Time machine: quando os onces se irritaram com o J. Y. Park por ter dado “Signal” pro Twice (2017)

Saiu hoje (ou “ontem”, se considerarmos o horário brasileiro e não o coreano) a notícia de que as nove integrantes do Twice resolveram renovar seus contratos com a JYP Entertainment. Por o grupo completar sete anos de estrada agora em 2022, e por a Nayeon ter ganhado um solo, muito se especulava na fanbase se haveria um futuro para o OT9.

Com essa renovação, imagino que elas passem a ser um grupo “senior” no cenário daqui em diante, com menos lançamentos por ano, mais solos e oportunidades das garotas aproveitarem o que conquistaram e seguirem numa escala menor e menos trabalhosa o sucesso que já possuem.

Os onces provavelmente estão todos muito felizes. Esses dias, porém, eu lembrei de um caso (hilário) envolvendo o grupo que, na época, deixou muitos fãs irritados…

A JYP Entertainment é uma gravadora bem prestigiada e com uma marca bem forte de produção do velhote J. Y. Park, cujas composições foram responsáveis por alçar ao estrelato acts como Wonder Girls, miss A, 2PM, dentre outros. Por conta desses grupos de segunda geração, ser da JYP meio que era sinônimo de ser produzido pelo chefão da gravadora e adquirir os maneirismos sonoros que ele adorava colocar.

O Twice foi o primeiro girlgroup do selo a não seguir essa tradição. A maioria dos singles de começo de carreira do grupo foi assinada pelo time de produtores Black Eyed Pilseung. E deu certo, com elas debutando muito bem e, comeback a comeback, conquistando um espaço feroz no coração do sul-coreano médio e expandindo seus domínios pelo resto da Ásia (principalmente Japão e, antes do Tzuyu-gate, China).

Mas os fãs do grupo (e da JYP num geral) aguardavam com afinco uma title produzida pelo velhote para as nove. E ela só veio mesmo em 2017, com Signal, que foi bem recebida pelo público geral, mas despertou um tiquinho de raiva numa galera mais xiita por outro motivo aí. Já chego nele, mas antes, exaltemos “Xigunal buné”.

Considero “Signal” um hino do gênero “piranhaegyo”. O velhote trabalhou muito bem aqui, montando um teen pop eletrônico onde tudo está em seu lugar. Eu adoro os sintetizadores que emulam joguinhos espaciais de Atari, adoro como ela vai crescendo nos versos e variando em si mesma até que chega no refrão kawaii full energético, mas ainda assim adocicado. A letra é bem cativante, cheia de momentos chiclete e com umas viradas bem engraçadas.

Tudo fica ainda melhor acompanhado do MV lá em cima, coloridaço, com elas tentando pegar o alien azul lá e se jogando no personagem bem humorado que acts da JYP gostam de entregar vez ou outra. As várias referências de produções da cultura pop ligadas a extraterrestres são excelentes, o vídeo tem uma porção de passagens divertidíssimas e que dão vontade de ver e rever. Honestamente, é um dos melhores do grupo. Ainda prefiro o de “Ooh-Ahh”, que é ainda mais caótico, mas esse tá num top 3 delas fácil.

Pra mim, “Signal” é um comeback perfeitinho do Twice, e que cresceu demais com o passar dos anos. E também foi um sucesso à época. Encabeçou as listas de mais ouvidas da semana na Coreia do Sul tanto na Gaon quanto na Billboard de lá, além de ter vencido o prêmio de SOTY no MAMA. Nos EUA, catou um top 3 nos charts digitais internacionais. E no Japão, pegou um top 4 semanas e foi a 23º faixa mais executada de lá naquele ano antes mesmo do grupo ter debutado por lá oficialmente.

