Guarnições #06: Seulgi – Los Angeles

“Guarnições” é um termo almofadinha da gastronomia para os famigerados e adoráveis acompanhamentos dos pratos: não são o principal do consumo, não é por eles que o dinheiro é colocado, mas caso bem montados, acabam fazendo toda a diferença na degustação final. No mundo do asian pop, isso se reflete nas album tracks e b-sides de lançamentos.

Nessa coluna, a proposta é, sem muito critério além de “eu gostar”, panfletar algumas dessas faixas que não foram trabalhadas como single ou title, mas que seguem valendo a audição conforme os anos foram passando.

Não estou com muita ideia pra esticar uma análise inteira sobre o (excelente) mini de debut da Seulgi, mas vocês podem dar uma conferida no que o Dougie e o Wendell Gosto Meu escreveram recentemente.

Mas pra não passar despercebido, vou dedicar esse post à melhor album track nele, Los Angeles

Eu falei que não ia fazer um review do álbum, mas se eu fizesse, acho que destacaria o quanto ele me lembrou o mini de debut da Sunmi (esse tem resenha, leiam aqui) no sentido de toda a tracklist ter em comum uma certa “tensão” interpretada duma maneira mais, huh, sensual.

As faixas do “28 Reasons” até variam em referências sonoras, no que são influenciadas em seus instrumentais, mas todas elas tem um tipo de peso “pra baixo” que torna a experiência de escutar o álbum do início ao fim bem coesa.

Dessas várias canções, a album track que mais curti (e que está pau a pau com a title, ainda não decidi minha predileta) é “Los Angeles”. Porque ela leva essa tensão prum outro nível ao adicionar um “refrão surpresa” EDM-techno que deixa o resultado bem inusitado e apetitoso.

A impressão que tive com esse batidão entrando é a de que “Los Angeles” poderia ser utilizada como uma música de trilha sonora de algum filme entre o final dos anos 90 e a primeira metade dos 2000 que puxasse pruma vibe mais de horror, ou mesmo de ação com elementos sombrios, tipo “Anjos da Noite”, “Resident Evil”, “Blade” ou “Matrix”.

Ela tem toda cara de ser aquela que toca no momento em que o protagonista precisa, por questões de roteiro, entrar em alguma balada alternativa-gótica para ir atrás dos vilões, mas acaba preso no meio da pista de dança enquanto sua bebida é drogada e ele entra num transe onde as batidas do techno acompanham os cortes da câmera (ou algo assim).

“Los Angeles” é um desses pacotes completos, em que a letra esquisita, o instrumental intenso e a interpretação vocal carregada são costurados de maneira perfeita para nos servir uma experiência sonora impactante. Se não tiverem ouvido, ouçam, e ouçam também o resto do mini!

Acreditam que um leitor aleatório mandou um pix de SEIS REAIS pra eu fazer um post que nem tem nada a ver com asian pop aqui? Achei tão wtf que vou escrever mesmo, aguardem…

Publicidade

Um comentário em “Guarnições #06: Seulgi – Los Angeles

  1. SIMPLESMENTE A MELHOR DO ÁLBUM, AMÉM?????

    Eu amei a descrição porque eu tinha pensado EXATAMENTE na mesma coisa. Aquela vibe meio retrô, final da década de 90, balada rave e filme de vampiro com muita ação… De longe a melhor do álbum para mim, mesmo ele sendo ótimo – a única faixa que não gostei foi Bad Boy, Sad Girl, porque não gosto das participações de rappers aleatórios e fim.

    Seulgi virou santa patrona das meninas-esquisitas-góticas-bissexuais-que-curtem-BDSM. Vou até acender uma vela para minha mommy hoje.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s