As 10 melhores músicas ocidentais… da década!

Dias atrás, a Rita Ora estava para fazer um show (HORRÍVEL, fiquei abismado) no Rock In Rio, aí um fã dela compartilhou no Twitter que a plateia ia se emocionar (não se emocionou, porque o show foi HORRÍVEL) ouvindo a excelente “Anywhere”. Nisso, me lembrei que “Anywhere” é uma das minhas músicas pop ocidentais prediletas da década passada e que ela aparecia bem alto no rascunho de lista que eu estava fazendo em 2020 elencando as 100 melhores lançadas no ocidente entre 2010 e 2019.

Calhou de a lista não ir pra frente por motivos que nem lembro mais, mas decidi resgatar essas minhas favoritas desse lado do globo e montar um top 10 de respeito porque… sim. Duas anotações antes de começarmos a lista. A primeira é que, pra efeito de funil, eu só considerei mesmo faixas que estão nesse espectro “pop”. Minha música favorita da última década DE VERDADE é I Sat By The Ocean, um rockzão-vapor-de-virilha do Queens of the Stone Age. Mas quem diabos se importa com rock nesse blog?

A segunda é que, ao fechar a lista, eu me dei conta de que a minha faixa brasileira preferida desse período não estava no top 10. E eu meio que prefiro as do top 10 (e umas outras três ou quatro internacionais) antes dela, então não tiraria vaga de nenhuma para incluir como cota nacional. Isso posto, ela vale uma menção honrosa gostosona…

Continuar lendo “As 10 melhores músicas ocidentais… da década!”

ALBUM REVIEW | BLACKPINK – Born Pink (2022)

Recentemente, o BLACKPINK lançou seu segundo álbum de estúdio coreano, o Born Pink. As reações foram mistas: o desempenho em vendas foi excelente, com o disco figurando, atualmente, no topo da parada de álbuns da Circle Charts (antiga Gaon) e da Billboard 200 nos Estados Unidos. Parte da crítica internacional (e aqui do Brasil), no entanto, não compartilhou da empolgação dos fãs, classificando o trabalho com adjetivos que não agradaram à galera mais enfurecida do Twitter.

Eu perdi todo o hype desse lançamento por estar ocupado com a faculdade, mas vou aproveitar as atualizações semanais dessas listas para trazer meus dois centavos sobre esse LP e tentar dar uma resumida no que acho do “fenômeno BLACKPINK” at all. Bom, vamos lá…

Continuar lendo “ALBUM REVIEW | BLACKPINK – Born Pink (2022)”

Guarnições #05: Youha – Numb

E eu finalmente fiquei de férias. Estava dando uma olhada nos posts dos colegas para saber o que de legal tinha de lançamentos, aí descobri que, basicamente, nada que preste rolou recentemente, pois parece que todo mundo ficou com cagaço de disputar com o comeback do BLACKPINK.

Eu achei o álbum do BLACPINK uma merda, mas zero vontade de descascar ele nesse primeiro post de retorno pós-sofrimento universitário. E como não tinha nada de novo pra escrever sobre, resolvi ressuscitar e “rebootar” um quadro antigo aqui do blog: o Guarnições.

“Guarnições” é um termo almofadinha da gastronomia para os famigerados e adoráveis acompanhamentos dos pratos: não são o principal do consumo, não é por eles que o dinheiro é colocado, mas caso bem montados, acabam fazendo toda a diferença na degustação final. No mundo do asian pop, isso se reflete nas album tracks e b-sides de lançamentos.

Nessa coluna, a proposta é, sem muito critério além de “eu gostar”, panfletar algumas dessas faixas que não foram trabalhadas como single ou title, mas que seguem valendo a audição conforme os anos foram passando. Antes eu fazia isso com várias por post, mas acho melhor trazer uma de cada vez daqui em diante.

A escolhida da vez é uma das músicas que mais tenho escutado ao longo desse mês: Numb, da ex-futura-2NE1 Youha

Continuar lendo “Guarnições #05: Youha – Numb”

PLAYLIST: julho e agosto de 2022

Esses últimos dois meses foram bem agitados por aqui. Minha faculdade entrou num vórtice maluco onde os professores, talvez por esse ser o primeiro período presencial desde todo o ocorrido com a COVID-19, tacaram uma porrada de avaliações ao mesmo. Em paralelo, me mudei! Saí do município afastado em que eu morava e levava mais de duas horas diariamente para chegar à faculdade para viver numa (não riam) “república para rapazes” que fica pertinho da faculdade.

Divido a casa com dois marombas hilários que aleatoriamente começaram a se comportar como se fossem meus irmãos mais velhos (um deles literalmente me deu esporro anteontem porque eu estava acordado até tarde e tinha aula cedo no outro dia, fiquei abismado), um moleque que morava no mato e é bem baruhento quando está acompanhado (entendam como quiserem), um gringo que quase nunca aparece (um dos marombas acha que ele é um fantasma) e um outro bem mais velho que é chatão, mas todo mundo acha ele chatão então tanto faz.

Tá legal, embora, enquanto eu escrevo esse post, tenha acabado a água e já esteja mais de 30º no Rio de Janeiro. Vai ser um longo e odoroso dia.

Enfim, asian pop, né? Hehe. Por esse tanto de coisa que rolou em off, calhou de eu não ter conseguido atualizar devidamente esse blog ao longo das últimas semanas. E calhou também de, justamente, nesse meio tempo, praticamente todos os acts principais da atualidade terem feito comeback (ou debutado, caso do NewJeans). Devo ter deixado de ganhar milhares de views, risos.

Mas antes tarde do que mais tarde, é hora de atualizar a playlist aqui do blog e, enfim, dar meus pitacos sobre o que de melhor rolou . O que não entrou foi por eu não ter curtido. Blinks e sones, não me xinguem nos comentários. Ah, como já tem bastante tempo, vale ressaltar que a ordem da playlist é mais de acordo com o “mood” das músicas juntas e não da minha preferência – embora a primeira nela, de fato, seja a que mais curti e a que tem chances reais de pegar uma vaga no pódio desse ano…

Continuar lendo “PLAYLIST: julho e agosto de 2022”