BLACKPINK faz o mínimo em “Lovesick Girls” e… bom, é melhor que nada

BLACKPINK - Lovesick Girls

Diferente de “How You Like That” e “Ice Cream”, cujo nada seria uma opção mais satisfatória aos nossos ouvidos.

BLACKPINK está de volta em nossa área, enfim entregando o tão aguardado primeiro full album do quarteto, que já se tornava lenda urbana dentro desse nicho. Formou-se uma “fórmula” nas (pouquíssimas) faixas escolhidas como title do grupo de “DDU-DU DDU-DU” em diante que levaram Jennie, Lisa e as outras duas ao estrelato internacional, fórmula essa que funcionou comigo em “Kill This Love”, mas irritou bastante em todas as outras repetições. Então, é com certa surpresa que, para divulgar o “The Album”, a YG tenha selecionado Lovesick Girls, que vai tão por fora desta.

Sejamos pragmáticos aqui: “Lovesick Girls” passa longe de ser inovadora, não rompe limites sonoros, não é criativa nem nada. Mas rola aqui um “efeito nota 6” que a destaca da manada. Imaginem um estudante que foi mal em alguma matéria o ano inteiro. Tirou notas terríveis em todas as avaliações dessa disciplina, só piorando a cada novo ciclo nela. Aí, ele fica de recuperação final e, surpreendentemente, consegue tirar uma nota 6, atingindo a média para passar de ano. Esse é o BLACKPINK com essa música.

Enquanto How You Like ThatIce Cream, em todo seu esforço para soarem avant-garde, resultaram apenas em porcarias tenebrosas inaudíveis (peguei leve demais chamando de “medianas” à época dos lançamentos, passaram uns meses só e já envelheceram como leite esquecido na pia), “Lovesick Girls”, bem mais ordinária, calha de render uma audição bem agradável, dando vontade de repetir quando acaba. Claro que não é a melhor coisa do mundo, ou do ano, ou do próprio catálogo das quatro até então, mas o simples fato de não ofender já a ajuda bastante.

A melodia é legal, o refrão existe, o instrumental melancólico misturando dance eletrônico com alguns instrumentos de verdade é diferente do que o K-Pop tem feito ultimamente. Gostaria de uma bridge mais intensa, para que surgisse um refrão final ainda mais energético, mas também não podemos ter tudo.

Enfim, parabéns ao BLACKPINK por, enfim, conseguir fazer o mínimo que um grupo pop tem como obrigação: lançar uma música legal de ouvir. Ainda não é o grande bop que um act com as proporções, hype e verba por trás assim deveria servir, mas levando em conta as notas vermelhas anteriores, a essa altura é bom ficar feliz por só passar de ano. =P

Review do álbum só no final da semana que vem. Gosto de dar um tempo para maturar a opinião.

37 comentários em “BLACKPINK faz o mínimo em “Lovesick Girls” e… bom, é melhor que nada

  1. Isso daí é uma rebarba do falecido 2NE1, é por isso que dá para ouvir sem fazer os ouvidos sangrarem.

    “Gostaria de uma bridge mais intensa, para que surgisse um refrão final ainda mais energético” em sonho, o YG desembolsaria uma merreca por um professor de canto e teríamos vocais melhores capazes de sustentar um instrumental de impacto, mas acho que refrão final mais energético… É, difícil a essa altura do campeonato para o BP, se em toda apresentação ao vivo a única que não parece estar morta por dentro ultimamente é a Jisoo kkkkkkkkk.

    Eu tenho dó dos blinks que ou são servidos lixo ou passam fome, então qualquer arroz com feijão eles já aclamam como SOTY. Mas esperto foi o YG, que enquanto outros girl groups precisam estar sempre se superando, basta ele entregar o mínimo do mínimo com o BP para agradar o pobre fandom.

