TOP 100 | As melhores músicas do asian pop em 2021 [55-41]

Terça-feira, 28 de dezembro de 2021. Chegamos naquele limiar da semana entre Natal e Ano Novo em que fica mais ou menos mais para lá do que para cá, mas não tanto assim. Hora de jogar o que sobrou da ceia no lixo, começar a se organizar pro que virá daqui em diante, fazer aquelas listinhas de metas que não serão seguidas e prospectar o futuro melhor mesmo repetindo os mesmos erros sempre e sempre (ai que negativo).

O que também significa que essa lista finalmente chega à metade e as coisas começam a ficar ainda mais quentes na hora dos cortes. E a sua favorita, será que aparecerá agora, mais pra frente ou sequer foi considerada, tipo “Water Color”, da Whee In, que eu tinha esquecido que saiu? Uou, vamos descobrir…

55. YOUHA – ABITTIPSY

Youha não conseguiu ser uma futura 2NE1, já que as peças da estrutura interna da YG se moveram de modo a cagar com qualquer ato feminino ali dentro. Mas que bom que ela seguiu tentando e, agora mais velha, entregou essa que facilmente poderia ser uma música da Carly Rae Jenpsen na era “Emotion”. “Abittipsy” é uma gracinha. Ainda outra maravilha inspirada nos anos 80, seu uso de sintetizadores parece formulado única e exclusivamente para despertar uma “alegria melancólica” no ouvinte. Eu sei, parece um paradoxo, mas faz bastante sentido dentro das referências que parecem adotadas. Ela canta o refrão com bastante energia, mas ele parece nos puxar para baixo, me dando uma impressão de “superação” muito legal. É Bem o tipo de coisa que imagino tocando no final de um filme colegial de trinta e cinco anos atrás, quando todos os personagens conseguem resolver seus conflitos e terminam suas participações no baile de formatura ou algo assim. Grande hino lá do comecinho do ano.

54. KEN HIRAI – 1995

MELHOR VIDEOCLIPE JAPONÊS

ESSA MERDA! ❤ “1995” é um dos ápices desse J-Pop que parece fruto de uma viagem de cogumelos que gerou tantos grandes bops esse ano. O instrumental indiano é maluco na medida para nos manter entretidos pelos ouvidos, é viciante, divertido, cheio de momentos de puro grude doentão. Mas puta que pariu esse videoclipe retardado com o velho piradaço dentro do mercado com a cabeça do Ken Hirai. É o tipo de ideia que tem que estar muito chapado para conceber. Até hoje não sei se curti isso aqui pela ironia ou de verdade, mas é fato que “1995” foi um dos meus grandes vícios de 2021.

53. YOASOBI – MONSTER

Essa também é tão legal. Virei fã do Yoasobi ano passado e amo a ideia deles fazerem músicas em cima de histórias de um site japonês lá. E agora que eles hitaram, também é sensacional ver o quanto a sonoridade deles casa bem em animesongs propriamente ditas. Essa aqui pra “Beastars” é linda demais. Adoro que ela vai adquirindo elementos conforme os versos vão passando, de modo que o final é praticamente apoteótico. “Monster” é um excelente exemplar do quão “pop” esse nicho de OSTs pode ser, funcionando dentro da trilha sonora da animação e em rádios para ouvintes que sequer dão atenção ao universo dos animes.

52. SOYEON – WEATHER

A minha música favorita do mini da Soyeon foi essa album track aqui trabalhada como b-side dela nas apresentações do Raul Gil. Não acho a Soyeon particularmente bonita ou sexy (pra mim, tá mais para a colega divertida de voz engraçada da turma que a gente abraça como irmã). Só que ela conseguiu tirar uma sensualidade de sei lá onde nessa “Weather”. A letra é uma maluquice que usa o clima como metáfora para estar animado ou não, mas o jeito que ela canta… é como se estivesse sedenta por OUTRA COISA. Puxa! Tomara que ela invista em maravilhas do sexy concept assim futuramente, vocal pra esse tipo de coisa ela já provou ter.

51. POLKADOT STINGRAY – DIVER

Tinha botado o olho nessa banda aqui por conta da OST barulhenta divertidinha deles pro anime péssimo do Godzilla lá na Netflix (chego nele ainda nesse post, aguardem um tiquinho). Agora em “Diver”, eles aparecem um pouco menos barulhentos, mais contidos, mas ainda mantendo a energia pop mais agressiva, porém bonitinha, que haviam demonstrado em Aoi. É bem J-pop rock in a nutshell isso aqui, talvez valha como uma porta de entrada para quem queira começar a entender esse cenário. Pra eu que sou burro velho, foi mais outro jam ótimo que agregou muito em minhas playlists.

