sempre terá um lugar bem especial dentro da minha cabeça. Grande música. Se não tiverem ouvido ainda, se preparem para um imenso farofão cativantemente datado.

19. Twice – TT

Hoje, sabemos que o Twice teve dois momentos: o de aegyo pós-debut para aproveitar a modinha e o “somos grandes gostosas inspiradas do E-Girls” de “Fancy” em diante. E “TT” me soa como um híbrido maluco entre esses dois lados. Em imagem, elas ainda são as irmãzinhas da nação (mesmo com umas piscadelas super sexuais no MV), mas em som é o Twice do house para baladas que tanto adoro atualmente. Detestei na época, hoje é a minha predileta do grupo. Os “I’m like TT, uuuuh” do refrão são impagáveis e jamais sairão da sua cabeça.

18. Dreamcatcher – Chase Me

Vários grupos femininos dessa geração têm apostado em estéticas mais aterrorizantes, mas poucos realmente acertaram em cheio como Dreamcatcher tem acertado desde sempre. Elas são o template. Não é a toa que conseguiram cativas uma quantidade considerável de fãs que conseguem mantê-las em atividade mesmo sem furarem de verdade a bolha. O ápice delas comigo foi lá no debut. Pois “Chase Me” é perfeita em si mesma: o instrumental pesadão em contraponto a interpretação fofa delas é uma graça, o refrão é um soco no estômago, o jeito como ela vai evoluindo para chegar num ápice final me remete às animesongs que eu ouvia quando mais novo. Flertes do K-Pop com o rock provavelmente não ficam melhores do que isso.

17. Wonder Girls – Baby Don’t Play

É provável que eu talvez seja morto por algum fã do Wonder Girls por considerar que a melhor música delas é, na real, uma album track do “Reboot”, mas a vida é assim. Calha desse ser um dos meus álbuns preferidos da vida e de a melhor faixa nele não ser o single, mas aquela que abre os trabalhos. “Baby Don’t Play” pra mim é o máximo da onda retrô antes mesmo de rolar a onda retrô no pop mundial. Tudo nela me transporta diretamente para 1984, comigo usando um bodysuit enquanto assisto um VHS de aeróbica imaginando ser uma estrela do cinema ou algo assim. É assim que se faz uma album track.

16. Luna – Free Somebody

Com sinto saudades da época em que as gravadoras no K-Pop ainda se importavam em tentar construir uma carreira solo para as integrantes que chamavam mais atenção dentro de seus girlgroups. Não que a SM tenha feito grande coisa com a Luna (ela só durou mesmo um mini), mas só o fato de terem dedicado algo como “Free Somebody” para ela já diz muito. Eu nem sei como explicar isso com termos técnicos, mas é como se “Free Somebody” fosse toda recheada de momentos de puro bliss, que estão lá para ativar a serotonina em nosso sistema e automaticamente nos deixar felizes. O público coreano deu de ombros, mas o resultado foi a melhor contribuição do K-Pop para o pop de 2016. E um bop que jamais será esquecido em minhas playlists.

15. Red Velvet – Dumb Dumb

“Dumb Dumb” reúne o que de melhor há no Red Velvet como um act: a sonoridade maluca, os exageros vocais propositais, o lore delas serem umas esquisitonas, as aleatoriedades da linha de enfiar uma porção de referências ao Michael Jackson na bridge e por aí vai. Quando fecho os olhos e penso em Red Velvet, é essa imagem delas vestidas de vermelho e essa música que toca em minha cabeça. “Dumb Dumb” é Red Velvet ao máximo e as cinco piolhas dos longos cabelos de Lilith são o ponto mais alto de sua geração no K-Pop.

14. 9MUSES – Figaro

Essa aqui ainda é tão boa. A assinatura sonora do Sweetune é uma das coisas mais especiais presentes no K-Pop da era de ouro. E ela colou muito bem com o 9MUSES, que entregou aqui não só minha música predileta delas, mas a que eu mais gosto de uma colaboração desse time de produtores com um girlgroup. “Figaro” é perfeita. Cada segundo dela é precioso e me vende o espírito festeiro radiante e catártico que o 9MUSES parecia buscar. Quando o instrumental começa a enlouquecer lá por 2:13min e o tom sobe pra repetição final do refrão, é como se eu tirasse do peito todos os problemas da vida e só me entregasse à pista de dança.

