TOP 70 | As melhores músicas do asian pop em 2010 [10-01]

E enfim chegamos ao fim do terceiro top throwback do Miojo Pop, listando quais foram os 70 melhores lançamentos do asian pop durante o longínquo ano de 2010 (um oferecimento COVID-19). Muitas foram as ótimas músicas que passaram por aqui nos últimos dias, mas só 10 conseguiram atingir o ápice em tal ranking.

Sem mais enrolações, qual bop se juntará ao glorioso pancadão da Anda, What ou Waiting For, ao baladão ultraemotivo da BoA, Fly, e ao sex anthem Eclipse, da Kim Lip, no panteão de bests of aqui do blog? Confiram…

10. KARA – LUPIN

Que saudades dessa época onde produtores apostavam em demos que não necessariamente se dividiam em “músicas para meninas” e “músicas para meninos”. O Sweetune (por onde anda?) era um dos melhores nisso, entregando para o KARA uma porção desses números eurodance deliciosamente vigorosos, como se as cinco formassem alguma equipe feminina de super sentai e seu repertório fosse utilizado como trilha de fundo para batalhas explosivas na pedreira da Toei. “Lupin” segue como uma das minhas favoritas dessa grande época, onde as cinco trazem uma letra absurda e desconexa sobre evocarem o amor na pista de dança, envolvendo moda e dança, e que se o cara olhar pro lado já era (?), que tal como outros trecos Sweetune à época, cola tanto em coreano, quanto em japonês. É tudo muito intenso, agressivo e dramático, ampliado ainda pelo MV avulso com elas sensualizando de terninhos monocromáticos em cenários teatrais. Aah, e Nicole era tão linda com esse franjão jogado na cara…

09. ANNA TSUCHIYA – ATASHI

O icônico videoclipe da Anna Tsuchiya motoqueira… Imagina o trabalho que deve ter dado filmar esse troço, com ela correndo de madrugada, cabelos ao vento e mandando um lip synch for your life impagável. Provavelmente seria proibido de passar na TV japonesa hoje em dia por desrespeitar sei lá quantas regras de segurança. “Atashi” é um treco lindo demais, rolando como um daqueles números confessionais catárticos. Ela é montada como uma “conversa” entre a Anna e deus (ou com ela mesma, ou com o amor dela, a interpretação fica em aberto), pedindo para que “ele” não desista dela, porque por mais que ela tenha sua liberdade e suas escolhas, ainda acredita “nele”, que a responde da maneira mais negativa possível, alegando que o seu amor é limitado, que ele passa se não for cuidado. No final, ela toca o foda-se e decide seguir sozinha, a seu jeito, porque sua liberdade é mais importante que qualquer coisa, ainda que isso possa destruí-la. Tudo isso usando um instrumental “surf rock” espetacular. Melhor single dela nessa era.

08. PERFUME – FAKE IT

HUAHUAHUA com meia dúzia de vocês achando que esse aqui era o ~tão aguardado~ feat. da Lady Gaga com o BLACKPINK. A história de “Fake It” é bem mais interessante que isso. Inicialmente, ela foi lançada como b-side no single de “Nee”, que apareceu partes atrás, mas acabou chamando bastante atenção dentro da fanbase, ainda que não trabalhada oficialmente, ou mesmo inclusa no “JPN”, álbum que o grupo lançaria no ano seguinte. Mas a justiça acabou sendo feita em 2012, quando o trio soltou seu best album, utilizando-a como faixa título dele, trabalhando como lead single oficial e rendendo esse videoclipe mega tecnológico aí acima, com as magrelas pegas naquele sistema de captura visual que um monte de estandes de CCXPs da vida hoje em dia usam como atração pro público. “Fake It” é maravilhosa, divertidíssima e convence como um treco futurista não só visualmente, mas sonoramente. Duvidam? Só darem play e tentarem não ter seus cérebros derretidos quando a explosão de sintetizadores começa.

07. GIRLS’ GENERATION – HOOT

O Girls’ Generation nos serviu uma bela porção de maravilhas retrô em vários momentos de sua carreira. E enquanto coisas como “Chocolate Love”, “Lion Heart” e “Holler” talvez venham à cabeça com mais facilidade no capopeiro médio hoje em dia, “Hoot” é o grande bop delas nessa linha que ainda dura em minhas playlists, isso com quase 10 anos passados desde seu lançamento. Era figura carimbada em webrádios otacas de anos atrás (tocava todo dia na Rádio Blast!, independente da temática do programa), o que ajudou essa faixa a se estabelecer como parte do meu “cânone” de começo de K-Pop. Ademais, esse single é um dos mais caprichados das soshi em questão instrumental, com a guitarra misteriosa de filme de espião sendo extremamente memorável em seu rife, ficando na cabeça por horas após uma audição. Somem a isso um refrão matador, cheio de ginga, aí o pacote aos ouvidos fica irresistível. E o MV também é uma beleza, com o tiozão lá do SuJu emulando James Bond, mas não tendo qualquer chance contra as 9 dentro do prédio de locação cinematográfica.