    Curtido por 2 pessoas

      1. Acho que muito disso de a barra ser tão baixa é por conta dos fãs que aceitam qualquer migalha, especialmente os mais antigos, que continuam torcendo por elas mesmo que entreguem um trabalho medíocre. Tem gente que já investiu tanta coisa (tempo, dinheiro e até carinho) que não quer dar o braço a torcer e admitir que não está tudo tão bem assim.

        E sei que é de praxe meter o pau na YG com o péssimo gerenciamento dela (1 full album é o que o Twice lança por mês, não a cada metade de década), mas as meninas também têm culpa nisso. Vi algumas performances delas ao vivo e fica escancarado isso: lip sync o tempo todo; danças com coreografias tremendamente simples que são feitas numa má vontade e de qualquer jeito, e que saem fora de sincronização e de ritmo por causa disso; não tem energia nem carisma aplicado em nada. Muita gente já levou pau na indústria por muito menos (oi, Irene que foi criticada porque estava com saco cheio de ter quase 30 anos e ter que fingir empolgação com cute concept), e para elas é aceitável entregar nada.

        O BP só fez o sucesso que fez (internacionalmente) porque deu sorte de pegar o momento certo. Se não fosse pelo fato do Kpop ter “estourado” por aqui na mesma época do debut e elas serem um dos únicos ggs (e o único do alto escalão) a oferecer girl crush, não teria passado de 2 anos antes de dar disband, porque elas são literalmente a definição de “go girl, give us nothing”.

        Curtido por 3 pessoas

        1. Sorte de momento certo e de quebra feats com pessoas certas, elas vai demorar um pouquinho pra morrer e essa galera derivada dos feats que começou a acompanha-las agora se tocar de que elas são mais pra instagramers blogueiras modelos de grifes do que qualquer outra coisa. E como é justamente essa galera from big3 que dita tendencia (as vezes rola de algum ponto fora da curva como foi o white aegyo pioneiro do Apink, mas dessa vez só se vier algum debut muito cagado de sorte) então ainda vamos ter que engolir por mais uns bons anos esse girl crush meia boca na cena k-pop.

          Curtir

        2. Só não concordo com a parte do “e pra elas é aceitável não entregar nada”, como se as bixas não sofressem um hate absurdo tbm. Principalmente quando começaram a atingir o primeiro escalão e quiseram comparar elas não só com outros girl groups (alimentando a rivalidade feminina) como tbm com o BTS (oq teve de army tentando boicotar os últimos comebacks delas não tem no gibi).

          No fim das contas, eu acho que sempre sobra mais pras mulheres em qualquer contexto. A Jennie até hoje é lembrada por títulos como ‘YG princess’ e a ‘fase preguiçosa’, mão interessa o que ela faça ou tenha feito pra mudar.
          Disappointed, but not surprised.

          Curtir

          1. Eu não concordo com o hate que elas sofrem (que vem principalmente de netizens e army, para a surpresa de ninguém), mas você distorceu um pouco a minha fala, hein: netizens sempre dão hate em tudo e army não serve de base para nada (tá pau a pau como fanbase mais ´tóxica com blinks), e não me baseio em nenhum desses aí quando digo que elas não entregam nada e não sofrem consequências, e sim nos fãs que aceitam qualquer coisa. Prova disso é que chamaram HYLT de hino.

            Comparar com outros ggs não é ~alimentar a rivalidade feminina~ porque padrões só existem na base da comparação, não tem como dizer que alguma coisa é boa ou ruim partindo do vácuo – ou a gente compara com grupos do presente, ou do passado, ou com uma “régua” ideal do que um grupo deveria entregar, para dizer se elas estão fazendo um trabalho bom ou não. Sob qualquer dessas perspectivas elas não estão entregando nada digno de mérito. E, francamente? Se outros grupos conseguem entregar um trabalho melhor com 1/4 do orçamento, por que o BP não pode? Aliás, não vou nem tão longe, comparo com elas mesmas no passado: entregavam coisa melhor musicalmente e em termos de performance no 1º ano de debut se comparadas a atualmente, e falo isso com tranquilidade.

