Meus 10 videoclipes prediletos do asian pop!

Dias atrás, o Dougie soltou um post elencando os 10 videoclipes prediletos dele dentro do asian pop. A ideia é ótima, então resolvi copiar. 😀

Só não imaginava que escolher só 10 fosse ser uma tarefa tão ingrata. Pra isso, usei o seguinte critério: como o YouTube é o meu principal player de música online, pensei aqui em quais vídeos, quando apareciam no aleatório, costumam que fazer parar o que estou fazendo em primeiro plano e ir assistir até o fim. Aí reduzi pros que eu acho mais melhores de bom e, pum, temos a lista. Aqui vai ela…

Continuar lendo “Meus 10 videoclipes prediletos do asian pop!”

As esquecidas no churrasco do listão das melhores de 2020

2020 acabou tem uma semana já, mas antes de tocarmos em frente com as pautas desse blog, achei melhor fazer um compilado com 10 faixas que bem que poderiam ter entrado no top 100, mas acabaram de fora por motivos variados. Sem muita enrolação, vamos lá:

Continuar lendo “As esquecidas no churrasco do listão das melhores de 2020”

“Wanna Be Myself”, do Mamamoo, e outros CFs icônicos do K-Pop

Mamamoo saiu da toca recentemente com Wanna Be Myself. Esse é o primeiro retorno do grupo completo em um MV após atingirem um novo patamar de popularidade ano passado com o Queendom e a title “Hip!” (que eu meio que tinha dado uma cagadinha à época do lançamento, mas acabou se convertendo em um dos meus singles prediletos do grupo em todos os tempos) e de uma porção de releases solo com níveis variados de sucesso.

A música é uma graça, sendo o número disco que o Mamamoo não chegou a lançar em início de carreira (acho que foi uma das poucas referências retrôs que elas não exploraram anos atrás), mas que também fica em casa com a retomada moderna que o gênero vem sofrendo em 2020.

Ela está sendo usada como CF para uma grife de roupas que eu nunca ouvi falar, o que me remete a uma época ilustre no K-Pop onde empresas e produtores realmente se esforçavam em comerciais do tipo, capitalizando em cima de marcas com demos que, honestamente, poderiam ser utilizadas como comebacks normais desses acts.

Dito isso, separei abaixo uma listinha com 7 dos meus CFs favoritos, pois relembrar é viver e rebolar a bunda num comercial tailandês de moto é sempre uma boa pedida para um sábado a tarde.

Continuar lendo ““Wanna Be Myself”, do Mamamoo, e outros CFs icônicos do K-Pop”

TOP 100 | As melhores músicas do asian pop em 2016 [10-01]

E enfim chegamos ao fim do quarto top throwback do Miojo Pop, listando quais foram os 100 melhores lançamentos do asian pop durante o curioso ano de 2016 (um oferecimento COVID-19). Muitas foram as ótimas músicas que passaram por aqui nos últimos dias, mas só 10 conseguiram atingir o ápice em tal ranking.

Sem mais enrolações, qual bop se juntará ao glorioso pancadão da Anda, What ou Waiting For, ao baladão ultraemotivo da BoA, Fly, ao sex anthem Eclipse, da Kim Lip, e ao rockzão poético She Hates Me, da Anna Tsuchiya, no panteão de bests of aqui do blog? Confiram…

Continuar lendo “TOP 100 | As melhores músicas do asian pop em 2016 [10-01]”

TOP 100 | As melhores músicas do asian pop em 2016 [100-86]

E veio aí de verdade! Não, não era lenda. Eu enfim começarei esse top 2016, tão prometido e comentado há tanto tempo, mas que fui empurrando com a barriga por preguiça. A partir de hoje, pelas próximas semanas de agosto, recobrarei esse ranking com os maiores lançamentos de quatro anos atrás, originalmente postado lá no outro blog. Claro, com algumas atualizações, pois o tempo passa e nossas opiniões vão se modificando.

2016 foi um ano bem… atípico para o pop asiático. A partir dele, uma porção de acts sul-coreanos decidiram, na falta de um termo melhor, se levar a sério demais nisso de “conceito” e em produzir material para que as fanbases se digladiarem em interpretações através de poucos segundos de MVs ou letras quaisquer. Nessa, o K-Pop perdeu parte daquela aura “trash” que atraiu muita gente no início da década, como se a Coreia do Sul fosse um grande depósito de pancadões pop derivativos maravilhosos que os EUA já não conseguiam mais ser, justamente por se venderem como algo “a mais” do que eram.

Em paralelo a isso, na ilha vizinha, todo mundo resolveu aparecer. Utada voltou da aposentadoria com seu melhor álbum em todos os tempos, outras j-véias foram pra cima com singles também muito fortes e uma campada do novos acts pirados da cabeça fizeram de tudo para se sobressair. Bom para mim e para outros fãs de J-Pop. Em reflexo, essa foi a lista mais desnivelada para o lado nipônico que já fiz: serão 2 representantes do MandoPop, 46 do K-Pop e CINQUENTA E DUAS do J-Pop. Se preparem para suas favoritas nem aparecendo enquanto REOL ou Wednesday Campanella comem várias e várias posições com album tracks emblemáticas.

MARAVILHOSAS REGRAS

O top é meu, baseado única e exclusivamente em minha opinião, minha subjetividade. Então, coisas como charts, vendas, popularidade e relevância pra o meio em nada influenciam isso;

Meu maior critério de escolha, na real, é o quanto as faixas duram em minhas playlists diárias. Quanto mais ouço, mais alto ela aparece. Mesmo que eu considere uma música “melhor” que outra em questões técnicas (exemplo aqui, reveluvs), se eu ouvi pouco conforme os anos passaram, tchau;

Vocês têm todo o direito de discordar das minhas opiniões e até sugerir outras melhores para as posições ocupadas, mas saibam que estarão errados, pois meu gosto musical é perfeito. Bjokas.

Sem mais enrolações, vamos ao primeiro corte, com Jennie e as outras já morrendo na última posição…

Continuar lendo “TOP 100 | As melhores músicas do asian pop em 2016 [100-86]”