06. 4MINUTE – I MY ME MINE

“I My Me Mine” já sai na frente da maioria das concorrentes aqui somente pelo fato de ter sido a grande música que, de fato, me inseriu no K-Pop. Já havia escutado sucessos de outros acts antes, mas foi com o 4MINUTE que consegui entender que existia um mercado pop na Coreia do Sul. E daí foi ladeira abaixo, felizmente. No entanto, ainda que não carregasse essa capa de vanguardista, “I My Me Mine” obviamente apareceria alto nesse ranking, já que é um dos melhores momentos de HyunA e as outras nessa época, além de encapsular direitinho o que, em minha mente, “K-Pop” significou na minha adolescência: um oásis de canções bubblegum despretensiosas, cujo único objetivo é, sem o menor receio ou vergonha, entreter o ouvinte. Um escapismo excelente para uma época estranha da vida onde queremos nos vender como mais cultos ou interessantes do que realmente somos. Esperem só vocês ficarem adultos e simplesmente cagarem pra isso, é como redescobrir a roda. Um hino do 4MINUTE, do girlcrush, do K-Pop e um game changing meu, que só não está mais alto porque, honestamente, ouço com uma frequência um tiquinho mais baixa que as cinco que virão a seguir.

05. CAPSULE – LOVE OR LIES

Essa aqui é magia em forma de música. É felicidade, êxtase, bliss, glee, euphoria. É como se pegassem um balde de papel picado purpurinado e jogassem pro ar. É aquele momento em animes shoujo magical girls onde a garota mágica se transforma e salva o dia, ou no fim de uma batalha quando o pokémon ganha poder o suficiente para evoluir, ou quando o brasão e o digivice começam a brilhar e o resultado nós já temos em mente qual será. “Love Or Lies” é uma gema escondida no álbum do Capsule, sendo um dos melhores bagulhos já feitos pelo Yasutaka Nakata em todos os tempos. É como se ela viesse de dois mil anos no futuro, enviado numa máquina do tempo por alguma civilização alienígena cintilante para que curássemos a tristeza mundial. Sabe no Mario Kart, quando pegamos a estrelinha e a trilha atrás começa a acelerar? Rola isso aqui também, com uma mudança de chave ainda mais elétrica após o rap maluco vindo de sei lá onde. Um dos pontos altos do J-Pop nisso de “acts electropop” que o Capsule (assim como o Perfume) se insere aos demais.

04. BOA – COPY AND PASTE

MELHOR FAIXA DE SOLISTA

Falo muito sobre a influência que a BoA tem do Michael e da Janet Jackson em sua sonoridade e “figura idol“. E acredito que, em “Copy & Paste”, tenhamos o melhor exemplar disso em seu catálogo. A batida mais marcada, em evidência, meio que servindo de guia para o resto, estaria em casa dentro do repertório dos irmãos, assim como o clipe com foco maior na coreografia e em explorar novas tecnologias (aquele sistema de captura mencionado no parágrafo do Perfume volta a dar as caras). Outros cantores que também bebem muito do estilo Michael & Janet devem olhar essa belezinha no YouTube e morrer de inveja. Os Justin, tanto o Timberlake, quanto o Bieber, se estapeariam por essa demo, Ne-Yo certamente entraria na briga, a Meghan Trainor tentaria convencer a todos que conseguiria fazer ainda melhor, aí riríamos da cara dela no primeiro tombo que tomasse tentando ir até o chão de saltão e voltar fazendo cara de má igual a BoA aqui (e nas apresentações ao vivo). BoA desde essa época aí, mesma sem nenhuma necessidade, já moia a concorrência na porrada. Chung Ha, Sunmi e outras, take notes. Lee Hyori, sit down! -q

03. GIRLS’ GENERATION – RUN DEVIL RUN

MELHOR FAIXA DE GIRLGROUP

O K-Pop é tão ridículo. Enquanto em outros lugares do mundo, para que as artistas selassem sua transição de “princesinhas do pop” para “bad girls sapequinhas”, tivemos putaria de pugilistas no chuveiro, putaria de dançarinos em prédio abandonado, putaria com amigos hipsters em casa, putaria pelo telefone com o Timbaland, putaria na masmorra vestida de indígena, putaria com pedreiros no canteiro de obra, e a lista segue com folga, o grande coming of age do Girls’ Generation foi… rebolarem em figurinos monocromáticos que cobriam bem mais que os shortinhos aegyo de antes. Mas aqui elas fazem carão em vez de expressões anuviadas, então tudo muda de figura, hahaha. E isso não é uma reclamação não, pois “Run Devil Run” é um dos meus coming of age songs favoritos da vida!!1 O refrão é um dos mais pegajosos do pop mundial, pra vocês terem ideia. Tá no meu pódio particular de músicas do SNSD (empatando com “Gee” e perdendo para “Genie”?) e, claro, no de asian pops de 2010. Em questão de K-Pop desse ano, só ficam atrás mesmo de um outro grupo da SM…