Mas sempre tenho a impressão de que “Signal” foi um comeback ~menor~ do Twice daquele ano. Isso porque, mais tarde, elas lançaram Likey, que também foi um estouro (não tão grande quanto “Signal” em 2017, mas que se tornou uma das mais executadas de 2018 e uma faixa assinatura do grupo) e é ainda MELHOR que “Signal”. Enfim, ambas ótimas, ambas excelentes. Porém, até hoje me pego rindo da reação de parte do público, que ficou com raiva do J. Y. Park por conta disso aqui…

Ocorre que, no final do ano anterior, o J. Y. Park, que ainda não tinha feito nada para o Twice, resolveu abraçar o I.O.I, que tinha a Somi, à época da JYP, no line-up, e entregar pra elas a ESPETACULAR “Very Very Very”, uma das melhores músicas de 2016.

“Very Very Very” e “Signal” têm ideias bem parecidas entre si. Ambas servem esses sintetizadores de videogame, com letras repetitivas e vários momentos bolados unicamente para grudar na cabeça. Ambas são versões cheias de energético de “Gee”, do Girls’ Generation.

Então, quando “Signal” saiu, uma galera a qualificou como a irmã feia de “Very Very Very”, como se o velhote tivesse dado sua melhor composição para a Somi e deixado a sobra pro Twice. E… foi o que aconteceu mesmo, mas as duas músicas são ótimas, então não vejo motivo pra reclamar de verdade. =P

3 comentários em “Time machine: quando os onces se irritaram com o J. Y. Park por ter dado “Signal” pro Twice (2017)

  1. Na época fui uma das pessoas que reclamaram, mas assistia mesmo assim por curti muito a coreografia dessa música. Hoje em dia meu ranço diminuiu porque a música é boazinha (ainda mais se comprar com os primeiros lançamentos japoneses como Brand New Girl e Candy Pop, pra mim essas não descem até hoje)

    Curtir

  2. Talvez “Very Very Very” tenha sido um agrado do JYP pra Somi, como compensação por ela ter sido vetada da formação do TWICE (mesmo com ele criando duas vagas a mais pra colocar a Tzuyu e a Momo, mesmo essa última tendo sido eliminada na metade do reality show pra formar o grupo)…

    Quanto aos onces fazendo barraco, não me surpreende; eles podem não estar no nível das armys e blinks, mas também vivem surtando pelos motivos mais idiotas. Vide a vez que um music show errou um cálculo e deu a vitória do dia pro AOA, e os onces EXIGIRAM que o troféu fosse dado pro TWICE e que o programa emitisse um PEDIDO DE DESCULPAS pro grupo (mas não pro AOA, que na prática foi mais prejudicado que elas ao ter que devolver o troféu)…

    …Ou quando a Sabrinoca (que até então era fã declarada do TWICE) recebeu uma enxurrada de mensagens de ódio e tentativas de queimá-la pros patrocinadores dela porque ela riu de um comentário numa live que perguntava se o motivo pro público se preocupar com a saúde da Mina e não com a da Jeongyeon seria pela Jeongyeon ser feia (sendo que ela explicou logo depois de rir que estava rindo DA LÓGICA de quem enviou a pergunta e disse que não acha a Jeongyeon feia)…

    …Ou, mais recentemente, com o surto pela Nayeon ter perdido um troféu de music show pro Fromis_9 que supostamente não poderia ter tido a pontuação digital que teve (como se a Nayeon estivesse muito preocupada com troféus de plástico, quando o solo dela está fazendo muito sucesso e ela nem deve ter lugar pra guardar esses trofeuzinhos depois dos trocentos que já ganhou com o TWICE)…

    …E por aí vai. Essa agressividade deles chega a ser irônica quando a gente lembra que o TWICE parece ser um dos grupos mais “de boas” com todo mundo no k-pop (a mesma Nayeon “injustiçada” tava na peregrinação pelos music shows se divertindo com o Fromis_9, LOONA, Kep1er e outros grupos flopados e até dando uma forcinha nas interações pra ajudar a divulgar os singles deles).

    Curtido por 2 pessoas

  3. eu já acho “very very very” MUITO enérgica pra ter sido do Twice, acho que Xiguinal Boné é mais chill e menos açucarada, fora que o mv casa bem com esse lado “troll” delas que o Twice tinha no começo da carreira (alias, que saudades, queria que Scientist tivesse mais “”palhaçadas”” ao inves de the pretty girls are twice)

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s