Raspa no tacho (28/04): Miyeon (do (G)I-DLE), Seventeen, NU’EST e mais

De tempos em tempos, uma porção de trecos saem e, por algum motivo, como falta de relevância para encher um post inteiro, ou falta de tempo deste que vos escreve, acabam não dando às caras aqui quando deveriam. Juntem isso tudo num lugar só e, plim, temos a raspa no tacho.

Continuar lendo “Raspa no tacho (28/04): Miyeon (do (G)I-DLE), Seventeen, NU’EST e mais”

TOP 100 | As melhores músicas do asian pop em 2021 [40-26]

E enfim chegamos à trinca final de posts. O que quer dizer que, daqui em diante, todas as faixas realmente fizeram algum barulho em minhas playlists, a ponto de, em dados momentos, serem consideradas para o top 10. Só que a vida não é perfeita para todos, então tais delicinhas acabaram barradas da festa um pouco mais cedo. Mas só um pouquinho mesmo.

Sem mais delongas, vamos lá…

Continuar lendo “TOP 100 | As melhores músicas do asian pop em 2021 [40-26]”

As músicas mais pau mole de 2021

Fim de ano em blogzinhos da blogosfera fundo de quintal é época de intermináveis listas compilando os mais sei o que lá de tal período de 12 meses. Vários colegas já começaram seus listões com o que de melhor rolou, eu mesmo pretendo começar o meu no natal, mas como um “esquenta”, quis trazer antes uma coletânea com o que de pior eu ouvi ao longo de 2021. Dessa vez, além de falar das bombas radioativas do asian pop, incluirei também algumas porcarias do pop ocidental.

Se lista de “melhores trecos” já são bastante subjetivas, as de “piores troços” então são de arrancar cabelos alheios, o que torna tudo ainda mais divertido. Abaixo, entraram aquelas faixas que ouvi e minhas opiniões variaram entre “huh, esse act lançando isso aqui?” ou “nossa, que vontade de arrancar meus tímpanos.” O que quer dizer que algumas delas nem são ruins ruins, só, ahn, fracas por x motivos ao serem executadas por y artistas, sendo um pecado por existirem da forma que existiram. As outras são só um cocô sonoro mesmo. Aah, e atenção pro “que ouvi” em vermelho ali atrás, pois não faz o menor sentido querer falar mal de bagulhos feitos por gente que sequer me importo com a existência (basicamente, 80% da corja de boygroups da atualidade).

Pormenores introdutórios introduzidos, vamos falar mal de BLACKPINK pra já atrair a atenção da garotada e bombar de views

Continuar lendo “As músicas mais pau mole de 2021”

As 20 melhores músicas… do K-Pop!

Tempos atrás, uma patota de profissionais da música na Coreia do Sul se reuniu para eleger quais foram as melhores faixas lançadas na história do K-Pop até aquele momento para a Melon (leiam aqui). A eleita, no caso, foi “No.1”, da BoA, o que faz sentido, já que, como pontuou o Dougie no post que linkei, essa se tornou uma música assinatura dela, que é um enorme símbolo do começo da onda hallyu como um todo. O pódio fecha com “Growl”, do EXO, ocupando a segunda posição, seguida de “Gangnam Style”, do Psy, que rapa a terceira.

O ranking provavelmente é condizente com o K-Pop enxergado de dentro da própria indústria (tanto que “Gangnam Style”, o primeiro hit global coreano, está alto assim). Contudo, ao ver essa lista lá em agosto, pensei em fazer o meu próprio topzinho de maiores bops coreanos já lançados. Levei um tempo maquinando e cheguei nessas 20 que, meio que, compilam o meu gosto e os highlights da minha vidinha de capopeiro, que começou lá em 2010 e infelizmente dura até hoje.

Tem coisa velha, tem coisa nova, title, album track, vários lançamentos de um ano só, anos que foram totalmente ignorados, uma delicinha que nem pegou #1 no top de seu respectivo ano, mas acabei descobrindo que ela é mais importante que as que ficaram acima, spoilers de tops que ainda nem saíram, muitas faves juntas num lugar só, um só act aparecendo três vezes e um mundaréu de outros que nem foram mencionados, pois esse é o crème de la crème do meu gosto pessoal.

Preparem a pipoca e vamos celebrar os maiores jams da história do K-Pop…

Continuar lendo “As 20 melhores músicas… do K-Pop!”

10 grandes disband anthems (não oficiais) para provar que términos não precisam, necessariamente, ser tristes

Recentemente, o colega Palpites Alheios começou um listão com algumas músicas “de disband”, mas que não são tão de disband assim. Eu achei a ideia ótima, então vou roubar.

Ocorre que, de uns anos para cá, tem sido bem comum o advento “pouco idol” de grupos disbandarem sem muito aviso prévio e sem uma preparação adequada para isso. Acho isso pouco idol, pois estou acostumado com o Japão criando imensas narrativas de adeus para que tanto integrantes (caso do Morning Musume e do AKB48) quanto grupos inteiros (caso do E-Girls) “se graduem”, envolvendo singles especiais, compilações, até turnês.

No K-Pop, o Sistar fez isso e o Mamamoo vem fazendo aos poucos. Mas trocentos outros grupos têm ignorado esse ritual idol. Ou por morrerem/serem mortos de uma hora para outra, ou por simplesmente morarem num vácuo onde não são mais trabalhados por suas gravadoras, mas o anúncio de disband nunca ter acontecido oficialmente. E isso tem gerado um fenômeno bem interessante de observar: o das músicas “finais” que não foram planejadas para isso, mas acabam ganhando um significado maior JUSTAMENTE por esse acidente.

Posto isso, resolvi também listar aqui, sem nenhuma ordem específica, quais os meus xx disband anthems não oficiais prediletos. Porque encerrar os trabalhos com grandes pancadões, por vezes, pode ser até melhor que baladinhas sentimentais…

Continuar lendo “10 grandes disband anthems (não oficiais) para provar que términos não precisam, necessariamente, ser tristes”