50. FROMIS_9 – WE GO

MELHOR VIDEOCLIPE COREANO

O fromis_9 soltou uma das melhores músicas do ano passado e talvez os produtores delas tenham entendido que o grupo é ótimo nisso de construir atmosferas de pura felicidade através do som. “Feel Good” foi assim e “We Go” me soa como uma continuação dela, repetindo o mesmo efeito de transportar nossa cabeça prum lugar bonito enquanto escutamos ela. É tudo tão bom e vibrante que chega a dar um susto quando ela é interrompida de repente no MV. Uma das músicas mais bonitinhas desse ano vindo de um dos grupos mais legais dessa geração MNET (o dinheiro foi muito bem gasto nesse line-up, risos).

49. BISH – IN CASE…

E falando no anime ruinzão de Godzilla de dois parágrafos atrás, o BiSH fez sua mágica esquisita nessa opening dele aqui. É um rockzão furioso que está bem em cima do panteão de rockzões furiosos que o grupo já lançou. Ele carrega toda a estranheza que a AiNA e suas amigas esquisitonas gostam de imbuir em suas faixas, soando agressivo e ligeiramente “torto” aos ouvidos, mas sempre com um verniz pop por trás. Uma pena o desenho não ter seguido essa mesma linha de qualidade, pois foram horas e horas perdidas de minha vida. Literalmente, já que calhou de nem ser eu o que resenhou ele pro outro site no final. =/

48. PURPLE KISS – PONZONA

Tem vários novos grupos femininos nessa nova geração do K-Pop. Alguns bem ruins, outros bem bons. O Purple Kiss está nesse segundo caso. Todas as músicas que elas soltaram esse ano são ótimas. Tinha achado elas esquisitas demais naquele pré-debut do ano passado, mas que bom que a gravadora do Mamamoo colocou jeito na casa. “Ponzona” é um dos melhores números-mina-fodona dessa última leva. O instrumental mais contido e focado em construir uma atmosfera soturna é on point, o refrão é ótimo e o break que rola na versão do MV deixa tudo ainda melhor. 3ª melhor delas esse ano.

47. WEDNESDAY CAMPANELLA – BUCKINGHAM

O Wednesday Campanella começou a desandar lá por 2017~2018, quando o grupo se tornou alternativo demais e meio que matou o apelo radiofônico que eles haviam conquistado anos antes com a icônica trinca de álbuns Zipang/UMA/Superman. Mas aí a KOM_I resolveu pular do barco, os outros dois chamaram uma pirralha pra assumir os vocais e, huh, parece as coisas estão voltando aos eixos. Pois “Buckingham” é exatamente o que eu esperaria do Wednesday Campanella no auge: uns versos rimados malucos junto de umas partes cantadas que chegam no refrão onde o instrumental se transforma num pancadão transcendental fritado na bala. E ainda tem o vídeo demente pra caralho dela como uma aluna fugitiva do colégio do yyxy usando alguma coisa em um bar. Tão japonês! ❤

46. TEN – PAINT ME NAKED

Acho que essa aqui aparecendo na segunda metade do ranking vai levantar as sobrancelhas de alguns, mas a real é que eu genuinamente adorei esse solo do Ten para um station qualquer. Eu adoro a temática da música, com ele falando que a garota pode pintar ele peladão e que depois eles irão transar até ficarem com as pernas moles. Adoro o MV que deve ter custado uma nota com ele sendo fashionista em diferentes cenários. E adoro que a sonoridade do instrumental é o tipo de coisa que alguma disney girl lançaria na Hollywood Records. Um desperdício esse não ter sido um single prum álbum ou EP solo dele.

45. JO YURI – GLASSY

Outro solo que talvez soe meio aleatório aparecer alto assim, já que nem foi tão comentado à época do lançamento. Mas é que isso aqui é legal demais. “Glassy” é uma dessas ~músicas divertidas de solistas novinhas inspiradas na IU fumada de 23 anos~ que rodam muito na minha playlist. O instrumental é criativo e simpático, a interpretação vocal mais suspirada da Yuri funciona bem nesse formato, o drop após o refrão é gostosinho, a letra metalinguística com o fato desse ser um novo passo para ela como idol é bonitinha e o MV com ela fascinada com um sapato de cristal gigante é bem a viagem de drogas que cola legal nessa proposta (me lembra solos do Loona, inclusive pela produção do MonoTree). Pode não ser a coisa mais explosiva dessa lista, mas teve um replay-factor bem forte comigo.

44. COSMIC GIRLS – UNNATURAL

Me sinto meio roubado por o Cosmic Girls só ter feito sua transição-Apink-Twice-para-as-pistas tarde assim. O line-up é recheado de grandes gostosas com o vocal acima da média que conseguem servir muito nesse template. Devia ter rolado lá por 2019 isso, junto com o sucesso de “Boogie Up”, assim teríamos mais coisas-bate-cabelo como “Unnatural” no catálogo delas. Isso aqui é bom pra caralho! O bloco final, depois da bridge emotiva, com o baixo fazendo aqueles *BUMP BUMP BUMP BUMP* no ritmo da melodia do refrão depois da Exy chamar a gente, com elas repetindo ele com mais intensidade e uma variação final… pop heaven!

