PLAYLIST: março de 2022

E foi-se o mês de março. Pra mim, foi extremamente ocupado, mas altamente produtivo. Não sou de acreditar em horóscopo (costumo falar de signos ironicamente, aí as pessoas acham que é verdade), mas um podcast que eu acompanho, no iniciozinho de janeiro, tinha feito um mapão para o que poderia acontecer durante o ano à cada casa zodiacal, e pros de áries (oie), falavam que era um momento para investir em trabalho, se esforçar e essas bostas, que “as estrelas estavam boas pra evoluções”. E não é que tem rolado?

O site de animês que tenho com colegas (o JBox) tá crescendo, tenho feito freelas bacanas pro “braço nerd” do Uol, o Tangerina, ganhei uma bolsa de extensão na faculdade que, basicamente, vai me pagar para fazer um documentário, e ainda tem mais coisa no horizonte. Nesse meio tempo, tinha deixado o Miojo (agora com um novo visual) de férias, mas essa bodega aqui é um escape bobão que tenho onde posso escrever o que bem entender como distração do resto da vida adulta, então já é hora de voltar do recesso!

Durante o mês de março, saiu MUITA coisa, tanto no K-Pop, quanto no J-Pop. Ao todo, foram adicionadas TRINTA E CINCO faixas na playlist. Não vou tecer comentários individuais dessa vez, mas dividi ela em ~estilos~ e vou apontar uns highlights de cada um deles… 

01. Daoko, Yohji Igarashi – MAD

02. Kyary Pamyu Pamyu – Maybe Baby

03. Ako – Angel

04. Mondo Grosso – In This World

05. Wednesday Campanella – Edison

06. Oh My Girl – Replay

07. Daoko, Yohji Igarashi – Escape

08. Wednesday Campanella – Maneki Neko

09. Daoko, Yohji Igarashi – Spoopy

10. BoA – Aggressive

Essa é a parte mais eletrônica “pesada” da playlist, que conta com o meu provável J-Pop do ano até então, “MAD”, da Daoko, algumas album tracks do EP dela com o produtor Yohji Igarashi, o retorno de vários acts que sempre batem ponto por aqui, como a Kyary, o Wednesday Campanella, BoA, e o DJ Mondo Grosso, uma mina chamada Ako que eu nunca ouvi falar, mas que totalmente me comprou com essa mistura de indie rock com house de “Angel”, e a melhor faixa do mais recente álbum do Oh My Girl, “Replay”, cujo instrumental é o mais agressivo da carreira do grupo.

11. Apink – Red Carpet

12. Brave Girls – Thank You

13. Nogizaka46 – Actually…

14. Red Velvet – Bamboleo

15. Yukika, Kim Mi Jeong – Moonset

16. Apink – Single Rider

Essa segunda parte é formada por faixas ainda dançantes, ainda para as pistas, mas mais leves. A que mais curti foi “Bamboleo”, do Red Velvet, mas que parece retirada do “Reboot”, do Wonder Girls. Tem duas delicinhas do Apink que eu só ouvi mês passado, tem Yukika sendo Yukika com algum produtor, a única faixa do Nogizaka46 que eu realmente curti na vida e, claro, “Thank You”, do Brave Girls.

17. Red Velvet – Beg For Me

18. NCT Dream – Glitch Mode

19. BoA – Make a Secret

20. Apink – Nothing

Dos vários bate-panelas que rolaram nas últimas semanas, só gostei mesmo de dois: “Beg For Me”, onde o Red Velvet parece cantar como se estivesse num puteiro tentando arrancar dinheiro de algum velho broxa que quer se provar como fodão para os empregados mais jovens dele, e “Glitch Mode”, do NCT Dream, que é um número de oppa fodão sensacional. Em paralelo, mas ainda nesse lado “urban”, teve também “Make a Secret”, da BoA, repaginada duma maneira mais elegante e cachorrona pro projeto de vinte anos dela no Japão, e “Nothing”, do Apink de novo, que também é pra se esfregar no pole dance numa boate.

21. STAYC – Young Luv

22. (G)I-DLE – Tomboy

23. ITZY – Voltage

24. The Oral Cigarettes, Kamui – Enemy

25. Fujii Kaze – Matsuri

26. Atarayo – Kousaten

27. Polkadot Stingray – Hide and Seek

28. Mrs. Green Apple – Nyū Mai nōmaru

29. Kana-Boon – Merry-Go-Round

30. Asian Kung-Fu Generation – You To You

31. Daoko, Yohji Igarashi – Cha Cha

32. Frederic – Junkie

33. BiSH – Aishiteru To Ittekure

Agora é o lado “mamãe sou roqueira”, com grupos coreanos que abraçaram a onda pop/punk e acts nipônicos que, de fato, soltam uns pop/rocks delicinhas que eu curto mais do que costumo transparecer. “Tomboy”, do (G)I-DLE, foi o meu K-Pop predileto do mês. O ITZY com seu debut japonês em “Voltage” e a album track “Young Luv”, do STAYC, não ficaram muito atrás em qualidade não. Daí em diante, são vários japas que vocês provavelmente terão preguiça de ouvir, mas todos funcionam muito no meu dia a dia. “Kousaten”, da Atarayo, cujo clipe eu botei ali em cima, é a que mais me viciou dessas, com uma melodia agradável e uma atmosfera vibrante que vai sugando o ouvinte prum mundo sem preocupações e feliz de se imaginar.

