Time Machine: “Tell Me One More Time”, JINUSEAN, Pink Punk e uma história onde só o Bobby mesmo teve final feliz (2015)

A piada com o Bruno estar preso no porão da YG junto com o JINUSEAN que fiz outro dia reavivou nas minhas playlists diárias essa que é uma das minhas músicas favoritas do cataclísmico ano de 2015: Tell Me One More Time. Curiosamente, esse é um daqueles casos onde o release rendeu mais pauta por outros motivos que pela música em si. Então, voltemos ao meio da década passada para relembrar um dos cases de descaso mais intrigantes dos últimos tempos no K-Pop…

Para quem desconhece o duo acima (o que imagino que seja a maioria dos leitores aqui do blog), JINUSEAN foi um dos grandes nomes do K-Pop/K-Hip Hop da primeira geração (final dos anos 90, início dos anos 2000, quando as empresas e o governo sul-coreano começaram a colocar dinheiro nessa indústria para fazer com que as coisas começassem a acontecer).

Tudo começou quando o velho do Yang Hyun, aqui não tão velho, “descobriu” o rapper Jinu, que vinha trabalhando como solista no nicho urban coreano desde 1994, e resolveu contratá-lo para a recém-criada MF Family (que viria a se tornar a YG Entertainment) e juntá-lo com um dos dançarinos do Seo Taiji & Boys (antigo boygroup do YG, é, ele era um idol antes mesmo disso ser comum), Sean, formando a dupla de nome tão criativo.

HUAHUAHUAHUAHUA

Seu debut oficial rolou em março de 1997 (quem aí já era nascido), com a faixa “Gasoline” (tomem nota disso para quando eu falar já já de “Tell Me One More Time”):

“Gasoline” até chamou atenção, mas o hit mesmo veio meses depois, com a explosiva parceria deles com a, então, grande diva sul-coreana Uhm Jung Hwa (um dia reservo um Time Machine para ela, mas tenham em mente que, provavelmente, não existiriam solistas femininas poderosas hoje em dia por lá se a Uhm Jung Hwa não tivesse dado uma de Madonna à época). “Tell Me”, que também deve ser separada para já já, foi não só um sucesso estrondoso, como segue hoje sendo o meu capope velho, em minha opinião, de todos os tempos:

Hino atemporal

Nesse tempo, é possível dizer que o JINUSEAN (e a YG, por associação) redefiniram o que era esse Hip Hop Urban mais voltado às rádios dentro da Coreia do Sul, pavimentando o caminha para uma porão de artistas que viriam depois e, de certa forma, possibilitando que essa fórmula “idol que rima” fosse comum hoje em dia.

Os lançamentos foram constantes a partir daí. No entanto, por motivos que eu não encontrei fonte alguma para colocar aqui, o investimento da YG da dupla só durou mesmo até 2004, quando eles soltaram seu quarto álbum de estúdio, “Let’s Play”, cujo lead single foi essa delicinha aqui emulando Sean Paul que a galera que assistia aqueles “Disk MTV Internacionais” no início dos anos 2000 já deve conhecer:

Risos com a Kahi já tentando acontecer nessa época aí…

O JINUSEAN continuou contratado pela YG Entertainment sem comebacks oficiais por ONZE ANOS. Queria alguma entrevista oficial deles explicando o porquê disso. Algum contrato escravo? Amor ao YG? Continuaram recebendo dinheiro mesmo sem fazer nada? Ahein.

Bom, voltando para 2015, a dupla finalmente viu a luz de fora do porão, retornando com o single “Tell Me One More Time”, que rendeu um esforço real da gravadora para acontecer, apelando para diferentes fronts nisso.

O primeiro deles foi para o fator “futuras promessas da gravadora”, com a música sendo um feature com a trainee Hanna Jang, uma das eventuais participantes do Pink Punk, tão especulado girlgroup de nove integrantes da YG, que acabou morrendo na praia só com quatro gatas anos atrás no debut confuso do BLACKPINK.