43. IVE – ELEVEN

UM DOIS TRÊS QUATRO CINCO SEIS SETE *morde*: o IVE conseguiu fazer todo mundo se sentir que nem ONZE! Eu não estava botando fé nenhuma nesse debut da Starship, mas eles conseguiram construir um line-up enxuto com gatinhas tão icônicas quanto as que estavam no IZ*ONE, além de arrumar uma música diferente da manada dos girl crushes atuais. “Eleven” é tipo uma “Rum Pum Pum Pum”, do f(x), mas com uma pitadinha de (G)I-DLE nessa equação. O resultado é uma música chamativa, diferente e forte o suficiente para fazer todo mundo prestar atenção nessa estreia. E sexy, sexy pra cacete! É impossível não se contagiar por cada parte dessa música: os versos crescentes, o pré-refrão mais lento, o refrão explosivo, o gancho com a mordidinha no final dele, o final com os corais atrás. Que bop, caras, que bop!

42. YUKIKA – INSOMNIA

Bicho, essa aqui é outra que também é boa demais. Chega essa segunda metade da lista e a quantidade de hinos vai ficando bizarra. Eu sei que “Insomnia” não é melhor que “Soul Lady”, mas é bem improvável que alguém consiga lançar uma música melhor que “Soul Lady” tão cedo, então nem é justo comparar. O lance é que “Insomnia” é ainda outro exemplar dessas reformulações do citypop japonês que a Yukika faz no K-Pop com todos os bônus que isso pode despertar. É tudo muito tocante, naquele limiar perfeito entre soar feliz e triste na mesma proporção. A Yukika é uma das melhores dessa geração e duvido que eu vá enjoar dela em algum momento.

41. EVERGLOW – PIRATE

Eu sinto bastante falta de um aspecto específico da 2ª geração do K-Pop: a ideia de que girlgroups de bad girls, como 2NE1 e 4MINUTE foram na época, casam perfeitamente com músicas EDM para se jogar na pista de dança. E foi isso que rolou aqui com o Everglow, que deixou o trap maçante de lado para emular alguma coisa que o Shinsadong Tiger escreveria para o T-ara, servindo um farofão cataclísmico capaz de interromper a rotação da Terra por alguns minutos. Pra ficar perfeito, só faltou mesmo elas darem uma de Gwen Stefani e filmarem o MV num cenário de pirata mesmo.

jo yuri gif | Explore Tumblr Posts and Blogs | Tumgir

Foi isso dessa vez. A partir de amanhã, chegamos naquela parte da lista onde cada posição, de fato, conta, onde estão os maiores bops desse ano, rola um banho de sangue com várias fan favorites e por aí vai.

12 comentários em “TOP 100 | As melhores músicas do asian pop em 2021 [55-41]

    1. Yup, tem uma menina que participou do Sixteen, reality show que formou o Twice, e uma ex-YG, mas essa da YG iria debutar num grupo pós Pink Punk (que virou o BLACKPINK), que a gravadora estava vendendo como um futuro 2NE1 (a Youha também faria parte dele).

      Curtir

  1. As Cosmic Girls têm feito trabalhos excelentes nos últimos anos; é uma pena que elas sejam extremamente ignoradas pelo grande público.

    Com a unit Chocome prestes a ganhar um comeback em janeiro (e a unit The Black possivelmente ganhando um mais pra frente – quer dizer, nós PRECISAMOS de mais músicas como “Easy”), e com boas chances de que as três chinesas nunca mais voltem do “hiato”, resta a dúvida se a agência delas vai lançar as duas integrantes restantes como solistas (até por elas serem as principais vocalistas do grupo), se vai lançá-las como um duo, ou se elas serão as únicas que vão continuar sem nada pra fazer entre um comeback e outro do grupo completo.

    Curtir

    1. Esquisito mesmo a Yuhua Entertainment não estar spamando as três o quanto pode, já que a mina lá que ganhou o Produce e debutou solo depois vendeu MILHÕES. Devem estar enchendo o rabo de dinheiro com outras coisas, publicidade, sei lá.

      Curtir

      1. pior que a yuhua ta tirando é uma boa grana com elas ,as meninas tão aparecendo em muitos dramas ,a xuan yi até como solista ja debutou ta rendendo muito dinheiro para eles la ,duvido muito que alguma delas prefira viver com o nome no serasa do que viver em grande estilo na china (que rende 3x mais que a propria iu ganha com a coreia )

        Curtir

    2. Eu ja acho que Cosmic Girls está indo pra aposentadoria.
      Depois do sucesso de IVE, essas vão virar a filha favorita da Starship. Certeza que WJSN vai ficar com as sobras e sobreviver uns últimos momentos.
      Até essas units sendo lançadas já prova isso, devem estar aproveitando pra estudar quem ali é mais rentável ou se vira alguma coisa pra manterem só o que for melhor.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s