Saiu o MV de “Hula Hoop”, primeiro single japonês do Loona

Recentemente, o Loona debutou lá no Japão com o single double-a-side HULA HOOP/ StarSeed ~Kakusei~. Inicialmente, o trabalho saiu apenas nas plataformas digitais sem sequer o acompanhamento de videoclipes, o que deixou uma boa parte da fanbase do grupo em estado de pânico, achando que a BBC tava sem dinheiro até para isso e que o grupo acabaria na sarjeta de Shibuya pedindo esmola para a Daoko ou algo assim.

Não que a BBC agora tenha dinheiro e que o grupo não vá parar na sarjeta em breve, mas a real é que, nesse caso, o que aconteceu foi que a gravadora também havia marcado uma data para o lançamento físico do single (que vai pras lojas no próximo dia 20). E só agora, como divulgação para esse lançamento físico, eles soltaram o MV de “Hula Hoop”.

Essa prática de lançamentos digitais separados dos físicos é bem comum no Japão. Portanto, nesse caso, orbits, vocês não precisavam ter se preocupado tanto. Eu focaria o desespero para o quão evidente é a falta de verba da BBC nesse momento ao assistir o clipe abaixo, aí, sim, extremamente desesperançoso para com o futuro das garotas do mês… :V

Continuar lendo “Saiu o MV de “Hula Hoop”, primeiro single japonês do Loona”

Em “Go or Stop?”, Sunmi mira nos gamers com dedos de cheetos, mas acerta nos capopeiros das antigas

Enquanto decepciona metade de seu fandom como jurada no Girls Planet 999, Sunmi fechou uma parceria com um time aí de LoLzinho para soltar uma faixa oficial deles ou algo assim. Quando vi a notícia, imaginei que viria algo sonoramente mais na linha do que o K/DA lança de try-hard atual com o que a molecada parece gostar de ouvir. Ou mesmo que, talvez focando num público mais nerdola internacional, sairia um rockzão ou hip hop chill, mas Go or Stop? está bem mais pro que rolava no K-Pop do começo da década passada do que pra um release atual…

Continuar lendo “Em “Go or Stop?”, Sunmi mira nos gamers com dedos de cheetos, mas acerta nos capopeiros das antigas”

CLC de novo? LIGHTSUM já muda de personalidade e agora são o Cosmic Girls em “VIVACE”

Lembram do LIGHTSUM? Elas são aquele novo grupo da Cube, com uma das meninas roubadas do Produce 48, que debutou mais cedo nesse ano servindo Red Velvet na era Ice Cream Cake. Lembro que achei Vanilla meio deslocada do que girlgroups fazem hoje em dia, o que até seria interessante para elas se destacarem da manada, mas a música simplesmente sumiu da minha cabeça com o tempo (e ouvindo novamente enquanto escrevo esse parágrafo, acho ela meio irritante).

O lance é que a Cube meio que já desgarrou desse conceito mais maluquinho e barulhento e transformou elas no novo Cosmic Girls em Vivace, que está mais bacana de ouvir, mas está acendendo uns sinais de alerta aqui…

Continuar lendo “CLC de novo? LIGHTSUM já muda de personalidade e agora são o Cosmic Girls em “VIVACE””

Perfume – Spending All My Time | Casa da Árvore dos Horrores #05

Mudando de ilha dessa vez, é hora de aproveitar um dos lançamentos mais icônicos do Perfume para falar sobre um dos subgêneros que mais gosto do horror. Coloquem seus uniformes colegiais evangélicos e façam seus exercícios telepáticos enquanto toca um pancadão eletrônico, pois finalmente chegamos em Spending all my time

Continuar lendo “Perfume – Spending All My Time | Casa da Árvore dos Horrores #05”

Would You Run: TRI.BE serve mais um pancadão para vocês reclamarem de alguma apropriação cultural e eu ir requebrando até o chão

O TRI.BE meio que se tornou um grupo queridinho desse blogueiro bocó quando, mais cedo nesse ano, eu fui #TRI.BALIZADO com RUB-A-DUM e DOOM DOOM TA, dois farofões crocantes demais que misturam uma porção de elementos distintos, incluindo o funk carioca. Em paralelo, uma galera, provavelmente bem jovem, começou a problematizar o grupo, dizendo que elas se apropriavam culturalmente de culturas que não são a cultura delas e deveriam parar de se apropriar culturalmente de culturas que não são a cultura delas.

Como essas discussões de Twitter têm a profundidade de um pires e a duração de um vídeo no TikTok, as novas protegidas do Shinsadong Tiger já estão de volta, ainda com esse conceito “world music diplo com M.I.A. capopeiro“, jogando no liquidificador uma porrada de troços com Would You Run

Continuar lendo “Would You Run: TRI.BE serve mais um pancadão para vocês reclamarem de alguma apropriação cultural e eu ir requebrando até o chão”