            A Jennie recebeu muito hate desnecessário, mas as críticas por entregar uma performance MEDÍOCRE (e estou sendo generosa em não chamar de coisa pior) e por ela ser favorecida pela YG (da quantidade de linhas a figurino, CFs etc) são pertinentes sim. E, vendo as performances atuais dela, não mudou muita coisa não, ela hoje não entrega um décimo do que fazia no debut; e se ela consegue dançar bem no solo dela, como sabemos que consegue, então dá para pelo menos não parecer um peixe morto durante as apresentações em grupo. Nós sabemos que ela e as outras integrantes podem fazer coisas muito melhores, MAS NÃO FAZEM – seja por preguiça, seja por desinteresse, por qualquer outro motivo; não é da minha conta saber nem da minha alçada resolver para que elas voltem a entregar um trabalho decente. Vou lá ficar passando a mão na cabeça de gente que está ganhando rios de dinheiro para brincar de ser idol?

            Curtido por 2 pessoas

            1. Eu não distorci sua fala de propósito, eu interpretei diferente e agora que vc respondeu eu entendi melhor. Se vc sabe que hate é absurdo, então entende que estou falando de ofensas desenfreadas, e não críticas. Até porque disse que concordo com tudo o que foi falado antes, não acho que elas tenham a musicalidade, ou discografia pra todo o hype em cima dela. E concordo sim que os blinks recebem qualquer migalhas e já chamam de hino qnd claramente nem é essas coisas de boa.

              Meu ponto foi somente o que eu interpretei mesmo, oq eu achei que fosse o que vc tinha dito. E falei das comparações e que é mais complicados pra GGs pq os últimos comebacks delas estão sendo invadidos de armys ou outras pessoas querendo boicotar, enquanto parece que ngm toca nos tais BTS. E sobre os outros GGs minha fala foi tbm sobre hate, e a gente sabe que todas elas são comparadas de diversas outras formas, não só musicalmente, aliás se fosse só musicalmente seria o ideal. Mas não é, e esse foi o meu ponto sobre rivalidade feminina.

              Eu poderia falar muito mais sobre esse meu ponto, porém não vou ficar flodando o blog só por uma má interpretação minha. Thanks pela resposta, isso foi interessante.

              Curtir

              1. Olha, só vim comentar: que resposta elegante Nathalie. Tá de parabéns. Nesses tempos de internet em que ninguém tá disposto a conversar, fiquei grata por esse diálogo saudável (e ainda falando de BP). Parabéns aos envolvidos.

                Curtir

  2. BlackPink tem a capacidade de me entristecer mesmo não sendo fã delas, elas merecem muito mas que músicas de elevador e barulhos sonoros pra torturar inimigos, e a fanbase ainda engoli isso e cada vez mais parece que aumenta de gente jurando de pés juntos que isso dá pra escutar, sei lá é só triste isso

    Curtido por 1 pessoa

  3. Bom, se os fãs gostaram, acho que é o que importa né? :p
    é aquela mesma história de sempre, elas não justificam o hype que tem e tudo delas é sempre assim: dá pra ouvir, foi melhor que tal single passado, o mv pelo menos é bonito, etc.

    Mas uma coisa que eles precisam corrigir urgentemente é o rap da Lisa, que negócio HORRÍVEL, acho que tá beirando Jay Park o nível de cringe dela

    Curtido por 1 pessoa

  4. Se fosse eu teria vergonha de chamar isso de Full Album/LP. Oito músicas?
    Tem gente que lança EP com sete…

    Tenho pena dos Blinks. Nunca tiveram um banquete na vida, então se contentam com um salgado e um caldo de cana.