13. KARA – Mamma Mia

Passei um tempo decidindo se o grande bop do KARA que eu incluiria nessa lista seria “Pandora” ou “Mamma Mia”. As duas são fortes em minha cabeça por diferentes motivos. Mas tive que ir de “Mamma Mia”. E eu sei que essa provavelmente será uma escolha que levantará as sobrancelhas dos colegas capopeiros mais velhos, afinal, não é a formação clássica do KARA e nem é Sweetune. Só que “Mamma Mia” é daquelas músicas que instantaneamente me deixam feliz, que eu coloco sempre que quero tirar forças para alguma coisa, que eu já ouvi tantas vezes e em tantas ocasiões que simplesmente se tornou uma OST da minha vida. Então, cliquem no play acima e sejam impactados por um dos refrães mais bonitos já feitos na história do pop.

12. SUPER JUNIOR – Sorry Sorry

“Sorry Sorry” é o olimpo dos K-Pop masculino. É o ponto inatingível, o máximo onde já foram, aquilo que, provavelmente, nunca será repetido com tamanho êxito. E é também o K-Pop da era de ouro in a nutshell. O instrumental EDM safado, os versos e o refrão feitos unicamente para contagiar o ouvinte e morar na cabeça deles para sempre, o MV na caixa simplão, mas efetivo dentro da imagem que o K-Pop queria passar à época. “Sorry Sorry” é muito mais do que qualquer coisa que qualquer boygroup tenta fazer atualmente. E, ó: eu tenho CERTEZA de que nada de nenhum oppa jamais superará isso aqui.

11. AOA – Miniskirt

As pessoas têm usado descabidamente o termo “cultural reset” hoje em dia. Geralmente, para elogiarem quando algum ídolo delas fez algum sucesso ou soltou algo legal de ouvir. É aquilo: a internet sempre tende a esvaziar o significado das coisas, não tem jeito. Mas querem um cultural reset de verdade: “Miniskirt”, do AOA. Outros girlgroups já vinham fazendo ótimas midtempos sensuais nesse ponto do K-Pop, mas em “Miniskirt” esse conceito full sexy ganhou o seu maior template. E que música, meus amigos! É Brave Brothers em seu melhor, entregando melodias chicletes imbatíveis e Jimin, ChoA e as demais provando que são um dos line-ups mais icônicos já montados.

10. Yukika – Soul Lady

Dando uma passada de olho nessa lista, fica meio claro que eu tenho uma predileção pelas ~tendências~ do que foi o meu momento de maior empolgação e consumo do K-Pop. “Soul Lady”, no entanto, é a exceção à regra. Enxergo ela como um totem desse novo momento do K-Pop, onde as coisas ficaram mais e mais internacionalizadas e os artistas já pensam suas músicas de acordo com as modas que querem seguir. Nessa, a Yukika, uma japonesa tentando a vida na Coreia do Sul, pegou uma onda da terra natal dela que foi resgatada pela internet para criar sua própria assinatura. “Soul Lady” é o melhor neo citypop dos vários neo citypops muito legais que têm saído desde que “Plastic Love” voltou à vida. Por consequência, já é um dos meus capopes prediletos mesmo com tão pouco tempo de circulação.

09. T-ARA – Sexy Love

Sei que provavelmente devo estar jantando outra vaca sagrada ao preferir “Sexy Love” à “Roly Poly”, mas o que fazer? “Sexy Love” junta os dois estilos sonoros que o T-ARA faz tão bem num só: o retrô weirdo que, na verdade, parece vindo do futuro, o farofão glorioso para bater cabelo a noite toda. E ainda tem toda a trama lá de supostamente mascararem o vocal da Hwa Young apenas pelo lulz, o que eleva a coisa toda prum nível de deboche incalculável. T-ARA rainhas do barraco.

