Quando a HeeJin entrou na toca do coelho em “ViViD” | Desbravando o Loonaverso #01

Quase seis anos atrás, a BlockBerryCreative, uma subsidiária da gravadora Polaris, decidiu colocar em prática uma ideia interessante, ousada e financeiramente perigosa. Eles iriam debutar um grupo feminino de 12 integrantes chamado Loona (que, em coreano, significa “garota do mês”). Contudo, como parte das suas promoções de pré-release, em vez de só soltarem imagens com essas meninas, vídeos introdutórios e coisas do tipo, que são habituais dentro do cenário, a produtora decidiu ir além.

Cada uma das loonas honraria o nome e conceito inicial do girlgroup e seria revelada mensalmente. Junto de suas aparições ao público, elas teriam seus próprio debut singles solos, de modo que, passados 12 meses, elas enfim debutariam juntas, mas já reconhecidas como solistas. Claro, muita coisa rolou nesse meio tempo e o provável plano inicial se modificou com o passar do tempo, mas chegarei nisso em algum momento.

O lance é que, entre 2016 e o debut em 2018, o Loona deu muito pano para manga, inclusive no blog que eu tinha antes desse aqui. Calha desse ser um dos projetos mais interessantes DA HISTÓRIA do K-Pop, além de seu um dos responsáveis pela nova cara que as “narrativas” de grupos precisaram abraçar nessa geração seguinte.

E como relembrar trecos é uma das coisas mais divertidas de se ter um blog, resolvi voltar ao ~loonaverso~ nessa nova série (limitada, por motivos óbvios) de posts, que cobrirá todos os lançamentos delas enquanto eram a futura merda mais quente do K-Pop (de acordo com a blogosfera fundo de quintal) em ordem cronológica. E tudo isso começou em outubro de 2016, com ViViD, da HeeJin

“ViViD” é, com o olhar de agora, uma cria meio estranha dentro do bando. Não no mau sentido. Porque, na verdade, até a chegada da Pirralha do Sapo, tenho a impressão de que a BBC e o Jaden Jeong (produtor do projeto inteiro) ainda não tinham uma ideia muito clara do que queriam fazer aqui.

Os dois únicos elementos realmente comuns à jornada que estão presente aqui são o “espírito animal” dela (um coelho) em evidência no MV e o dedo do time de produtores/compositores MonoTree na faixa. Mesmo a produtora de videoclipes que abraçaria o grupo, a DigiPedi, só chegou a partir do single seguinte (eca, vou ter que falar dele logo logo).

A única diferença palpável dentro da cronologia do grupo é que esse é o lançamento do Loona com menos “cara de lançamento do Loona” nesse período pré-debut. Calha de ser algo mais derivativo, tanto na estética visual quanto na música em si, com tudo indo naquele caminho “IU espevitada e debochada aos 23” que tantas outras solistas já fizeram (me vêm à cabeça agora a Minseo e a Eunbi em seus respectivos debuts, por exemplo).

O que não torna “ViViD” ruim. Muito pelo contrário. Na real, isso aqui é fácil top 4 ou 5 entre os solos do grupo. É o tipo de música jazzy contagiante que fica ainda melhor com o vocal mais irônico que a HeeJin coloca por cima do instrumental. Os “oh my god… yes!” são sensacionais. O resultado é sapeca, empolgante e fica na cabeça, com um replay factor altíssimo a longo prazo.

As coisas ficariam com mais cara de Loona com o passar dos meses, mas “ViViD” foi forte o suficiente para já nos despertar interesse pro que viria a seguir. E quem viveu aquela época sabe que era abrir qualquer rede social com a em algum ambiente capopeiro que obrigatoriamente apareceria alguém panfletando com “senhora, você sabia que a BBC vai debutar uma garota por mês durante 12 meses para formar um novo girlgroup chamado Loona?”

Infelizmente, pioraria antes de melhorar, mas disso eu deixo pra falar no próximo post.

5 comentários em “Quando a HeeJin entrou na toca do coelho em “ViViD” | Desbravando o Loonaverso #01

  1. Gosto muito de “ViViD”; é uma música divertida, com vocais na medida certa. Estranho lembrar que ela só tinha 16 anos nesse MV.

    É engraçado também que o pré-debut do Loona foi marcado pela história do “loonaverso”, mas os primeiros MVs na verdade têm pouca ou nenhuma ligação entre si… se lembro corretamente, foi só no MV da Kim Lip (o sexto MV solo) que a existência do loonaverso foi indicada na descrição do vídeo – e só no MV da Choerry (o OITAVO MV solo) que esse loonaverso começou a ganhar vida de verdade.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Aliás, falando em Loona, você soube do projeto novo do Jaden Jeong?

      https://www.allkpop.com/article/2022/05/upcoming-24-member-girl-group-triples-announced-will-be-lead-by-loonas-ex-creative-director-jaden-jeong

      Será que o Morning Musume/E-girls do k-pop vem aí? Só sei que com 24 integrantes, o melhor seria acabar com a fórmula “todo mundo tem uma linha” tão comum no k-pop – e considerando que o povo já reclama quando uma ViVi da vida só ganha um “HEY!” numa música, imagina como vão reagir num grupo onde várias integrantes não vão ganhar nem isso…

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s