    Curtido por 1 pessoa

  5. A preguiça da YG é tão grande que eles nem pra rechearem esse álbum com mais duas músicas pra que o título de álbum valha a pena e tenha no mínimo meia hora de música nele. Mas, tirando a incompetência da dita-cuja, essa música é gostosinha de ouvir e elas FINALMENTE tem um bop, já que a última coisa boa delas até então foi Como Se Fosse o Último (Comeback), lá do longínquo 2017. Os outros destaques desse EP pra mim são a parceria com a Cardi B, “Crazy Over You” (aqui elas acertaram no noona fodona concept), e “You Never Know”, que foi um bom encerramento pro “””álbum”””

    Curtido por 2 pessoas

    1. Isso é verdade; podiam tacar Boombayah e As If It’s Your Last no final da tracklist só pra fazer volume.

      YG lançando um full album de 8 faixas no mesmo mês em que o LOONA vai lançar um EP de… 8 faixas. Tá que uma delas vai ser uma intro instrumental de menos de um minuto e a última vai ser uma versão em inglês de outra faixa do EP, mas ainda assim…

      Curtido por 1 pessoa

        1. Sim… inclusive o pessoal tá meio apreensivo porque os produtores da faixa principal do EP são os mesmos da famosa (ou seria infame?) I Got A Boy – e a BBC está divulgando TRÊS conceitos diferentes pro comeback delas (com a possibilidade de divulgarem ainda um quarto conceito na semana que vem)… ou seja, medo de que a música fique mudando de estilo a cada trinta segundos.

          Não que vá fazer muita diferença em termos de sucesso, porque com o comeback acontecendo ao mesmo tempo que os de boygroups consolidados como o Seventeen, B1A4 e afins, as LOONA já entram massacradas pela concorrência antes mesmo de lançar o EP…

          Curtir

  6. Eu gostei dessa música porque abaixei completamente minhas expectativas depois de How you like that e a tenebrosa Ice Cream. Prefiro entregando coisas simples, do que as mil e uma invenções que o Teddy dava pra elas. Mas fico me perguntando depois de sua crítica_ será que se essa música tivesse saido primeiro que essas duas, eu teria gostado?, não sei…_
    Sobre o álbum, achei bem amarrado e a fraqueza foi as duas primeiras músicas que saíram. Curti ouvindo e arrumando a louça. Mas ainda acho uma palhaçada a YG zombar da cara do fandom em chamar um mini de full album_ eu quase entrei em briga de faca com blinks que já aceitaram esse negócio_ os caras ganham rios de dinheiro sem esforço nenhum. Nesse album aí dava pra dar um solo para as quatro e ainda colocar mais três músicas e fechava. Fosse fã só passaria raiva_ curto elas e sigo de longe porque gosto da Jennie, mas me comprometer, não.

    Curtido por 1 pessoa

      1. Não sabia dessa teoria dos fãs, mas poderiam colocar aí que caberia de boas mesmo_ já não estavam gravando tudo? Que colocasse mais outra_ e outra, por hora parece que os fãs estão felizes e esqueceram do solo do resto.

        Curtir

        1. Pior que parece que o álbum tinha 10 faixas e segundo blinks que falaram que a rosé disse que tiraram essas duas faixas porque não combinava com o álbum. Teria sido melhor terem deixado mesmo sendo só para encher espaço

          Curtir

  7. Rapaz, quando vi mais de 30 comentários achei que ia estar cheio de blink ranhento por aqui, mas só vi discussão de alto nível. A humanidade ainda teria esperança?

    Curtir

  8. Boa tarde, dono do blog. Eu estou passando aqui para pedir com gentileza que você e os outros bloggers parem de mencionar Ice Cream porque isso nunca existiu, foi somente um delírio criado na cabeçona fantasiosa da Selena Gomez.

    Lovesick Girls e HYLT hinos, The Album hino, tudo hino. Você não sabe o que é passar mais de um ano de estômago vazio. Tenha mais empatia, mana. Se quiser eu te passo uma thread super explicativa sobre o porquê não devemos zoar a fome de comebacks do outro.

    Curtir

Deixe uma resposta para Veronica Sawyer Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s