08. EXID – Up&Down

Outras faves desse blogueiro fundo de quintal. Santificado seja o maluco lá que filmou a Hani batendo xaninha naquele dia, o que levou o EXID de volta ao sucesso na Coreia do Sul e encaminhou pro mundo. Santificado também seja Shinsadong Tiger, que trouxe à vida a provável música mais SAFADA do K-Pop. A letra é literalmente elas reclamando com o cara porque as preliminares dele são uma merda, então precisaram sentar na pica e ir pra cima, pra baixo, pra cima, pra baixo, pra cima, pra baixo, ou nada aconteceria. Isso tudo com um instrumental que parece trilha sonora de desenho animado. E eu ainda passou mal de rir com o final do MV, com o DigiPedi colocando elas para representar o “final do ato” de várias formas malucas diferentes. EXID >>>>> resto.

07. miss A – Hush

Saindo da sacanagem escrachada para a sacanagem elegante, miss A! ❤ O J. Y. Park é um velho safado, a gente sabe disso, mas esse ridículo é muito bom do que faz. “Hush” também é uma das músicas mais sexuais da história do K-Pop. Eu gosto de comparar a estrutura dela com as fases do “ato”. Começa devagar, com preliminares, aí vai esquentando, esquentando, engata e, finalmente, vai ao ápice. No instrumental, isso se reflete no início mais monótono, com as coisas aumentando no primeiro refrão, aí o instrumental vai com mais força na segunda leva de versos, explode no segundo refrão e vai e vai e vai até o final apoteótico. Pra mim, a maior já feita na JYP Entertainment.

06. Brown Eyed Girls – Abracadabra

Falei mais acima sobre “I My Me Mine” ter sido o primeiro K-Pop que ouvi sabendo que era um K-Pop lá em 2010. “Abracadabra”, junto de “Sorry Sorry” e uma mais a seguir nessa lista, entra num panteão de bops que circulavam em rádio otakus online e eram consumidas por esse público fã de J-Pop antes do nicho coreano começar a circular de verdade. Essa música é sensacional. É mais um desses casos onde cada detalhe nela parece ter sido inserido de modo a se tornar um chiclete na cabeça. E esse trecho no MV com o strip-tease é, sem sombra de dúvidas, um dos momentos mais sensuais já feitos nessa indústria. Saudades de quando debutavam grupos com integrantes já mais velhas, né, minha filha…

05. 2NE1 – I Am The Best

BLACKPINK, (G)I-DLE, EVERGLOW e todo grupo feminino que debuta com o mina-fodona-concept semana sim, semana não, deveria pagar tributos ao 2NE1 por “I Am The Best”. Elas são as minas-fodonas originais e “I Am The Best” foi O MOMENTO no K-Pop em busca de atenção internacional durante a era de ouro. Inclusive, por muito tempo, “I Am The Best” foi sinônimo de K-Pop por aí. E o melhor de tudo é que ela segue valendo não só pela importância histórica, mas por ser um dos bagulhos mais divertidos de ouvir de toda essa indústria. Naega jeil jal naga ainda é uma das linhas mais fortes do K-Pop. CL, Bom, Dara e Minzy serviram uma das músicas mais icônicas e inesquecíveis aqui e vocês sabem disso.

04. f(x) – 4 Walls

Vocês sabem que house é a minha kryptonita. Qualquer um que se meta a usar esse tipo de instrumental remetente à ballrooms dos anos 90 imediatamente tem a minha boa vontade. Tanto que quase todo ano (inclusive nesse de 2021, segurem o spoiler) tem algum jam asiático nesse estilo batendo ponto nos meus tops 10. O que o f(x) fez em “4 Walls” foi mostrar como isso pode ser feito com perfeição. Refrão lindo, letra linda, interpretações impecáveis, significados sapecas on point, aí vem o MV maravilhoso, a coreografia vogue estupenda e, voilà, uma das minhas músicas prediletas da vida. E pensar que esse é o quarto lugar e elas ainda tem coisa melhor.