Uma outra promessa fazendo cameo, mas que acabou se concretizando de verdade, foi o Bobby, do iKON, que já vinha batendo ponto nos vídeos de acts da empresa há tempos:

O segundo, para o fator “celebridades que não sei quem são”, colocando esse cara de 3 metros aí que vive aparecendo em programa de variedades para “dançar” no clipe:

O terceiro, para o fator “nostalgia de coisa velha”, com a música, num todo, sendo uma “continuação” da “Tell Me” acima, com a Uhm Jung Hwa, não só no nome, instrumental, coreografia, figurinos e proposta, mas também ao referenciar versos de sua letra e, vejam só, do debut em “Gasoline”.

Inclusive, a própria Uhm Jung Hwa catou sua dose diária de Calcitran para dar uma uma sensualizada de meio segundo no MV. Lindo demais:

“Quando aquela sua tia toma umas a mais na ceia de natal, hein…”

O QUARTO, apelando para “vamo enfiar uns feats. pra chamar o jovens”, colocando UM MONTE DE GENTE para cantar o refrão da Hanna em apresentações no Raul Gil onde ela não foi. Dentre as convidadas:

Dara, do já aí disbandado, porém não oficialmente, 2NE1

Ailee, entregando maravilhosos gritos desnecessários ao pacote todo…

Hani, do EXID, para dar umas miadas e morder os lábios pra câmera…

Coisinha do AKMU, tentando pescar a fatia aegyo do público…

Katie Kim, que também ficou de fora do Pink Punk, maravilhosa, desafinando HORRORES…

E Hyoseung, com aquele look água de salsicha adorável da era “Into You”.

Adiantou? Bom, mais ou menos. “Tell Me One More Time” pegou peak de #5 na Gaon, vendendo mais de 600 mil cópias digitais, números ótimos pruma dupla de velhos afastados há tanto tempo dos holofotes. A YG se importou? Absolutamente não. Vocês acreditam se eu disser que, mesmo depois disso tudo, esse foi o último single oficial deles, que voltaram a mofar no porão desde então? É, pois é.

Pra não dizer que isso aí foi o último lançamento em todos do JINUSEAN, a dupla chegou a participar, mais tarde, no mesmo ano, da quarta temporada daquele Show Me The Money, que eu nunca assisti, colaborando com um tal de Tablo (desconheço) nesse rap ols school divertidinho aqui…

E que acabou ganhando um pouco mais de gás em 2017, quando o Sean resolveu dar uma de vovô sarado naquelas turnês conjuntas da YG tirando a camisa nessa hora, com umas fancams viralizando aqui e ali…

HUAHUAHUAHUAHUAHUAHUA

Mas o mais estranho dessa história toda é que, dos envolvidos, acho que só o Bobby conseguiu se dar bem de verdade com o passar do tempo. Os velhos sumiram de novo. A Hanna, como já disse, não debutou no Pink Punk, também não debutou como solista e desapareceu. A Uhm Jung Hwa soltou um espetacular LP em duas partes nos anos seguintes, mas ninguém ouviu. Até as meninas convidadas pras apresentações ao vivo acabaram morrendo em popularidade em dado momento (tá, o AKMU teve hit ano passado, então desconsiderem a Sandy dessa equação). Uma pena.

De qualquer maneira, “Tell Me One More Time” segue como um dos lançamentos mais legais do ano de 2015. E não sei se vocês estavam presente, mas 2015 foi, se pá, o melhor ano da década passada para o K-Pop. Um delicioso highlight cujos resultados foram inexplicavelmente negativos a longo prazo.

8 comentários em “Time Machine: “Tell Me One More Time”, JINUSEAN, Pink Punk e uma história onde só o Bobby mesmo teve final feliz (2015)

  1. Pior que a música é legalzinha, mesmo… mas se nem a pélvis giratória da Hani salvou a carreira desses dois, não sei o que pode salvar.

    Talvez sair da YG ajude. Atrapalhar, não vai.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Falou YG, já sei da merda,eu nunca fui fã deles, mas rapaz o descaso é real. Concordo contigo 2015 foi um ano maravilhoso e horrível de se fazer top, quase tudo estava altura de entrar.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s