MINI-ALBUM REVIEW | Sunmi – Full Moon (2014)

Outro dia, outra resenha de álbum como esquenta para o top 2014. No caso, outra resenha do álbum de ex-Wonder Girls, visto não só a HyunA e a Yenny terem soltado material solo em tal ano, mas a Sunmi também.

Confiram meus pitacos a respeito do Full Moon

Continuar lendo “MINI-ALBUM REVIEW | Sunmi – Full Moon (2014)”

MINI-ALBUM REVIEW | HyunA – A Talk (2014)

Enfim seguindo com os comentários de destaques lançados em 2014, é hora de relembrarmos aquilo de a maçã ser vermelha, assim como a bunda do macaco, com a HyunA sendo gostosa por conta disso ou coisa parecida.

Abaixo, meus pitacos sobre o excelente, mas impressionantemente não tão celebrado, A Talk

Continuar lendo “MINI-ALBUM REVIEW | HyunA – A Talk (2014)”

Com “Girls”, aespa comete o pior crime de um girlgroup: lança uma música genérica!

Por mias incrível que pareça, o aespa é um grupo que tem um passe bem alto comigo. Diferente de outros novos acts, como LE SSERAFIM ou IVE, onde os line-ups são bem cativantes, não acho que NingNing e as outras três indistinguíveis tenham qualquer carisma ou traços idol que conquistem at all.

Mas calha de a proposta de um girlgroup que se divide entre o real e o meta, cujos visuais dos MVs e as estéticas sonoras puxam prum lado mais sci-fi cyberpunk bizarro colar comigo. Não que elas tenham acertado em tudo quando investiram nisso: acho Next Level uma das músicas mais execráveis das últimas cinco décadas. E bobagens que não têm a ver como essa estética, como ForeverLife’s Too Short, não me mantêm acordado até o fim, então sequer considero.

Porém, quando elas acertam, acertam bem. Black Mamba me conquistou com o tempo com seu instrumental e climão de filme de espionagem futurista, Savage e todo seu mini-álbum são uma delicinha esquisita, e mesmo o cover de Dreams Come True mora em minhas playlists diárias desde o lançamento.

Nessa, podemos entender o aespa como um grupo de extremos. Ou são muito boas no que fazem, ou derrapam feio. O que, na real, faz delas um grupo bem interessante de se acompanhar, por bons e maus motivos. Então, é uma porcaria que Girls seja tão qualquer nota e derivativa, pois meio que mata esse status do quarteto até então…

Continuar lendo “Com “Girls”, aespa comete o pior crime de um girlgroup: lança uma música genérica!”

PLAYLIST: junho de 2022

O mês de junho acabou sendo bem mais movimentado do que eu imaginava com o retorno das aulas presenciais na minha faculdade e mais uma porção de coisas que rolaram pra mim em OFF. Nessa, perdi o hype para comentar alguns lançamentos bem quentes.

Dessa vez, em vez de fazer um pacotão, vou só partir logo para a playlist comentada, que traz o que de mais legal rolou nesses últimos tempos e sigamos para julho.

Continuar lendo “PLAYLIST: junho de 2022”

50% de 2022: As 10 melhores músicas do primeiro semestre!

E lá se foi mais um semestre inteiro. Fui dar uma olhada nos outros dois posts que tenho compilando as melhores músicas que saíram nas primeiras metades dos últimos dois anos e é interessante o quanto eles funcionam como um relatório desses tempos de pandemia e isolamento social. No de 2020, ainda sem qualquer notícia sobre vacinas, eu reclamo sobre o ano ser impedido de começar “de verdade” e explico que sinto ainda estar de férias, já que a minha faculdade tinha sido fechada e eu trabalhava remotamente. No de 2021, conto que já havia uma vacina, mas a imunização ainda era escassa por aqui (depois descobriríamos o motivo), e ainda tínhamos que aturar o bostão do presidente dizendo que havia se curado da COVID-19 tomando remédio de piolho.

Agora, em 2022, em certa medida, as coisas parecem voltar ao normal. Eu já estou com 3 dozes da vacinação, em breve tomarei a quarta. A COVID-19 já não é mais um monstro invisível e misterioso, e consegue ser domada por aqueles que tomam os cuidados necessários. Minha faculdade (que atrasou um semestre inteiro e passou outros três rolando apenas online) já retornou às atividades presenciais, já podemos encontrar nossos amigos com uma maior frequência, ir ao cinema, a restaurantes, usar os apps sem medo de morrer e por aí vai. De certa maneira, é como se esse primeiro semestre de 2022 fosse o último desse período bizarro que ficará para a história. Mas isso nós só descobriremos no ano que vem.

Enfim, uma coisa que se manteve nesses posts de 50% é a minha sensação de que, se todo o resto do mundo está uma merda, a música pop asiática ainda segue como um ponto de luz na escuridão. Nesses três primeiros semestres, foi nela onde pudemos encontrar o escapismo descerebrado ideal para deixar o que há de pior de fora para nos divertirmos sem restrições em nossas cabeças através dos nossos fones de ouvido.

Provavelmente esse top 10 mudará bastante até dezembro, já que foi assim nos dois últimos, mas aqui vão as minhas faixas prediletas do pop asiático lançadas em 2020 até então. Dessa vez, nenhum MandoPop, sendo 5 representantes do J-Pop e 5 do K-Pop. Listas são sempre divertidas, então convido vocês a elencarem também suas prediletas nesse último semestre. Será que sua favorita entrará? Bom, não se for uma do Red Velvet, já que achei os singles delas tanto na Coreia quanto no Japão uma bosta… :V

Continuar lendo “50% de 2022: As 10 melhores músicas do primeiro semestre!”