03. Girls’ Generation – Genie

Houve o Wonder Girls, o KARA e o Girls’ Generation. E aí, houve o K-Pop. Pelo menos, o K-Pop como conhecemos hoje. Essa trinca forma o tripé desse universo que hoje faz tanto sucesso, e o Girls’ Generation foi o maior no trio, na indústria, aquele momentum cultural que todos tentaram replicar às suas maneiras e seguiram tentando enquanto der. Eu sei, tem “Gee”, que deve ser o maior delas, mas eu sou do team “Genie”. Porque a pessoa que pensou essa melodia do refrão não deve ser desse planeta, porque toda ela, por algum motivo, me passa uma “tristeza feliz” (ou “felicidade triste”, tanto faz) que é agridoce de ouvir, porque “DJ, put it back on” é a frase de efeito mais cativante já feita. A melhor música do maior grupo do K-Pop.

02. Kim Lip – Eclipse

Fico pensando: como uma música pode me despertar tantas coisas simultaneamente? “Eclipse” é emocionante, envolvente, arrepiante, empolgante, triste, sensual, esquisita, radiante, melancólica e reconfortante, tudo ao mesmo tempo. É daqueles exemplares que, já numa primeira ouvida, lá numa meia-noite de 2017, quando o K-Pop ainda soltava suas novidades nesse horário, eu sabia que me acompanharia por toda a vida. E tem acompanhado. Inclusive, vocês acreditam que eu até tenho evitado ouvir “Eclipse” para ela não se desgastar na minha cabeça? E aí, fui escutar agora enquanto escrevo esse post e, nossa, que troço delicioso. Só não é o meu K-Pop favorito porque essa outra aqui, em comparação, é ainda mais forte…

01. f(x) – Red Light

O K-Pop não fica melhor que isso, caras. Esse é o maior instrumental já executado por um act coreano. Lembro que li na época que “Red Light” saiu (possivelmente no finado Asian Mixtape) que, quando chegava o refrão, parecia que o f(x) estava puxando um trem para trás. E é meio isso que eu sinto com “Red Light”. Ela é pra mim aquela música esquisitíssima, errada, ligeiramente desconfortável, mas com o plot twist de ser feita por um girlgroup de K-Pop, que coloca toda essa estrutura bueiril do EBM numa fôrma radiofônica extremamente palatável. É o alternativo e o massificado se encontrando e entregando o que de melhor esses dois mundo podem ao colidir. Uma informação até bem pessoal sobre a minha personalidade: eu sou movido à raiva. Quando eu fico puto, mas puto DE VERDADE, é quando eu atinjo o meu máximo em produtividade, criatividade, é quando eu tiro as melhores notas e entrego meus maiores trabalhos. E “Red Light”, por algum motivo, consegue despertar essa passionalidade em mim que só a raiva costuma produzir. Talvez por isso eu goste tanto dela. Enfim, por mais que eu até ouça hoje outras músicas dessa lista com uma maior frequência, “Red Light”, pra mim, segue como o melhor K-Pop de todos os tempos. Mas tomara que novos grupos, futuramente, lancem maravilhas que possam disputar essa vaga com ela. Embora isso seja bem, bem, bem difícil.

Quase lá: “Pandora”, do KARA, “Bar Bar Bar”, do Crayon Pop e “Girls on Top”, da BoA.

E é isso aí. Deu trabalho, demorou, mas foi. Quem sabe, mais pra frente, eu faço uma com as maiores do J-Pop.

Convido vocês a fazerem também suas próprias listas de maiores capopes de todos os tempos e compartilharem por aqui.

12 comentários em “As 20 melhores músicas… do K-Pop!

  1. Gostei da lista! E sim, acho que valeria a pena fazer uma do J-pop também (de preferência com todas as quatro imperatrizes do J-pop aparecendo pelo menos uma vez cada).