02. SUPER JUNIOR – BONAMANA

MELHOR FAIXA DE BOYGROUP / MELHOR K-POP

Na real, fico meio intrigado com “Bonamana”. É não só a minha música favorita de boygroup em 2010, mas em TODA A DÉCADA PASSADA. O que é maravilhoso, pois foi ótimo desde tão cedo estar em contato com algo tão incrível quanto isso, ao mesmo tempo que é meio… triste (?) dentro da cena de oppas, que não conseguiram se superar daí em diante. Chororôs à parte, oooohhh, que deliciaaaarrrhg isso aqui. Fico louco com essa mistura farofenta eletro-étnico-indiana-ish quase sem intervalos, que meio que, na minha cabeça, acabou por caracterizar o que seria o K-Pop masculino dessa época “de ouro”. Fora que até hoje morro de rir que todos estão servindo oppa elegantes de roupa social, mas aí tem UM no clipe, nas apresentações e nas fotos promocionais que está sem camisa e todo besuntado no óleo. Um clássico. Mas enfim, se nem o título de melhor faixa de k-machos da década conseguiu o topo dessa lista, o que diabos conseguiu ser melhor?

01. ANNA TSUCHIYA – SHE HATES ME

MELHOR ALBUM TRACK / MELHOR J-POP

Óbvio: outra album track nipônica obscura que vocês nunca devem ter tido contato! “She Hates Me” é a minha música preferida da Anna Tsuchiya e, assim como a do 4MINUTE há pouco, também teve participação crucial no que acabei me tornando anos depois. Versão resumida da história: lá por 2012, quando completei o ensino médio e não tinha muita certeza do que fazer da vida, decidi tentar vaga como colaborador num site otaku famosinho à época. E o texto que fiz como “teste” foi falando, justamente, desse LP, abrindo já de cara com “She Hates Me”, que acabou se tornando uma OST da minha própria vida. É possível que, caso eu não tivesse sido aprovado nesse site, eu também fosse hoje esse gostosinho jornalista feliz com sua profissão e que calhou de trabalhar se especializando em cultura pop asiática? Talvez. Mas que bom que, há quase uma década, tive contato com isso aqui e que, depois, tudo tomou o rumo que tomou. E que bom que foi com o rockzão enfurecido, mas com todo um trabalho poppy de replay factor, da Anna Tsuchiya. Já disse, o meio, o contexto, influencia muito em nossos gostos pessoais. Não dá para fugir.

nana gif | Szkicownik

E, Brasil… Foi isso aí que rolou de melhor em termos asianpopeiros no ano de 2010. 2 a 2 entre K-Pop e J-Pop até então. Concordam? Discordam? Digam nos comentários. Compartilhem também as suas favoritas de tal ano, assim poderei rir de seus respectivos péssimos gostos musicais, tal como vocês fazem comigo.

E caso vocês tenham chegado aqui por meio de algum link divulgado em grupos de Facebook ou Twitter e gostem de descobrir sobre canções mais antigas dentro desse nicho, saibam que vários outros posts especiais relembrando lançamentos de outros anos já rolaram nesse blog. Vocês podem conferir eles em formato de tops para 20192018 e 2017, ou em formato de playlist para 200020012002 e 2003.

4 comentários em “TOP 70 | As melhores músicas do asian pop em 2010 [10-01]

  1. Huh, vou dar um tempinho desses rankings por uns meses, pois já estou começando a me enjoar de escrever e, imagino eu, vocês de ler. Lá pelo meio de segundo semestre eu volto com isso, ou subindo essa escadinha para 2011, ou descendo a anterior para 2016.

    Chung Ha, Oh My Girl, Kyary, GWSN e outros lançamentos serão comentados ainda essa semana, seja em posts solo ou no update da playlist na virada do mês. Flw vlw!

    #ThelmaWinner #ManuERafaPastorinhaRatasPerdedoras

    Curtido por 1 pessoa

  2. Que surpresa ver alguém enaltecendo Hoot, vejo tanta gente esquecendo ela no churrasco quando o assunto é titles icônicas do GG, não sei o porquê, ela é maravilhosa. Não tem como negar a influência do grupo no k-pop, elas tem tanta coisa boa na discografia, principalmente no começo da carreira.

    Curtir

  3. E pensar que depois de humilhar o Capope inteiro em 2010 com o HV/C&P, BoA voltaria a fazer isso com louvor dois anos mais tarde…

    Proprietária do pop coreano mesmo 😍

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s