Raspa no tacho (29/10): (G)I-DLE, TripleS, Wednesday Campanella, ITZY e mais

De tempos em tempos, uma porção de trecos saem e, por algum motivo, como falta de relevância para encher um post inteiro, ou falta de tempo deste que vos escreve, acabam não dando às caras aqui quando deveriam. Juntem isso tudo num lugar só e, plim, temos a raspa no tacho.

Continuar lendo “Raspa no tacho (29/10): (G)I-DLE, TripleS, Wednesday Campanella, ITZY e mais”

TOP 100 | As melhores músicas do asian pop em 2021 [40-26]

E enfim chegamos à trinca final de posts. O que quer dizer que, daqui em diante, todas as faixas realmente fizeram algum barulho em minhas playlists, a ponto de, em dados momentos, serem consideradas para o top 10. Só que a vida não é perfeita para todos, então tais delicinhas acabaram barradas da festa um pouco mais cedo. Mas só um pouquinho mesmo.

Sem mais delongas, vamos lá…

Continuar lendo “TOP 100 | As melhores músicas do asian pop em 2021 [40-26]”

PLAYLIST (Junho’21) 🍜

Acabou junho e eu percebi que esqueci de comprar os quitutes de festa junina. Não comi pé de moleque, pé de moça, milho cozido, paçoca. Mas tomei canjica semana passada e tem pipoca de micro-ondas aqui. Vocês sabiam que aquela pipoca doce de embalagem rosa é feita com canjica explodida em canhões?

Enfim, vamos às melhores do, até então, melhor mês desse ano em lançamentos asiáticos (não é a toa a quantidade altíssima de bops que entraram na lista de melhores de meio ano). E vamos rapidinho que tá frio pra caralho e só quero me enrolar enquanto assisto Como Eu Conheci a Sua Mãe no Prime Video….

Continuar lendo “PLAYLIST (Junho’21) 🍜”

50% de 2021: As 10 melhores músicas do primeiro semestre!

E lá se foi mais um semestre. O que, em tempos de pandemia e isolamento social (ao menos da minha parte, que trabalho e estudo em casa), segue me despertando aquela sensação de que seguimos no começo de 2020 e o ano ainda não engrenou. Gostaria de aproveitar esse parágrafo para mandar o Bolsonaro e todos os bolsominios pra puta que pariu. Aquele arrombado maldito. Os outros países tudo vacinando tudo, voltando com shows, cinema e por aí vai, aí esse filho da puta segue insistindo na narrativa maluca de que ele se curou da COVID tomando a porra da caralha da hidroxocloroquina. Ah, meu pau de boné pra esse desgraçado!

Mas, uou, voltemos ao asian pop! No ano passado, eu fiz esse post elencando quais as melhores faixas que tinham saído durante a primeira metade de 2020, meio que servindo como um termômetro para a minha opinião até aquele momento (aí chegou em dezembro e o top 10 tava quase todo diferente, pois a vida é assim), que decidi repetir agora. Listas são sempre divertidas, então convido vocês a elencarem também suas prediletas nesse último semestre.

Diferente do ano passado, que acabei considerando só músicas que eu já estava escutando há algum tempo, que já haviam “maturado” na minha cabeça, em 2021 eu estou mais passional e joguei aqui umas quatro que saíram esse mês mesmo, pois elas estão fazendo minha cabeça e detonando toda a concorrência interna. E outra novidade é que nenhum girlgroup coreano sobreviveu ao corte, enquanto três boygroups estão entre as mais melhores de boas. Uma representante do MandoPop, 4 do K-Pop e 5 do J-Pop. Será que sua fave aparecerá? Bom, não se for a Utada Hikaru, pois eu fiquei tão puto com “Pink Blood” que tirei “One Last Kiss” da lista só de pirraça…

Continuar lendo “50% de 2021: As 10 melhores músicas do primeiro semestre!”

Rock wins: Joy (Red Velvet), TXT e outros lançamentos recentes que misturaram rock com capope

Nos últimos dias, calhou de vários acts diferentes utilizarem elementos de rockzinho em suas músicas. Não é nada que reinventará o rock’n’roll ao redor do mundo, tirará Kurt Cobain de seu túmulo ou agradará Theo Becker em seu canal de YouTube, mas os resultados foram todos bem agradáveis, com vários novos pop/rocks gostosinhos que entrarão para minhas audições diárias.

Aí reuni tudo num post só para comentar e recomendar para vocês. Vamos lá…

Continuar lendo “Rock wins: Joy (Red Velvet), TXT e outros lançamentos recentes que misturaram rock com capope”