    Não sou muito interessado em músicas de boygroups de k-pop, mas “Sorry Sorry” é bem legal mesmo. E as vozes deles combinam bem com a música, embora eu deva dizer que prefiro quando algum girlgroup faz um cover dela…

    Curtido por 2 pessoas

  2. Eu já pensei em elencar meus kpops favoritos, com certeza na minha lista a maioria das músicas seriam nessa linha do conceito sexy melancólico que os girl groups faziam na década passada e que hoje foi eclipsado pelo conceito teen/girl crush barulhento -_- (até gosto de muitas girl crush barulhentas, mas convenhamos, sexy melancólico >>>>>>>>>>>>> all >>>>>>> girl crush barulhentas). Inclusive Something é uma das minhas favoritas desse conceito.
    E sobre boy groups, para mim, o grande ápice é o álbum Exodus do EXO, eu simplesmente amo esse álbum! Só tem uma música que eu não gosto muito (Beautiful), mas o resto eu acho maravilhoso! As melhores na minha opinião são Hurt e Lady Lucky (embora esta tenha um gemidão vergonha alheia, mas eu me acostumei e acho uma das melhores do EXO como um todo).

    Curtido por 3 pessoas

  3. O meu fica assim:
    F(x) – red light 
    Fei – fantasy
    2ne1 – i love you
    HyunA – red
    Snsd – into the new world
    WG – baby don’t play
    Kara – pandora
    T-ara – sexy love
    Stellar – marionette
    Twice – feel special
    Sunmi – 24 hours
    Vixx – chained up
    Infinite – the chaser
    Lee Hi – rose
    Red velvet – russian roulette 
    Yubin – lady
    Miss A – touch
    Gain – paradise lost
    Aoa – heart attack 
    Monsta x – beautiful

    Curtido por 1 pessoa

  4. Do 4minute eu colocaria Volume UP. Que hino! Hyuna no melhor estilo vampiranha, a Gayoon estourando os ovários de tantos agudos, uma coreografia safada com elas rebolando e se esfregando nos dançarinos, aquele saxofone parecendo que estamos em alguma festa em Ibiza, só vitórias nessa música. E ainda tenho o carinho especial por ela pq essa música me introduziu ao kpop *-*

    Curtido por 3 pessoas

  5. Saudades dessa época, inclusive.
    Meu primeiro lugar seria “Figaro”, toda vez que eu tô caminhando e essa música começa a tocar, eu mudo até meu jeito de caminhar, como se eu fosse a Beyoncé em Crazy in Love – também vale pra Mamma Mia e Abracadabra.
    Achei que tu colocaria alguma coisa de After School, Girl’s Day talvez Shinee. Enfim, vendo essa lista acho que seria legal alguma lista de músicas que, independente se gosta ou não, meio que foram mudando a onda no k-pop e virando tendência. Tipo “Into the New World//Gee”, “Something”, “I am The Best” (de novo)…
    Amei a postagem.
    ps: eu devo ser muito problemática, porque eu não consigo ouvir Red Light até o final.

    Curtido por 2 pessoas

  6. O primeiro lugar ser Red Light = a aclamação merecida

    Genie também é para mim uma das melhores músicas do SNSD, tem algo de muito especial nela que é indescritível: me passa uma certa nostalgia de um jeito bom, do mesmo jeito que INTW (outra que eu incluiria na lista também). Gostei de ver a Luna batendo ponto, mas fico triste que a carreira dela tenha ido para o buraco depois de um debut solo tão bom.

    Também incluiria Monster do EXO (cadelinha da estética que usam no MV, e também cadelinha do álbum, que inclui as melhores b-sides como Artificial Love), The Boys do SNSD (HINOOOOOO), e trocaria a do 4Minute por Volume Up por preferência pessoal mesmo. De solistas, tem I da Taeyeon (só não considero o melhor debut solo do SNSD porque aquele rap MATA a faixa, e porque prefiro o mini da Seohyun, mas é realmente icônico e até hoje a versão sem rap é uma das minhas mais tocadas), Red da Hyuna, e Twenty-Three da IU (essa sim é outro cultural reset).

    Curtido por 3 pessoas

  7. Também prefiro mamma mia, sinto falta do capeta ai na lista. Onde colocar lúcifer?
    Beiçuda em segundo lugar? Bom quem sou eu pra falar algo. Os marcos no kpop. Lista difícil de fazer, trocaria suju pelo meu 2pm. Mas não sei. Difícil julgar tá ótimo isso aí.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s