34. Oh My Girl – Kiss and Fix

35. Radwimps – Ms. Phenomenal

Pra encerrar, duas baladinhas bonitinhas. “Kiss and Fix”, em que o Oh My Girl mostra um lado mais alternativo num instrumental minimalista que parece montado para dar ênfase às interpretações vocais simpáticas delas. E “Ms. Phenomenal”, do Radwimps, que é mais “dentro da casinha” em sua estrutura, onde o piano está em maior evidência no começo, mas o instrumental ganha outros elementos conforme o tempo passa, até que ela explode mais pro final.

— 

E foi isso no mês de março.

ACHO que o blog volta à frequência normal a partir dessa semana. Sei que ficaram várias coisas sem comentar que valeriam posts solos nesse primeiro trimestre, mas mais pro final do ano, caso eu ainda esteja escutando elas, faço aqueles posts especiais pré-topzão de melhores do ano recapitulando os pontos altos de 2022.

flw vlw

6 comentários em “PLAYLIST: março de 2022

  1. É sempre um choque entrar numa lista de melhores músicas do mês/ano, ver o Apink nela e constatar que elas mereceram. Nem parece o mesmo grupo que alguns anos atrás só lançava músicas ruins água com açúcar.

    A propósito, tá acompanhando o Queendom 2? Gostou da SinB virando a mamacita coreana e da atitude mais fofa na competição até agora ter vindo justo da KIM LIP?

    Curtir

      1. Sim, cada episódio tem a duração de um filme do Senhor dos Anéis…

        Um ponto que talvez você ache interessante é que, apesar de quase não aparecer, a Sapuda mostrou que aparentemente é fascinada pelo falecido GFRIEND e ficou impressionada que as integrantes que sobraram vão competir com o Loona. Será que teremos uma cena dela indo pedir autógrafo pras Viviz e tomando uma patada da SinB?

        (pra ser sincero, eu achei MARAVILHOSO a SinB não estar com medo do cancelamento! Pena que é só ela; até a Yves, que vive soltando deboche pros apresentadores em outros programas, já confessou que se esforçou pra não parar de sorrir nem soltar algum comentário que pudesse ser considerado inapropriado por saber que qualquer deslize poderia ser usado pela Mnet pra queimar a imagem dela…)

        Curtir

        1. Atualizando: SIM, temos “ibagens” da Sapuda abordando as Viviz!

          Além de corajosa, nossa pirralha favorita também mostrou que é inteligente, abordando a SinBcita como “veterana” (depois da SinB ter dado a bronca histórica no WJSN por elas terem se referido ao Viviz como “novatas”) e abrindo as portas pra HeeJin puxar o saco das três ex-GFRIEND e ganhar a simpatia delas.

          De quebra, ainda foi fazer amizade com as Kep1er, que devem ter ficado encantadas achando que ela é uma pré-adolescente e nem devem fazer ideia que a YeoJin é MAIS VELHA que a maioria delas.

          Curtir

  2. Pela primeira vez não gostei da title coreana do RV. Parece… Um grupo inferior tentando emular o RV, se faz sentido? Tem os “elementos característicos”, mas não a mesma qualidade de um release. As album tracks são todas infinitamente superiores, e a title japonesa também é melhor.

    Ver The Oral Cigarettes (da op de Noragami), Kana-boon (da op de Subete ga F ni naru) e Asian Kung-fu Generation (da op de Boku dake ga inai machi) me transportou direto para o meu ensino médio, meu deus kkkkkkk e o pior é que continuo gostando das 3 bandas, e dos mesmos animes. Saudades dos idos de 2015.

    Só consigo ouvir Tomboy com um edit que fizeram tirando o rap do segundo verso da Soyeon. Que coisa PODRE, o puro suco do cringe. Parece que a Soyeon aprendeu 15 palavras em inglês e quis usar todas de uma vez, fazendo sentido ou não. Achei que depois daquela polêmica do plágio a Cube ia arrumar alguém para revisar as letras e a melodia antes de lançar, mas pelo visto não.

    Curtido por 1 pessoa

  3. You to You do AKFG me bateu uma nostalgia tão grande. A música além de ser linda, fez eu lembrar da epoca q ouvia musicas de animes com meus amigos. Fui obrigado a revisitar várias musicas q eu ouvia nessa época que eu era feliz e não sabia. ❤

    Curtir

Deixe uma resposta para Brave Sound Drop It Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s