TOP 100 | As melhores músicas do asian pop em 2015 [40-26]

E enfim chegamos à trinca final de posts. O que quer dizer que, daqui em diante, todas as faixas realmente fizeram algum barulho em minhas playlists, a ponto de, em dados momentos, serem consideradas para o top 10. Mas a vida não é perfeita para todos, então tais delicinhas acabaram barradas da festa um pouco mais cedo.

Sem mais delongas, vamos lá…

Continuar lendo “TOP 100 | As melhores músicas do asian pop em 2015 [40-26]”

TOP 100 | As melhores músicas do asian pop em 2015 [100-86]

2015 foi um ano emblemático para o pop asiático. Tal como 1999 para o cinema, ocorreu nele uma série de fatos que moldaram o que viria a ser o nicho dali em diante, com uma quantidade gigantesca de bons lançamentos sendo entregue num espaço curto de tempo.

No K-Pop, ele marcou o que considero o final da “era de ouro”, abarcando vários grupos clássicos em alguns de seus últimos respiros de investimento ao lado das novidades mais quentes que suas gravadoras preparavam para substituí-los (BIGBANG x iKON, f(x) x Red Velvet, Wonder Girls e miss A x Twice, SNSD x Taeyeon solo e a lista segue). No J-Pop, rolou um tantão de artistas mais velhos com trabalhos também muito fortes competindo de igual para igual com outros mais jovens. E quem saiu vencendo fomos nós, ouvintes.

Posto isso, vamos com mais outro throwback aqui no blog, comigo listando quais foram as minhas 100 faixas prediletas (+ uma menção honrosa) desse ano. E como listas assim sempre trazem novos leitores, é sempre bom destacar:

MARAVILHOSAS REGRAS

O top é meu, baseado única e exclusivamente em minha opinião, minha subjetividade. Então, coisas como charts, vendas, popularidade e relevância pra o meio em nada influenciam isso;

Meu maior critério de escolha, na real, é o quanto as faixas duram em minhas playlists diárias. Quanto mais ouço, mais alto ela aparece. Mesmo que eu considere uma música “melhor” que outra em questões técnicas (exemplo aqui com uma do SHINee), se eu ouvi pouco conforme os anos passaram, tchau;

Vocês têm todo o direito de discordar das minhas opiniões e até sugerir outras melhores para as posições ocupadas, mas saibam que estarão errados, pois meu gosto musical é perfeito. Bjokas.

Façam suas apostas e não me xinguem por a única canção o Girls’ Generation a marcar presença ser “Catch Me If You Can”:

Continuar lendo “TOP 100 | As melhores músicas do asian pop em 2015 [100-86]”

Time Machine: quando o MADE do BIGBANG parecia ser legal em “BAE BAE” (2015)

Vem aí do top throwback de 2015 (e mais pra frente no ano o de 2011, se acalmem). Acho o ano de 2015 bastante significativo para o K-Pop como um todo, pois é nele que, em minha opinião, crava o fim da era de ouro e o começo dessa geração, com uma série de coisas que marcam isso ocorrendo ao longo dele. Além disso, acho ele o melhor da última década em lançamentos na Coreia do Sul (no Japão foi logo depois, em 2016), com uma porrada de jams fortíssimos saindo, álbuns de qualidade acima do normal e por aí vai.

Posto isso, como um “esquenta”, pretendo relembrar algumas entre as músicas mais comentáveis daquela época. E a primeira, por incrível que pareça, será do fucking BIGBANG. Voltemos à palhaçada que foi o projeto M.A.D.E. para exaltar a melhor (entre o mar de porcarias) dele: BAE BAE

Continuar lendo “Time Machine: quando o MADE do BIGBANG parecia ser legal em “BAE BAE” (2015)”

“Wanna Be Myself”, do Mamamoo, e outros CFs icônicos do K-Pop

Mamamoo saiu da toca recentemente com Wanna Be Myself. Esse é o primeiro retorno do grupo completo em um MV após atingirem um novo patamar de popularidade ano passado com o Queendom e a title “Hip!” (que eu meio que tinha dado uma cagadinha à época do lançamento, mas acabou se convertendo em um dos meus singles prediletos do grupo em todos os tempos) e de uma porção de releases solo com níveis variados de sucesso.

A música é uma graça, sendo o número disco que o Mamamoo não chegou a lançar em início de carreira (acho que foi uma das poucas referências retrôs que elas não exploraram anos atrás), mas que também fica em casa com a retomada moderna que o gênero vem sofrendo em 2020.

Ela está sendo usada como CF para uma grife de roupas que eu nunca ouvi falar, o que me remete a uma época ilustre no K-Pop onde empresas e produtores realmente se esforçavam em comerciais do tipo, capitalizando em cima de marcas com demos que, honestamente, poderiam ser utilizadas como comebacks normais desses acts.

Dito isso, separei abaixo uma listinha com 7 dos meus CFs favoritos, pois relembrar é viver e rebolar a bunda num comercial tailandês de moto é sempre uma boa pedida para um sábado a tarde.

Continuar lendo ““Wanna Be Myself”, do Mamamoo, e outros CFs icônicos do K-Pop”