PLAYLIST: janeiro e fevereiro de 2022

O ano está indo no K-Pop, J-Pop e adjacências. Eu, no entanto, permaneço de “férias” do blog por enquanto, acompanhando mais ou menos de longe os lançamentos. Já saiu bastante coisa boa que não comentei por aqui. Então, vamos aproveitar o feriadão de carnaval, o fato de hoje ser o último dia do mês e eu ter tirado disposição sei lá de onde nesse calor pra mexer na aparência do blog para soltar a primeira playlist de 2022, contendo trecos lançados em fevereiro, janeiro e umas raspas do tacho que rolaram bem no finalzinho de 2021.

O que entrou é o que eu tenho ouvido e gostado. O que não entrou é porque ou não ouvi ou ouvi e não gostei (tipo STAYC e Apink). Já sigam lá no Spotify e vamos aos pitacos faixa a faixa…

01. TAEYEON – SOME NIGHTS: Minha música predileta desse começo de ano. A passionalidade da Taeyeon nesse instrumental soturno é de desgraçar o coração.

02. UTADA HIKARU – SOMEWHERE NEAR MARSEILLES: Eu sei que uma faixa de quase 12 minutos pode parecer uma tortura para a galera mais nova acostumada com produções de menos de três, mas cada segundo dessa album track do álbum novo da Utada vale o investimento.

03. KEP1ER – MVSK: “Wa Da Da” não me ofendeu como parece ter ofendido vocês, mas confesso ter enjoado dela logo na semana seguinte. Diferente de “MVSK”, o número house de mina gostosa do debut, que fica melhor a cada nova ouvida.

04. WOO!AH! – CATCH THE STARS: Finalmente essas nugus entregaram um single realmente ótimo. Estaria em casa dentro das melhores do GFRIEND ou do Oh My Girl.

05. WJSN CHOCOME – SUPER YUPPERS!: Essa também é excelente. Parece uma versão fofinha da icônica Maniac, do Michael Sembello. E o MV deixa a experiência ainda melhor.

06. MOMOLAND, NATTI NATASHA – YUMMY YUMMY LOVE: Não sei o que é uma Natti Natasha, mas que bom que ela se juntou ao Momoland pós-yassfication, pois a presença dela deixou com uma cara ainda maior de música de grande gostosa para rebolar até o chão. Por mim, tudo ótimo!

07. NATURE – RICA RICA: Ah, o Nature foi cancelado quando o teaser dessa aqui saiu, pois chegaram à conclusão, antes mesmo de ouvirem a música, de que elas estavam se “apropriando culturalmente” de algo aí. Bleh. Enfim, faixa legal, me lembra as farofas do T-ara.

08. BIBI – THE WEEKEND: Delicinha essa aqui. E surpreendentemente viciante. Uma dessas do final do ano passado que certamente sobreviverão ao longo desse ano.

09. HYOLYN, JOOYOUNG – LAY LOW: Depois de um tempinho, a Hyolyn enfim soltou seu follow-up para “Dally”. Ou seja: um pancadão urban para requebrar. Logo, sensacional!

10. FROMIS_9 – DM: Ainda outra música divertida e que dá uma sensação boa enquanto ouvimos. Se tornou a marca delas e ainda deve me agradar durante um bom tempo.

11. BILLLIE – GINGAMINGAYO: Esse bem que poderia ter sido o debut. É uma música divertida, que entretêm do inicio ao fim. Eu sei que é muito ITZY, mas quem se importa de verdade?

12. YUJU – PLAY: Falando em debut, legal que a Yuju escolheu uma midtempo sensual como estreia em pleno 2022. Achei ousado, retrô. Não tenho a menor ideia se fez sucesso, mas aqui em casa tá tocando bastante.

13. VIVIZ – BOP! BOP!: Bem requebrativa essa faixa que o VIVIZ usou como title pro debut. Acho os suspiros do início de uma sacanagem sapeca demais.

14. YENA, BIBI – SMILEY: Mais BiBi, dessa vez acompanhando outro debut, de uma ex-IZ*ONA, que de fato conseguiu conquistar o carinho da nação. A diferença de timbres e de maneira que elas cantam cola bem no pacote todo.

15. H1-KEY – ATHLETIC GIRL: Mais canceladas. Essas aqui, porque cantaram sobre como são gostosonas e malham bastante pra ficarem com o bumbum na nuca. Meio óbvio que a geração atual de ouvintes levaria isso a sério demais. Eu que sou velho (e gostoso), achei ela um número-mina-fodona bem chiclete.

16. WJSN CHOCOME – SWEETIE: A faixa mais Orange Caramel do Orange Caramel do Cosmic Girls.

17. AESPA – DREAMS COME TRUE: Pra mim que não gosto da versão original de “Dreams Come True”, achei que o aespa livrou a música de todos os defeitos que ela tinha e a transformou num bop que funciona muito dentro do repertório “urban futurista” do quarteto.

18. JAMIE – PITY PARTY: A Jamie parecia querer lançar uma dessa aqui como single desde a época do JYP. Pena que demorou tanto e já não tem quase hype nenhum pra ela acontecer, pois esse poderia ter sido o breakthrough jam dela uns seis, sete anos atrás.

