THROWBACK 2000s | O melhor do pop asiático no ano de 2003

Olá, caros leitores. Sigamos com essa série de posts relembrando os melhores troços de cada ano da década passada. Dessa vez, com foco especial em 2003, que não foi tão frutífero assim para o pop asiático, mas que, tal como em outros momentos, as canções que se tornaram highlights são, de fato, comentáveis. Das escassas 20 faixas que tinha na playlist lá do outro blog (que tenho usado como norte para essas matérias), só 11 sobraram. Sem muitas delongas, vamos a elas…

Continuar lendo “THROWBACK 2000s | O melhor do pop asiático no ano de 2003”

THROWBACK 2000s | O melhor do pop asiático no ano de 2002

Sabem o que aconteceu em 2002? O André Marques, ex-Mocotó e ex-Angélica, tomou o posto de apresentador do Vídeo Show do Miguel Falabela. Mais relevante que isso, talvez só o nascimento do Rouge no programa “Pop Stars” ou Avril Lavigne redefinindo o que é rock em “Complicated”.

Mas, ooh, o foco disso aqui são os releases ocidentais. Então, vamos a eles. Começando pela minha animesong favorita no ano…

Continuar lendo “THROWBACK 2000s | O melhor do pop asiático no ano de 2002”

THROWBACK 2000s | O melhor do pop asiático no ano de 2001

O ano é 2001. As pessoas no Brasil mal se recuperavam de assistir Carolina Dieckmann raspando a cabeça em “Laços de Família” e já estavam em choque com Glória Perez misturando ficção científica, samba de gafieira, Murilo Benício sendo duplicado e todo um elenco praticando dança do ventre em “O Clone”. No cinema lá de fora, as técnicas de animação evoluíam através de “Monstros S.A”, “Shrek”, “A Viagem de Chihiro”, “Atlantis: O Reino Perdido” e “Barbie e o Quebra-Nozes”, com grandes clássicos da pipoca vendo a luz do dia, tipo “O Senhor dos Anéis”, “Harry Potter e a Pedra Filosofal”, “Lara Croft: Tomb Raider”, “Velozes e Furiosos”, “Onze Homens e Um Segredo” e “Legalmente Loira”.

No mundinho musical desse lado do globo, Shakira começava a expandir sua influência internacionalmente com a toscovilhosa “Whenever, Wherever”, Britney fazia sua transição de gatinha fofa do pop para a gostosa sexy dos videoclipes em “I’m a Slave 4 U”, Alicia Keys nascia ao grande público em “Fallin'”, Jennifer Lopez se tornava a estrela que Mariah tentaria destruir em “Love Don’t Cost a Thing” e Kylie Minogue reinventava o electropop com a apocalíptica “Can’t Get You Out Of My Head”. Obrigado, MTV. Ooh, e por aqui, Ana Carolina colocava a enorme contraditória frase “e cada vez que eu fujo, eu me aproximo mais” na cabeça de todos em sua “Quem De Nós Dois”. Obrigado, Faustão.

Mas o que importa de verdade para essa série é relembrar os destaques musicais que fizeram a cabeça do público médio asiático. Infelizmente, não foram tantos dessa vez e quase nada de tais 12 meses toca com uma frequência mais alta em minhas playlists. Mas, os que estão lá, valem muito a pena. Começando pelas divas pop…

Continuar lendo “THROWBACK 2000s | O melhor do pop asiático no ano de 2001”

THROWBACK 2000s | O melhor do pop asiático no ano de 2000

Quem aí já era vivo no ano 2000? Confesso não ter tantas memórias assim dessa época (mal tinha feito 7 anos, nhoin), mas lembro de rolar algo sobre, na virada do século, o mundo supostamente acabar por conta de alguma previsão do “calendário maia” respectivo ao período. Lembro também do sucesso que foi “As Panteras” numa locadora (lugar onde íamos para alugar filmes em VHS e jogos de videogame aos fins de semana) local, com uma fila enorme para reservar tal preciosidade cinematográfica atemporal… Ou será que isso foi em 2001? Ooh, sei lá, esses fatos se misturam em minha cabeça.

Mas tem algo que eu me lembro com certa clareza: o impacto da cultura pop japonesa aqui no Brasil. Em tal ano, o Japão vivia uma boa safra de lançamentos, com alguns animes que se tornariam febres internacionais estreando por lá, como “Love Hina”, “Inuyasha”, “Hajime no Ippo”, “Yu-Gi-Oh!” e “Medabots”. A guerra Pokémon X Digimon seguia a mil, com ambos já em seus segundos animes disputando a atenção da criançada e da propaganda.

Continuar lendo “THROWBACK 2000s | O melhor do pop asiático no ano de 2000”