19. VIVIZ – TWEET TWEET: Além do single, o #revamp do GFRIEND rendeu essa album track que é até melhor que “Bop! Bop!”. O instrumental mais contido e o vocal sussurrado e rouco que elas colocam a tira do lugar comum.

20. TAEYEON – INVU: O melhor single da Taeyeon em muito tempo. E olha que ela costuma soltar músicas bem fortes como single at all. O instrumental me remete ao que a Madonna e o William Orbit fizeram naquele clima mais etéreo no “Ray of Light”, mas com uma interpretação usando o R&B/Pop atual.

21. WONHO – EYE ON YOU: O Wonho servindo o house dançante de clube das mulheres que eu quero que ele siga servindo durante uns bons anos. Na real, é a melhor dele desde “Open Mind”.

22. BILLLIE – OVERLAP (1/1): Essa que o Dougie indicou do Billlie é ainda melhor que o single. Gosto muito do clima circense do refrão, como se fosse uma trilha de filme fantasioso sombrio. Não tinha pensado nisso, mas o Billlie daria um bom novo Red Velvet. Podia rolar um investimento maior da SM pros clipes irem nessa vibe.

23. ROCKET PUNCH – CHIQUITA: Essa está fresquíssima. Ainda acho que o Rocket Punch seria bem mais legal caso não forçassem tanto o agudo, mas o instrumental aqui é tão legal que dá para relevar. De longe o melhor single delas.

24. UTADA HIKARU – BAD MOOD: Outra música muito boa do álbum novo da Utada (que não tá tão ruim quanto os singles e os materiais promocionais indicavam). O instrumental é super envolvente. Dá vontade de repetir várias vezes.

25. JUUNA – KAZENOOTOSAE KIKOENAI: Música de abertura de “Sabikui Bisco”, um anime pós-apocalíptico sobre desertos e cogumelos gigantes. Ela passa bem o clima energético da série.

26. H-EL-ICALL// – JUST DO IT: Pelo amor de deus o nome desse act. Porra, Japão! OST de outro anime que estou assistindo, “World’s End Harem”, uma pornochanchada meio bosta que eu estou quase largando sobre um mundo onde quase todos os homens morreram, aí os que sobraram precisam transar pra procriar. A faixa mais etérea dá até um ar de cult pra bobageira toda.

27. TRUE – HAPPY ENCOUNT: Última OST e última música da lista. Essa é dum isekai sobre uma menina que estava paraplégica, aí jogava um rpg de realidade virtual no hospital, mas ela morre e a alma vai parar no mundo do jogo. É super divertido, se chama “In the land of Leadale”. É dão aconchegante quanto essa música.

E é isso aí. Confesso que não pesquisei quase nada de J-Pop nesses tempos e nem de MandoPop. Se quiserem indicar alguma coisa, deixem nos comentários.

Até qualquer hora. \o

8 comentários em “PLAYLIST: janeiro e fevereiro de 2022

  1. O álbum da Utada acabou sendo uma ótima surpresa: eu estava esperando uma bagunça incoerente (considerando os singles lançados antes), mas ele acabou sendo coerente o suficiente e agradável de ouvir.

    O que não parece ter impedido ele de flopar no Japão, infelizmente (quer dizer, flop pros padrões Utada; Kumiko e Ayu sonham há anos com os números desse flop).

    Quanto ao finado GFRIEND, interessante saber que três ex-integrantes decidiram formar um novo grupo… e uma quarta ex-integrante preferiu se lançar em carreira solo em vez de continuar com as amigas.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Janeiro achei razoável, mas fevereiro foi ótimo e compensou bem todo o péssimo ano passado pros girlgroups. E que continuem assim, pois na minha cabeça, são as garotas que costumam lançar músicas boas, e não os manos. E a pergunta que não quer calar: quem é o macho prestes a ser flechado por Teião aí em cima? 🤔

    Curtir

  3. INVU foi a melhor title track que a Taeyeon lançou desde I, é isso. O álbum também está bom, curti a pre-release Can’t Control Myself (a vibe Courtney Love dela no clipe com a maquiagem borrada, cabelo desgrenhado etc foi TUDO, era basicamente o que a Rosé do BP e as pseudo-indie girls do kpop querem lançar e não conseguem emplacar).

    As album tracks do Stayc estão melhores que a title. 24/7, Butterfly e Young Luv são as melhores do álbum, todas com aquele ar retrô Y2K (Young Luv tão superior que está sendo mais promovida que a title track kkkkkkkk).

    Sobre a Jamie: não sei se foi a expectativa que eu tinha ao ouvir a faixa (nunca ouvi nada dela, me interessei depois daquela história com aquele cara xingando ela de thot), mas você acertou quando disse que podia ser o breakthrough jam dela há 6-7 anos… Porque a faixa é muito datada. Achei ruinzinha. Ela tentou emular uma baddie do insta, mas não achei que tem cacife para segurar a banca não.

    Curtido por 2 pessoas

Deixe uma resposta para Rafa Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s